domingo, 30 de novembro de 2014

Taxa de pessoas desocupados e números de ocupados nos Municípios do Noroeste Fluminense

Os dados do gráfico a seguir referentes às taxas de desocupados (desempregados) nos municípios do Noroeste Fluminense, foram extraídos do sistema elaborado pelo Escritório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil (link aqui) de indicadores municipais de trabalho decente, conceito que considera o respeito aos direitos no trabalho, a promoção do emprego, a extensão da proteção social e o fortalecimento do diálogo. 


Conforme o gráfico, Aperibé apresentou a menor taxa da região para os desocupados na faixa de 16 a 64 anos (4,3) e são José de Ubá para a faixa de 15 a 24 anos (10,9). Continue lendo no gráfico.

O Trabalho Decente é um direito das jovens gerações, sendo fundamental para garantir oportunidades de ocupação de qualidade no presente, tornando também factível a construção de melhores trajetórias ocupacionais futuras.

Um dos principais traços estruturais do mercado de trabalho dos e das jovens no Brasil (assim como em diversos outros países) é a prevalência de taxas de desemprego significativamente mais elevadas do que àquelas correspondentes à população adulta.

O expressivo diferencial entre a proporção de jovens homens e mulheres que não estudam e nem trabalham – observado na esmagadora maioria dos municípios - é bastante condicionado pelas relações de gênero e pelos estereótipos que delas são elementos constitutivos, que atribuem às mulheres a responsabilidade principal pelas atividades domésticas, o que se soma à ausência e/ou insuficiência de políticas de conciliação e corresponsabilidade, no âmbito do trabalho e da família. Devido a isso, apesar de possuir maiores níveis de escolaridade, as jovens apresentam, de um modo geral, maiores taxas de desemprego e de inatividade.

O afastamento das jovens da escola e do mercado de trabalho num percentual geralmente bastante superior ao dos homens é fortemente condicionado pela magnitude da dedicação das mesmas aos afazeres domésticos e às responsabilidades relacionadas à maternidade, sobretudo quando a gestação ocorre durante a adolescência. Evidencia-se, portanto, as dificuldades que enfrentam muitas jovens mulheres para conciliar trabalho, estudo e vida familiar.

(Tabela introduzida na postagem em 09/06/2015)


Com informações da OIT

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

OIT no Brasil lança sistema online de indicadores municipais de trabalho decente

O Escritório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil lançou hoje (28) um sistema inédito de indicadores municipais de trabalho decente, conceito que considera o respeito aos direitos no trabalho, a promoção do emprego, a extensão da proteção social e o fortalecimento do diálogo. Por meio da internet, a organização vai disponibilizar relatórios com informações detalhadas sobre cada um dos 5.565 municípios do país reconhecidos pelo Censo de 2010. 

O estudo abrange dez áreas temáticas: oportunidades de emprego, rendimentos adequados e trabalho produtivo, jornada de trabalho decente, conciliação entre o trabalho, a vida pessoal e familiar, o trabalho a ser abolido, a estabilidade e segurança no trabalho, a igualdade de oportunidades e de tratamento no emprego, o ambiente de trabalho seguro, a seguridade social e o diálogo social e a representação de trabalhadores e empregadores.

As análises mostram que, apesar do crescimento da formalização, em 3.304 municípios brasileiros (59,4% do total) mais da metade dos trabalhadores estavam na informalidade em 2010. Desses municípios, metade era na Região Nordeste, o que mostra a permanência das disparidades regionais. Além disso, a capital e o interior também vivem situações distintas. Então, apenas um em cada cinco trabalhadores informais residia nas capitais.

Segundo a OIT, a informalidade vem diminuindo. Nos últimos anos, a queda foi acentuada por causa da formalização na condição de Microempreendedor Individual, figura que já está presente em todos os municípios brasileiros, especialmente nas capitais.

Em relação ao empregador, em 2.144 municípios a administração pública responde por mais da metade de todo o emprego formal local, segundo os dados de 2012. Em 1.066 municípios, a administração pública era a responsável por mais de 75% de todo o emprego formal.

A análise dos municípios também mostra desafios, como a menor concentração dos rendimentos e da jornada excessiva, a promoção do trabalho decente entre os jovens e a inclusão das pessoas com deficiência. Além disso, é preciso ampliar o enfrentamento ao uso do trabalho forçado, diz a OIT.

A partir de dados do Ministério do Trabalho e Emprego, o sistema indica que, em 2013, 576 infratores de 316 municípios foram flagrados explorando trabalhadores em situação análoga à escravidão. Dessas localidades, muitas não tinham ações de combate à prática.

O sistema de indicadores do trabalho decente foi desenvolvido pelo escritório da OIT no Brasil, em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, com o apoio da União Europeia.

Para verificar a situação dos municípios, a organização usou dados do Censo de 2010, bem como a Pesquisa de Informações Básicas Municipais, o Produto Interno Bruto dos Municípios e o Cadastro Central de Empresas, além de dados regionais.

Segundo os organizadores, a iniciativa também vai subsidiar políticas públicas, bem como a elaboração e implantação da Política Nacional de Emprego e Trabalho Decente e a definição de agendas locais de Trabalho Decente.

Com informações da Agência Brasil

Observatório Sebrae/RJ disponibiliza estudo, concluído em 2013, sobre o Noroeste Fluminense


A  seguir, página (8) do estudo sobre a natureza da ocupação dos trabalhadores da região: empregados com ou sem carteira assinada; funcionários públicos e militares; conta própria; e empregadores:


quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Contas de Porciúncula aprovadas

Com ressalvas e determinações, o plenário do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) aprovou, nesta terça-feira (25/11), as contas de administração financeira de 2013 do município de Porciúncula, sob a responsabilidade da prefeita Mirian Magda de Paula Porto. Em seu voto, o conselheiro-relator Julio Rabello ressalvou, por exemplo, que o Poder Executivo desrespeitou, no segundo semestre de 2013, o limite de 54% estabelecido na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para as despesas com pessoal. Por conta disso, determinou ao município que adote medidas para eliminar o percentual excedente dentro dos prazos legais.

Outra determinação foi para que a prefeitura observe o correto empenho das despesas do Fundeb, atentando, especialmente, para o limite de suas receitas, mantendo o controle da gestão do Fundo e preservando suas características. O conselheiro também destacou que o Controle Interno da prefeitura adote providências para solucionar falhas apontadas pelo TCE-RJ na sua prestação de contas e que insira essas medidas no relatório de auditoria do próximo exercício.

Receita Corrente Líquida - A RCL é formada pela soma das receitas tributárias, de contribuições patrimoniais, industriais, agropecuárias, de serviços e transferências correntes. Trata-se de receita importante, pois serve de base de cálculo para apuração dos limites da despesa com pessoal, dívidas, entre outros itens. No primeiro semestre de 2013, a RCL de Porciúncula somou R$ 52.560.645,90. No segundo semestre, chegou a R$ 53.835.037,10. Houve uma redução de 0,38% da RCL arrecadada em 2013, em relação ao montante alcançado no exercício anterior.

Gasto com Pessoal – No primeiro semestre de 2013 a prefeitura aplicou R$ 26.885.179,60 (51,15% da RCL) no pagamento da folha dos funcionários. No segundo semestre foram gastos R$ 29.216.221,20 (54,27% da RCL).

Educação – Ao longo de 2013, a prefeitura aplicou no ensino público R$ 8.465.064,34, o que representa 26,49% da receita de impostos, superando o mínimo de 25% estabelecido pela Constituição Federal.
Fundeb – Em 2013, a prefeitura cumpriu o previsto em lei e aplicou 100% dos recursos (R$ 6.903.877,19) do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação na remuneração dos profissionais do magistério. Pela lei, o município deve aplicar, no mínimo, 60% do total dos recursos recebidos do Fundeb, acrescidos do resultado das aplicações financeiras, no pagamento de profissionais que atuam no ensino fundamental e infantil.

Saúde – A prefeitura aplicou R$ 6.801.781,78 em ações de saúde, o que corresponde 21,60% das receitas de impostos e transferências. Assim, superou o limite legal mínimo estabelecido, que é de 15%.

TCE-RJ

Itaperuna concede anistia de multas e juros incidentes sobre tributos municipais

A anistia relativa a multas e juros aplicados sobre os tributos municipais incidentes até o exercício de 2013, inscritos ou não na dívida ativa, será concedida totalmente somente para os pagamentos dos tributos a serem feitos em cota única, sendo que o valor original do tributo será corrigido monetariamente. Para os contribuintes que optarem em parcelar a dívida, o valor relativo a anistia será reduzido em: 10% para parcelamentos em até 10 vezes; 20% para parcelamentos de 11 a 15 vezes; e 30% para parcelamentos de 16 a 20 vezes.

A prefeitura fixou o prazo final para requisição da anistia em 23/12/2014.

Ato legal de instituição da anistia no município: Lei Complementar Nº 670, de 17 de novembro de 2014.

Com informações do Departamento de Comunicação da Prefeitura de Itaperuna.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Primeira fase da pré-matrícula da rede estadual está nos últimos dias

Prazo se encerra na próxima segunda-feira. Inscritos já passam de 154 mil

As inscrições para a primeira fase da pré-matrícula por uma vaga na rede estadual de ensino, que podem ser feitas no site Matrícula Fácil (www.matriculafacil.rj.gov.br), terminam na próxima segunda-feira (01/12). Este ano, a procura superou a do ano passado. Até o momento, a Secretaria de Educação (Seeduc) recebeu mais de 154 mil inscritos. Os candidatos devem acessar exclusivamente o site, caso o candidato não tenha acesso à internet, é permito a ida a algumas das escolas da rede e utilizar os laboratórios de informática.

A relação nominal de todos os estudantes alocados será divulgada no site no dia 22 de dezembro. As informações sobre a alocação, bem como datas e horários para apresentação, estarão disponíveis no menu ‘Consulte sua Inscrição’. Os candidatos que, no ato na matrícula, cadastraram corretamente o número do celular, também receberão um SMS. É importante que o inscrito confirme sua pré-matrícula na escola em que foi selecionado no período de 06 a 12 de janeiro de 2015, portando os seguintes documentos:

 - Identidade ou documento que a substitua;
- CPF (se possuir);
- Histórico escolar ou declaração da última unidade em que estudou, constando a série para a qual o aluno está habilitado, ficando o original na escola;
- Identidade e CPF do responsável legal, no caso de menor de 18 anos (original e cópia);
- Laudo comprobatório de deficiências declaradas (se for o caso);
- Comprovante de residência;
- Comprovante do atestado com tipo sanguíneo e o fator rhesus (fator RH)

A segunda fase da pré-matrícula acontecerá no período de 22 a 26 de janeiro, sendo o primeiro dia exclusivo para os candidatos não alocados na primeira fase. Os demais serão destinados aos alunos que não se inscreveram ou não confirmaram a reserva de vagas na primeira etapa. 

As oportunidades são para: 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio Regular; 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio Inovador; 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio Inovador – 1ª Geração; 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio Normal (formação de professores em horário integral); módulos I, II, III e IV do Ensino Médio da Educação de Jovens e Adultos; 6º, 7º, 8º e 9º anos do Ensino Fundamental Regular; fases VI, VII, VIII e IX do Ensino Fundamental da Educação de Jovens e Adultos; Programa de Correção de Fluxo do Fundamental; 1ª 2ª e 3ª séries do Ensino Médio Integrado: CEFFA Rei Alberto I (habilitação em Administração e Agropecuária), CEIA Barão De Langsdorff (Agropecuária), CE D. Pedro II (Produção de Áudio e Vídeo e Química), CE Infante Dom Henrique (Hospedagem) e CE Jornalista Maurício Azedo (Logística).
 
Todas as informações sobre o processo estão disponíveis no link www.matriculafacil.rj.gov.br.
 
Imprensa RJ

domingo, 23 de novembro de 2014

Iniciaram as obras de despoluição do Ribeirão Santo Antônio

Postagem atualizada em 26/11/2014 

Com verba prevista de R$ 40 milhões (segundo cartaz da Prefeitura Municipal), teve início em 13/08/2014 uma das mais solicitadas obras do município de Miracema:  despoluição e esgotamento sanitário do Ribeiro Santo Antônio.  

A obra está prevista para ser realizada em duas etapas. Para esta primeira etapa foi disponibilizado pelo PAC2 cerca de 60% do total da verba (R$ 24.347.988,86), sendo que R$ 4.869,597,77 foram liberados em 14/10/2014. A primeira etapa compreende a despoluição e esgotamento sanitário dos domicílios situados do lado direito do curso do Ribeirão Santo Antônio. O prazo de término das obras relativas a esta etapa está previsto para 13/08/2016. A Construtora JRN Ltda., empresa sediada em Belo Horizonte, é a responsável pela realização da obra. 


Segundo notícias da PMM, a primeira etapa do projeto irá atingir 70% dos domicílios, com a construção de 23.388 metros de rede captação. Serão construídas seis estações elevatórias e a estação de tratamento de esgoto (ETE), com vazão de 75 litros por segundo. A rede receberá o esgoto de três mil residências.

A implantação desta etapa implicará em intervenções de algumas áreas públicas, principalmente nas ruas onde serão instaladas as tubulações de recalque e redes coletores. 

O processo de tratamento de esgoto realizado pela ETE terá quatro estágios: pré-tratamento; tratamento secundário aeróbio; tratamento terciário; e gerenciamento do lodo biológico. Na última fase,  a massa final gerada será encaminhada para aterros sanitários.

O produto final (água) tratado na ETE deverá apresentar as características que atendam aos padrões de lançamento estabelecidos pela Resolução CONAMA 430/11, com cerca de 90% de pureza. Esta será devolvida ao Ribeirão Santo Antônio.

Segundo levantamento do IBGE, Miracema tem 8.162 domicílios.


sábado, 22 de novembro de 2014

Insetos coloridos observados na APA Miracema

O colorido da aranha na primeira foto é impressionante. Libélula verde, pra mim é novidade. Como o blogueiro não sabe nada a respeito de insetos, quem souber os nomes favor informar.


sexta-feira, 21 de novembro de 2014

TCE-RJ aprova contas de Aperibé

O Plenário do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) aprovou, nesta terça-feira (18/11), a prestação de contas da Prefeitura de Aperibé (Região Noroeste) referente ao exercício de 2013, mas fez um alerta ao prefeito Flávio Gomes de Sousa, para que aperfeiçoe o controle dos gastos com a folha de pessoal, que apresentou um crescimento acima do registrado com a Receita Corrente Líquida (RCL). Enquanto as despesas com remuneração aumentaram 44,05%, em comparação com o ano anterior, a evolução da RCL foi de apenas 8,40%. A decisão dos conselheiros acompanha voto do relator do processo, conselheiro José Gomes Graciosa. O parecer favorável seguirá para a Câmara Municipal, que fará a apreciação final.

A despesa máxima com a folha de pessoal, de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), não pode ultrapassar 54% da RCL, o que, apesar do aumento dos gastos, foi cumprido pela prefeitura. Os gastos com pessoal alcançaram 38%, e 49,39% da RCL, respectivamente, nos 1º e 2º semestres. Por isso, o TCE-RJ alertou a prefeitura para o risco de as despesas vire a superar, inclusive, o limite prudencial (51,30% da RCL) nas próximas prestações de contas.

A RCL é o parâmetro de verificação dos principais limites que devem ser observados pelas prefeituras, entre eles os gastos com pessoal, dívida e outros. A RCL é formada pela soma das receitas tributárias, contribuições patrimoniais, industriais, agropecuárias, de serviços e transferências correntes. No primeiro semestre de 2013, o resultado da RCL alcançou R$ 32.810.751,90, o que representou uma queda discreta de 0,23% se comparado ao resultado de igual período do ano anterior. No segundo semestre, a RCL somou R$ 35.649.887,40, registrando um crescimento de 8,65% em relação ao segundo semestre do ano anterior. No exercício, o resultado da RCL foi superior em 8,40% se comparado com o ano anterior.

Educação – Do total da receita com impostos arrecadados e transferências, que foi de R$ 23.633.485,41, a prefeitura destinou 46,98% (R$ 11.102.640,20) à manutenção e ao desenvolvimento do ensino, estando de acordo com o artigo 212 da Constituição Federal, que exige um mínimo de 25%.

Fundeb – Do Fundo de Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), destinado às despesas com a remuneração dos profissionais do magistério em efetivo exercício de suas atividades no ensino fundamental público, a prefeitura gastou R$ 3.514.669,96, o equivalente a 94,80% dos recursos do Fundo. O resultado ficou acima do mínimo de 60% exigido pela Lei Federal nº 11.494/07.
 
Saúde – A prefeitura aplicou em ações e serviços públicos de saúde o valor de R$ 7.242.790,00, o que representou 31,05% do total das receitas com impostos e transferências, que foi de R$ 23.327.191,65. O resultado ficou acima do percentual mínimo (15%) a ser aplicado, conforme determinado pela Constituição Federal.

TCE-RJ

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Prefeitura de Miracema homologa o Concurso Público de 2014


Teatro SESI Itaperuna recebe “Jazz Underground” neste sábado

Mistura de ritmos, síncopes, harmonias, melodias, improvisos e batuques em uma só música marcam o show, que começa a partir das 20h. Ingressos estão à venda no atendimento do SESI

Itaperuna, 19 de novembro de 2014

Marcos Yoshi comanda o show
Um pot-pourri nada convencional é o que o público poderá conferir neste sábado, dia 22, às 20h, no Teatro SESI Itaperuna, com o show “Jazz Underground”. Comandada pelo músico Marcos Yoshi, a apresentação traz clássicos como Bach, Cartola, Astor Piazzola, com breves momentos de improviso, no repertório. A realização é do Sistema FIRJAN, através do SESI Cultural.

Os ingressos custam R$ 10 e podem ser adquiridos antecipadamente no atendimento do SESI Itaperuna, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h. Associados ao SESI, estudantes, terceira idade, portadores de necessidades especiais e jovens de até 21 anos pagam meia-entrada (R$ 5).

O show “Jazz Underground” tem como base a mistura de vários ritmos, síncopes, harmonias, melodias, improvisos e batuques em uma só música. Uma apresentação solta e imprevista, que mistura os contrapontos do erudito com a liberdade do blues, a alegria do choro com a tristeza do tango, o suingue do samba com a cadência do country, o poder do rock com os improvisos do jazz e o pulsar do reggae com o balanço do funk.

Para outras informações, ligue (22) 3811-9219 ou (22) 3811-9246.

Sistema Firjan - Assessoria de Imprensa Itaperuna

Nasceu o filhote de Sovi que estava chocando próximo das matas do Conde

Me sinto o padrinho desse rebento (rsrs)!, pois testemunhei a concepção e feitura do ninho, conforme demonstram as três primeiras fotos. As fotos do acasalamento e feitura do ninho foram feitas em 1º de outubro. O filhote não sei quando nasceu, mas a foto é de hoje, 19. As três primeiras fotos eu já havia publicada nesta postagem aqui. Os pais o protegem o tempo todo: um deles fica pousado próximo do ninho, de guardião, atacando qualquer predador que passa em um raio de 30/40 m do ninho, enquanto o outro vai em busca de alimento para o filhote. A última foto é um dos pais dando alimento ao filhote.


Após veto, prefeitos irão propor regras de transição para fim dos lixões

A Frente Nacional de Prefeitos busca soluções para o fechamento dos lixões e a implantação de aterros sanitários nos municípios que ainda não atenderam às determinações da Política Nacional de Resíduos Sólidos, sancionada em 2010. Os prefeitos vão propor ao Ministério do Meio Ambiente regras de transição, em regime excepcional e por adesão, para esses municípios. A ideia é abrir um espaço de diálogo com o governo para encontrar uma solução viável para o problema, em um ambiente de segurança jurídica para os gestores públicos.

Na última sexta-feira (14), o presidente em exercício, Michel Temer, vetou a emenda do Projeto de Lei de Conversão nº 15, da Medida Provisória 651/14, que dava a estados e municípios prazos até 2018 para fechar os lixões e até 2016 para elaborar os planos estaduais e municipais de resíduos sólidos. Os planos são requisitos para que estados e municípios recebam dinheiro do governo federal para investir no setor.

No veto, Temer disse que “a prorrogação de prazos, da forma como prevista, contrariaria o interesse público, por adiar a consolidação de aspecto importante da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Além disso, a imposição de veto decorre de acordo feito no plenário do Senado Federal com as lideranças parlamentares, que se comprometeram a apresentar alternativa para a solução da questão.”

A medida foi aprovada com a emenda no Senado, pois se o texto fosse modificado, precisaria retornar para última análise na Câmara dos Deputados e poderia perder o prazo de sanção. Além disso, o trecho sobre resíduos sólidos, inserido pelos deputados, é estranho ao princípio da medida, que trata de incentivos ao setor produtivo.

A frente dos prefeitos solicitou audiência com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, mas, até o fechamento desta matéria, a assessoria do ministério não confirmou a solicitação. 

Até o momento, a alternativa para as cidades que não cumpriram a meta de destinação correta dos resíduos sólidos é assinar um Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público, que fiscaliza a execução da lei. Os gestores municipais que não se adequaram à política até o prazo estabelecido estão sujeitos a ação civil pública, por improbidade administrativa e crime ambiental.

Com informações da Agência Brasil.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Um terço dos jovens do mundo vive em situação de vulnerabilidade social

Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil Edição: Aécio Amado

Cerca de um terço dos jovens entre 10 e 24 anos de todo o mundo vive em situação de vulnerabilidade social. A conclusão do Fundo de População das Nações Unidas (ONU) consta do relatório Situação da População Mundial em 2014, que a agência da ONU apresenta hoje (18).

De acordo com o fundo, cerca de 1,8 bilhão dos mais de 7 bilhões de habitantes do planeta tem entre 10 e 24 anos. Desses, mais de 500 milhões vivem abaixo da linha de pobreza, com menos de US$ 2 por dia. “Em um mundo de questões de adultos, os jovens são muitas vezes negligenciados. Tendência que requer correção urgente, uma vez que põe em risco não só a juventude, mas as economias e sociedades em geral”.

O Fundo de População indica que os países, especialmente aqueles em desenvolvimento, podem alcançar avanços econômicos e sociais expressivos se investirem no potencial produtivo de seus jovens, enxergando-os não como um escoadouro de recursos públicos já escassos, mas como “potenciais líderes e arquitetos de uma transformação histórica no bem-estar humano”.

“Os países que não cuidarem das necessidades de seus jovens provavelmente terão, a partir da segunda metade deste século, taxas de fecundidade mais elevadas e uma grande parcela de pessoas jovens e dependentes. Uma força de trabalho pouco qualificada manterá as economias presas em atividades de baixo valor agregado e com baixas taxas de crescimento”, diz o relatório.

Os pesquisadores recomendam que, em um primeiro momento, os países com altas taxas de mortalidade infantil e de fecundidade se empenhem para reduzir o número de mortes, investindo em saneamento básico, tratamento d´água, campanhas de vacinação infantil e na saúde primária. Com as taxas de mortalidade em queda, será possível passar a priorizar outras ações, já que a mudança na estrutura etária, com um maior percentual de pessoas em idade ativa que em fase dependente, pode vir a surtir efeitos como a redução da pobreza e a elevação dos padrões de vida.

O fundo reconhece que “cada vez mais governos estão dedicando maior atenção aos jovens”, mas aponta que milhões deles ainda enfrentam muitos obstáculos, como acesso à instrução formal ou a baixa qualidade do ensino e falta de empregos apropriados. O fundo calcula que, em regiões em desenvolvimento, cerca de 60% dos jovens não estudam nem trabalham no mercado formal. Há ainda uma grande lacuna digital a separar a juventude de diversos países. Além disso, a ausência de informação e serviços adequados para garantir o acesso dos adolescentes à orientação e aos cuidados sobre a saúde sexual.

WWF-Brasil: 82% acham que natureza do país não está protegida adequadamente

Bruno Bocchini - Repórter da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli

Pesquisa da organização não governamental (ONG) WWF-Brasil  (sigla em inglês para Fundo Mundial para a Natureza) mostra que 82% da população brasileira acreditam que a natureza do país não está protegida de forma adequada. O levantamento, apresentado hoje (18) em Sydney (Austrália), no Congresso Mundial de Parques, foi feito pelo Ibope.

Apenas 11% da população acreditam que a natureza está sendo protegida corretamente, enquanto 7% não souberam responder. A pesquisa mostra ainda que 74% dos entrevistados atribuem ao governo a responsabilidade por cuidar das unidades de conservação; 46% aos cidadãos e 20% às ONGs (6% não souberam responder).

“Muitas vezes, as pessoas entendem que, por elas pagarem impostos, quem tem de cuidar é o governo. Mas quem polui rio, quem não liga o esgoto no sistema de esgoto, quem joga óleo na rua, o posto de gasolina, também está afetando o meio ambiente”, diz a secretária-geral da WWF-Brasil, Maria Cecília Wey de Brito.

“Pensando exclusivamente nas áreas protegidas, dos parques de fato, os governos têm um potencial de responsabilidade maior, embora se a população cobrar, ele pode ter mais recursos para que essas áreas funcionem”, ressalva Maria Cecília.

Os dados mostram que 58% dos entrevistados consideram o meio ambiente e as riquezas naturais motivo de orgulho para o país. O resultado supera a diversidade de opinião da população sobre cultura (37%), esporte (30%), qualidade de vida (28%) e a característica pacífica do país (19%). Para a secretária-geral, o resultado mostra que, apesar do meio ambiente ser considerado importante para a população, o tema não tem recebido a mesma atenção nas discussões políticas.

“As nossas discussões políticas têm sido pobres e não têm tratado de temas de interesse da sociedade, seja em áreas protegidas, seja a falta de água em São Paulo, seja poluição de rios. Acredito que os governantes têm relegado há muito tempo essa discussão e, pior do que isso, eles não têm deixado que as pessoas entendam que essa discussão diz respeito ao dia a dia delas”.

A pesquisa mostra ainda que a população sabe que preservar o meio ambiente significa garantir a proteção das nascentes, represas e rios (55%) e proteger a diversidade de plantas e animais (65%). “O que a pesquisa deixa claro é que há um descompasso entre as políticas públicas de meio ambiente no Brasil e os anseios da população. Apesar do apreço que o brasileiro tem pelas áreas naturais, da importância delas na vida cotidiana das pessoas, esse tema não é uma prioridade nacional do ponto de vista dos governos”, destaca Maria Cecília.

A pesquisa foi feita durante a segunda quinzena de outubro com cerca de 2 mil pessoas em todas as regiões do país.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

No Estado do Rio, mais de 56 mil cadastrados no Bolsa Família devem atualizar dados

Flavia Villela – Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger

Bolsa Família, benefício
Os beneficiados tem até 12 de dezembro para atualizar os dados cadastrais
Imagem de arquivo/Agência Brasil
Mais de 56 mil famílias cadastradas no programa federal Bolsa Família podem ter o benefício bloqueado no Rio de Janeiro, se não atualizarem seus dados cadastrais até 12 de dezembro. O benefício será bloqueado e, após 60 dias, cancelado.

Os beneficiários que receberam avisos no extrato de pagamento do programa, sobre a necessidade de atualizarem os dados, devem procurar a gestão do Bolsa Família do município.

Até outubro, 57,9% dos cerca de 97 mil beneficiários com cadastros desatualizados no estado do Rio ainda não tinham feito a revisão cadastral. Na capital fluminense, dos 39 mil beneficiários chamados para o recadastramento, 61,1% ainda não fizeram a atualização, o que corresponde a mais de 23,8 mil famílias. Em Macaé, norte fluminense, 83% das 648 famílias com pendências ainda não procuraram a prefeitura para o recadastramento.

Ao todo, 831.366 famílias no estado contam com o Bolsa Família. Do total, 228.534 estão na capital.

A cada dois anos, o responsável pelo benefício precisa atualizar ou confirmar seus dados junto à prefeitura, para que continue recebendo o pagamento. A atualização cadastral é um dos mecanismos de controle do Bolsa Família para que qualquer alteração – como mudança de endereço ou de renda, localização da escola dos filhos etc, possa ser acompanhada pelo programa.

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome começou a veicular na semana passada radionovelas em emissoras de rádio de dez capitais, entre elas o Rio de Janeiro, para reforçar o prazo da atualização cadastral.

O Bolsa Família é um programa de transferência direta de renda que tem como foco de atuação os brasileiros com renda familiar per capita inferior a R$ 77 mensais e está baseado na garantia de renda, inclusão produtiva e no acesso aos serviços públicos.

domingo, 16 de novembro de 2014

Fotos de passeio pelos campos de Miracema

Morro da "Baleia", em Paraiso do Tobias, visto da Ventania de Baixo.


Na sequência: momento que o gavião-tesoura avista a presa voando (um inseto), mergulho em busca da presa e exato momento que ele pega a presa no ar.


Coleirinho (acima fêmea e no centro macho), embaixo uma subespécie de coleirinho, "baiano", mas em Miracema é chamado de coleirinho-argolão. Em seguida, tucanuçu e gavião-caramujeiro, fêmea com seu alimento preferido, caramujo-aruá. Por último, besouro não identificado.



sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Rio de Janeiro aumentou participação no PIB em 2012

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo 
 
O Rio de Janeiro foi o estado brasileiro que mais aumentou a participação no PIB do país entre 2011 e 2012. No período, o PIB fluminense ganhou 0,3 ponto percentual de peso e passou a responder por 11,5% da riqueza nacional.

Segunda economia do país, com PIB de R$ 504 bilhões, o Rio foi beneficiado pela extração de petróleo, segundo o gerente de Contas Nacionais do IBGE, Frederico Cunha. O estado concentra 70% da produção de petróleo brasileira, que foi favorecida pela conjuntura internacional.

O segundo estado com maior crescimento de participação entre 2011 e 2012 foi Pernambuco, décima economia do país e a segunda do Nordeste, atrás apenas da Bahia. O PIB estadual passou a responder por 2,7% do nacional, fatia 0,2 ponto percentual maior que em 2011.

As outras unidades da federação que conseguiram aumentar a participação em um ano não passaram de 0,1 ponto percentual a mais. Foram elas: Mato Grosso do Sul, Maranhão, Espírito Santo e Goiás.

Na comparação entre 2011 e 2012, São Paulo foi o estado que mais perdeu participação, com queda de 0,5 ponto percentual. Outras unidades da Federação reduziram a participação em 0,1 ponto percentual: Minas Gerais, Distrito Federal, Pará, Ceará e Amazonas.