sexta-feira, 31 de maio de 2013

Com cinco casos registrados de gripe A, Campos pede que gestantes e idosos se imunizem

O superintendente de saúde coletiva da prefeitura de Campos dos Goytacazes, Charbel Kury, pediu hoje (31) que grávidas, idosos e mulheres que tiveram filhos recentemente não deixem de tomar a vacina contra a influenza A (H1N1), doença que teve cinco casos na cidade desde março. Em entrevista à Agência Brasil, o superintendente afirmou que, na última campanha de vacinação, encerrada em 17 de maio, 80% das grávidas e 90% idosos foram vacinados, mas os remanescentes são os que correm maior risco de contaminação e de agravamento da doença.
"Deixamos a vacina disponível em todos os postos mesmo depois da campanha, para quem é do grupo de risco e para quem não é. O que não queremos é óbito", disse o superintendente, que informou que crianças e profissionais de saúde, que também estão no grupo de risco, atingiram os 100% de vacinação.

Charbel afirmou que os cuidados com a doença precisam ser constantes, porque ela já se tornou uma gripe sazonal - frequente em determinada época - com cerca de cinco a dez casos registrados anualmente. Em 2009, ano da pandemia, a cidade teve 20 mortes, sendo quase metade grávidas. Ao todo, foram 250 casos confirmados.

Dos cinco casos deste ano, dois foram em gestantes, um em uma criança de 2 anos e outro em um bebê. Uma das grávidas chegou a ficar internada por três dias, mas reagiu bem após o uso do antiviral Tamiflu e recebeu alta. De acordo com o superintendente, todos passam bem. Em três deles foi confirmada laboratorialmente a Gripe A e, nos outros dois, houve diagnóstico médico e tratamento como tal. Apesar disso, não ficou comprovado que a causa foi o vírus Influenza H1N1, o que Charbel vê como uma possibilidade: "É um vírus que está circulando e vai continuar por mais dez ou 15 anos, mas não é mais pandêmico. Se tornou sazonal, tanto que foi incluído na campanha de vacinação".

O superintendente também enfatizou que é preciso estar atento aos sintomas: febre alta, cansaço e tosse. Quem faz parte do grupo risco deve procurar um médico mesmo que a temperatura alta não venha acompanhada da fadiga. A influenza A (H1N1) é considerada mais perigosa que a comum por ter maior capacidade de penetração no tecido respiratório, evoluindo mais facilmente para uma pneumonia.

Além da vacina, hábitos de higiene podem prevenir a contaminação, como o uso de toalhas e copos descartáveis em locais públicos, proteger o rosto quando tossir ou respirar e lavar as mãos sempre que fizer isso. "Todo mundo fortaleceu a higiene em 2009, mas já esqueceu. São situações básicas em que o vírus da gripe fica vivo".

Até o dia 11 de maio, o Ministério da Saúde registrou 388 casos de gripe A e 61 mortes no país. A maior parte deles, 328, foi confirmada em São Paulo, onde houve 55 óbitos. No Rio, foram três casos até essa data e nenhuma morte.

Agência Brasil

terça-feira, 28 de maio de 2013

Hemocentro de Campos recebe em cinco meses quantidade de doações que abastece apenas um mês

Hospitais atendidos pelo órgão precisam implantar agências transfusionais

O Hemocentro de Campos dos Goytacazes está com o estoque praticamente vazio. O motivo é o número de doadores diários que não chega à metade do necessário para abastecer 16 cidades do Noroeste Fluminense. O órgão recebeu, nos cinco primeiros meses deste ano, 2.400 doações de sangue, quantidade que abastece a região apenas um único mês.

Segundo a direção do hemocentro, o número poderia ser maior se os hospitais que dependem de sangue estivessem captando doadores. A captação seria realizada pelas chamadas agências transfusionais. Um acordo determina que todas as unidades de saúde que fazem mais de 60 transfusões por mês devem possuir o serviço. Além de conseguir doadores, as agências também armazenariam sangue, o que agilizaria o atendimento.

Em Campos, os hospitais que deveriam ter o serviço ainda não implantaram a agência. Das 16 cidades atendidas pelo hemocentro de Campos, apenas três possuem agências transfusionais: Natividade, Miracema e Santo Antônio de Pádua.

No Brasil, é recomendável que 3,5% da população doe sangue mas, segundo pesquisas, menos da metade pratica o ato de solidariedade.

Com informações do G1

Faetec prorroga inscrições para cursos técnicos

Inscrições podem ser feitas até 7 de junho

A Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), vinculada à Secretaria de Ciência e Tecnologia, prorrogou as inscrições para o processo seletivo dos cursos Técnicos de Nível Médio e Tecnólogos (Nível Superior), até 7 de junho. Os interessados em participar podem concorrer às 3.663 oportunidades através do cadastro no site da Fundação (www.faetec.rj.gov.br).

Vale destacar que as inscrições para as 360 vagas oferecidas para Educação Profissional de Jovens e Adultos (Proeja) e as 30 oportunidades do curso de Arte Dramática na Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Pena, seguem até 23h59 desta segunda-feira, 27 de maio.

Imprensa RJ

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Sobe para 59 o número de Reservas Particulares de Patrimônio Natural (RPPNs) certificadas pelo Estado do Rio

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) realiza nesta segunda-feira (27/05), Dia da Mata Atlântica, solenidade de entrega de certificados definitivos para 16 novas Reservas Particulares de Patrimônio Natural (RPPNs), totalizando 4.576 hectares de vegetação nativa preservada. Deste total, a Reserva Ambiental Fazenda Caruara S/A, do empresário Eike Batista, em São João da Barra, detém 3.844 hectares, tornando-se a maior RPPN do estado e a maior em restinga no Brasil.

Com as novas certificações, sobe de 43 para 59 o número de reservas criadas no âmbito do Programa Estadual de Incentivo às Reservas Particulares do Patrimônio Natural, desde 2008. São ao todo 6.100 hectares de áreas protegidas de proprietários particulares que participam de forma significativa na preservação e conservação da biodiversidade no estado. A previsão é a de que até o fim do ano mais 500 hectares sejam reconhecidos pelo Inea como reservas particulares.

Consideradas estratégicas para a conservação da Mata Atlântica, já que 80% dos remanescentes deste bioma no estado se encontram em terras privadas, as RPPNs fortalecem os corredores ecológicos de unidades de conservação no estado e contribuem para a proteção de nascentes e cursos d'água, de entorno de lagoas e represas, entre outros serviços ambientais.

Atualmente, 22 municípios fluminenses contam com reservas particulares estaduais. Nova Friburgo possui o maior número, com 12/ 320 hectares; seguido de Silva Jardim, com nove/ 206 hectares, e Varre-Sai, com 8/ 125,5 hectares. Ainda que sejam áreas protegidas, a legislação permite a realização de atividades de pesquisa, educação ambiental e lazer nestas unidades.

O secretário do Ambiente, Carlos Minc, a presidente do Inea, Marilene Ramos, e a coordenadora de Mecanismos de Proteção Biodiversidade da Diretoria de Biodiversidade de Áreas Protegidas (Dibap/Inea), Daniela Pires, participarão da solenidade juntamente com os proprietários de reservas particulares.

Daniela Pires define as reservas particulares como verdadeiras unidades de conservação:
- As RPPNs são unidades de conservação que dão certo porque nascem da vontade do próprio dono. Como estão situadas no entorno das unidades de conservação públicas de proteção integral (parques estaduais, reservas biológicas etc), formam verdadeiros corredores ecológicos de biodiversidade sem custo para o estado.

Com informações da Imprensa RJ

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Polícia Militar estoura central do jogo do bicho em Miracema

Operações de inteligência foram realizadas ao longo do mês

Policiais Militares do 36º Batalhão de Polícia Militar de Santo Antônio de Pádua realizaram uma ação de combate ao Jogo do Bicho na manhã desta sexta-feira (24/05), na Rua João Candido das Neves no bairro Rodagem em Miracema, no Noroeste do estado.

A ação resultou na detenção de três homens e na apreensão de diversos materiais utilizados para a prática de contravenção no município e nas cidades mineiras circunvizinhas como Tombos, Palma e Pirapetinga.

Agentes do Serviço Reservado (P2) do 36º BPM, fizeram operações de inteligência ao longo do mês de maio no Centro de Miracema e solicitaram ao Ministério Público, um mandado de busca e apreensão visando coibir o jogo ilegal.

No endereço utilizado para a prática da contravenção foram detidos três homens no momento em que realizavam a apuração do jogo do bicho.

Os policiais apreenderam R$ 1,2 mil em dinheiro e também vários objetos, dentre eles, o computador central da apuração de todos os jogos, impressoras, carimbos numéricos, calculadoras, impressos da contravenção e dezenas de talões em branco utilizados para apostas.

A ocorrência foi apresentada na 137ª Delegacia Legal de Miracema.

Ascom 36º BPM

Fonte: Conexão Noroeste

Passageiros fazem viagem de 150 km em pé em ônibus no Noroeste do RJ

Viação Brasil é alvo de reclamações sobre superlotação e insegurança. Empresa promete incluir novos ônibus nas linhas para melhorar atendimento.

Letícia Bucker do G1 Norte Fluminense

Superlotação e falta de segurança. Para quem utiliza o transporte público oferecido pela empresa Brasil a situação já faz parte da rotina. Na manhã desta segunda-feira (20), os passageiros que saíram de Miracema, no Noroeste Fluminense com destino à cidade de Campos de Goytacazes, no Norte do Estado, tiveram que enfrentar um ônibus lotado com o dobro de passageiros. São 150 quilometros de viagem, desconforto e cansaço.

Na altura do distrito de Portela, que pertence à cidade de Itaocara, no Noroeste Fluminense, uma mulher viajou cerca de 50 quilômetros com uma criança no colo em um local impróprio para a acomodação de passageiros, ao lado da única porta do ônibus, ao lado do motorista. Ela preferiu não ser identificada, pois faz a viagem com frequência.

Mulher e criança viajam em local indevido

"Entre ir em pé e conseguir um cantinho no ônibus, prefiro vir sentada aqui. Sei que é perigoso e que se acontecer um acidente podemos nos machucar, mas a verdade é que nenhuma poltrona possui cinto de segurança", contou ela, ainda com o fliho no colo.
A empresa Brasil é a única que oferece o transporte para a região Norte e Noroeste do Estado, com destinos para as cidades de São Fidélis, Cambuci, Itaocara, Aperibé, Santo Antônio de Pádua e Itaperuna.

A aposentada Maria do Socorro, disse que pelo menos duas vezes por semana precisa sair da cidade de Cambuci e viajar até Campos para ajudar a filha com um bebê recém-nascido.

"Assim que meu neto nasceu eu comecei a usar o transporte público para ajudar a minha filha. Não imaginei que a situação era tão ruim. Já viajei mais de três horas em pé, me segurando nas pessoas do corredor, porque não havia lugar para sentar. Eu tenho direito à gratuidade devido à idade, mas nunca utilizei o serviço por falta de chance", disse.

Outro problema indicado pelos passageiros é com relação à compra de passagens. Como o veículo, costumeiramente, para fora dos pontos de ônibus, muitos usuários não possuem as passagem compradas nos guichês e solicitam direto com o motorista, porque não há cobrador.

Passageiros se seguram como podem

O estudante de administração Matheus Dias, que visita a família na cidade de Aperibé, no Noroeste Fluminense, durante os fins de semana, disse ficar desanimado de enfrentar a viagem e opta pelas caronas dos amigos que também passam pela região.

"Geralmente consigo ir sentado até a metade do caminho, mas o ônibus vai ficando tão cheio que eu cedo meu lugar para quem precisa mais do que eu, os idosos, as mulheres grávidas. Isso sempre acontece comigo e a empresa não tem a menor atenção e nem cuidado com os passageiros", contou.

De acordo com o gerente de tráfego da empresa Brasil, Henrique Fagundes, 13 novos ônibus foram comprados e serão disponibilizados no fim do mês de maio e na primeira quinzena do mês de julho, a fim de suprir a necessidade. Em relação à falta de cinto de segurança, o gerente informou que os próprios passageiros empurram o item para dentro das poltronas e que os ônibus dispõem do equipamento.

Segundo a assessoria de imprensa do Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (DETRO), a fiscalização nos veículos da empresa Brasil, irá acontecer até o fim dessa semana. A assessoria informou que os modelos dos ônibus da empresa, com apenas uma porta, não podem transportar passageiros em pé e todos os veículos precisam disponibilizar o cinto de segurança.

Justiça cassa diplomas de prefeito, vice e vereador de Aperibé

Doação de cestas básicas, sorteio de eletrodomésticos e grande festa em comemoração ao dia das mães. O que era para ser uma celebração, foi motivo para uma ação de investigação judicial e denúncia por parte do Ministério Público Eleitoral, em Aperibé, no Noroeste do Estado do Rio de Janeiro, aceita pela juíza  Com isso, o prefeito Flávio Gomes de Souza (PSB), o vice Adimilson Jorge Bom (PR) e o vereador Genilson Faria (PDT), todos em segundo mandato,  tiveram seus diplomas cassados pela Justiça Eleitoral. Os três políticos e Daiana Vogas Daibes Pereira, secretária de Assistência Social, estão inelegíveis por oito anos. Flávio de Souza, Adimilson Bom e Daina Pereira ainda foram multados em 10 mil UFIRs cada.

De acordo com a Justiça Eleitoral, no dia 11 de maio de 2012, houve um evento patrocinado pela prefeitura da cidade, com a distribuição de alimentos e 30 eletrodomésticos. A juíza, Cristina Sodré Chaves entendeu que houve "promoção pessoal, com pretensões à reeleição". Segundo a juíza, a "ausência de previsão orçamentária demonstrou uma conduta ilegal de abuso de poder político e econômico, pois a doação de bens à população teve cunho político". Além disso, a doação aconteceu em um evento protagonizado pelo prefeito, o vice e o vereador.

A 34ª zona eleitoral de Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense, enviou ofício à Câmara Municipal de Aperibé para a destituição dos réus e somente uma liminar do TRE-RJ poderá mantê-los no cargo.

Em entrevista ao G1, o prefeito Flávio Gomes de Souza declarou que a festa é uma ação do governo municipal, realizada desde 2009, e que o evento não teria qualquer relação com uma suposta compra de votos para reeleição. O prefeito fez questão de ressaltar, ainda, que nunca respondeu por processo administrativos e que sempre lutou para ser um político ficha limpa.

“Nós estamos entrando com uma medida cautelar para responder a esse recurso, ainda no mandato. A justiça está falando que a festa foi realizada somente em ano eleitoral, mas a gente trabalha no sentido de ajudar a população há quatro anos. Fui eleito com 80% dos votos válidos, com mais de quatro mil de diferença para o segundo colocado. Uma cesta básica e um sorteio não ganham eleição”, comentou.

O TRE-RJ confirmou que os políticos cassados podem entrar com recurso contra a decisão da juíza. Caso o colegiado do tribunal confirme as cassações, os três políticos ainda podem recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília.

Fonte: G1

Falta de saneamento básico, de mata ciliar e de hábitos dos brasileiros ameaça rios

Milhões de reais destinados à despoluição de rios nas cidades poderiam ser economizados se os governos tivessem investido efetivamente no tratamento de esgoto e a sociedade brasileira mudasse padrões culturais, na avaliação da bióloga Malu Ribeiro, coordenadora da Rede das Águas da Fundação SOS Mata Atlântica.

O alerta será uma das bandeiras do Encontro Nacional pela Mata Atlântica, conhecido como Viva a Mata, que ocorrerá às vésperas do Dia Nacional da Mata Atlântica, em 27 de maio. As palestras e debates da nona edição do evento, organizado para sensibilizar as pessoas sobre a importância da floresta, terão como foco os direitos e deveres ambientais no país.

O encontro começa hoje (24) na Marquise do Parque Ibirapuera, em São Paulo, com atividades também no Museu de Arte Moderna (MAM). Na abertura do evento, que termina domingo (26), será lançada campanha pelo cumprimento do Código Florestal.

Para Malu Ribeiro, a situação das bacias e rios do bioma deve entrar nas discussões. A partir de dados do governo, a bióloga disse que a falta de saneamento básico e a ausência de mata ciliar nos rios e nascentes têm levado algumas regiões ao colapso. Segundo ela, o Sudeste é uma das que mais sofrem com as consequências desse cenário.
“A população desses estados perde o efeito regulador de clima proporcionado pelas florestas. É esse serviço que, no período de seca, faz com que a vegetação contribua para manter o nível dos lençóis freáticos e, na época de chuva, evita a erosão de encostas”, explicou. “Nunca tínhamos visto uma seca extrema no Rio Grande do Sul como tem ocorrido nos últimos anos, com produtores enfrentando problemas graves e tendo que receber água de caminhão-pipa”, completou. 

Malu Ribeiro disse que em todas as capitais dos 17 estados que abrangem a Mata Atlântica há rios contaminados. “A perda da mata ciliar tem gerado grandes contaminações provocadas por restos de metais pesados dos chorumes, substâncias que vêm de cemitérios e que o subsolo acaba levando para os rios”, explicou.

Nas áreas rurais, segundo ela, o problema é o uso intenso de agrotóxicos que acabam chegando aos rios, e, nas zonas urbanas, a falta de tratamento de esgoto, a poluição e os resíduos lançados a céu aberto. 

Nas cidades, segundo ela, os brasileiros não mostram preocupação com a escassez de água e nem com o desperdício. “É um luxo cultural negativo do Brasil, que acha que tem muita água. Precisamos lembrar que a água não é distribuída igualitariamente, por exemplo. A gente vive a cultura da abundância e do desperdício: canta no chuveiro, lava calçadas, brinca no tanque. Mudar esse comportamento é muito difícil”, disse. 

Para a bióloga, o novo Código Florestal pode representar uma ameaça ao bioma. A lei, aprovada há um ano, deve ocupar grande parte das discussões previstas para o sábado e o domingo no Ibirapuera e no auditório do MAM. 

Representantes de várias organizações não governamentais vão lançar uma campanha nacional com o lema “Cumpra-se”, pelo cumprimento do Código Florestal e a instalação do grupo de acompanhamento do código em São Paulo.

Mario Mantovani, diretor de Políticas Públicas da Fundação SOS Mata Atlântica, explicou que o objetivo é mobilizar as pessoas para acompanhar a implementação da lei. Esta semana, a organização e outras entidades voltadas para as questões ambientais lançaram um observatório na internet que será usado para monitorar tudo o que está sendo feito nos estados, nos municípios e pelo governo federal, como o cadastramento dos imóveis rurais do país e a regulamentação dos incentivos financeiros para os produtores que preservam.
“Já que as regras estão valendo, queremos acompanhar a implementação. O CAR [Cadastro Ambiental Rural] tem dois anos para ser criado e quem vai implementar e quais são os gargalos? Queremos saber isso”, disse Mantovani.
“No caso da Mata Atlântica, temos uma lei específica, mais restritiva, que é o código para a região e que está valendo. Não permite, por exemplo, tirar um remanescente de floresta de secundário estágio sem fazer uma documentação mostrando claramente o interesse social e a utilidade pública da obra, como estradas”. 

Mantovani lembrou que cada um dos 17 estados tem dificuldades e características particulares. O Rio de Janeiro tem 90 mil propriedades para serem cadastradas. Na Bahia e no Paraná, o número de imóveis rurais chega a quase 400 mil.
“Em São Paulo, a questão da cana-de-açúcar é muito forte. Na Mata Atlântica, não há mais conversão de floresta para agricultura porque os locais disponíveis hoje são de difícil uso. Vamos ter que fazer um programa mais voltado para a regularização do que existe”, explicou. 

Agência Brasil

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Estado doa vans e ambulâncias a 24 entidades beneficentes

Vinte e quatro entidades beneficentes do estado e três prefeituras receberam, nesta quarta-feira (22/03), vans e ambulâncias para fazer o atendimento de seus beneficiados. A iniciativa é uma parceria do RIOSOLIDARIO e da Loterj. As organizações, a maioria voltada para portadores de necessidades especiais, contaram com a doação de 16 veículos e mais de R$ 8,1 milhões em recursos financeiros.

Entre as entidades beneficiadas com a parceria estão a Apae e a Pestalozzi de diversos municípios. Além de vans adaptadas para cadeirantes, foi entregue a primeira com consultório odontológico, para a Prefeitura de Vassouras. O valor total das doações é parte do lucro líquido da Loterj, que é destinado para fins de assistência hospitalar, escolar, de interesse social, educacional, esportivo e cultural.

Apae Miracema está entre as organizações contempladas com van
 
Com informações da Imprensa RJ

terça-feira, 21 de maio de 2013

Empregos formais criados no Noroeste Fluminense – abril de 2013


Em abril de 2013, o saldo da flutuação de empregos com carteira assinada no Noroeste Fluminense foi favorável em 406 postos de trabalho. O resultado é o cálculo da diferença entre 1.647 admissões e 1.241 desligamentos. Em relação ao mesmo mês de 2012 houve aumento de 209,92% (link para os dados de abril de 2012).

Os maiores saldos de abril foram registrados em Itaperuna (143), Santo Antônio de Pádua (108), Itaocara e Cambuci (43 cada um) e Bom Jesus do Itabapoana (12).

De janeiro a abril de 2013, o saldo na região foi de 1.185 novos empregos gerados. O resultado foi sustentado basicamente por contratações realizadas em Itaocara (543) e Santo Antônio de Pádua (498). Em relação a este mesmo acumulado do ano em 2012, houve aumento de 4.640%  (link para os dados de janeiro a abril de2012).

Principais ocupações que geraram empregos nestes dois municípios que se destacaram em contratações no período janeiro a abril de 2013:

Em abril de 2013 foram criados 196.213 postos de trabalho no país. Link para matéria daAgência Brasil sobre empregos formais em abril de 2013.

No Estado do Rio foram gerados 15 mil empregos formais em abril de 2013.

Corrida de Santo Higino em Recreio (MG)

Algumas curiosidades da Corrida de Santo Higino

Fundada pelos membros do Bloco Carnavalesco Preocupados de Souza (O Bloco do Papel Higiênico), a Corrida era sempre realizada no final de ano, como é a São Silvestre, em São Paulo, e para concorrer com ela colocou-se o nome de Santo Higino, canonizando assim o saudoso Pe. Higino Latteck, que por anos foi pároco em Recreio.
Apenas três recreienses venceram o trajeto de 4,8 km, de 1981 a 1983, José Márcio da Costa; em 1984 Dilson Anastácio e o último recreiense campeão foi Antônio Carlos Siqueira de Medeiros, em 1994. Na categoria feminina, Recreio nunca teve vencedora.
O recorde da competição masculina é de Fernando Sílvio dos Santos (Guarani-MG), com o tempo de 14 min e 01 s. Na feminina, Andriléia dos Santos (Juiz de Fora-MG), cravou 16 m e 49 s. Em 2003, a Corrida teve a ilustre participação de Ronaldo da Costa (Descoberto-MG), que em 1998 havia vencido a Maratona de Berlin (Alemanha), em Recreio Ronaldo chegou em 2º lugar.
Como dissemos anteriormente a Corrida era realizada no dia 31 de dezembro, mas em 1999, depois de uma forte chuva de granizo que caiu na cidade a competição não foi realizada e no ano seguinte ela passou a ser realizada no sábado após o feriado do corpus christi, ficando nesta data até hoje.

Fonte:
Leonardo Ribeiro da Silva
Assessoria de Comunicação Social da Prefeitura Municipal de Recreio
Tel.: (32) 3444-1345 ou 1344 - ramal 209

Cel.: (32) 9957-2043

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Cultivo de uvas em Cambuci é referência para agricultores de São Sebastião do Alto

O cultivo de uvas, uma alternativa de aumento da renda familiar com retorno rápido sobre o investimento, está despertando o interesse de produtores rurais de Valão do Barro, segundo distrito de São Sebastião do Alto, na Região Serrana. Na última quarta-feira (8/5), dezesseis agricultores da localidade participaram de uma excursão a Cambuci, no Noroeste Fluminense, para conhecer a lavoura dos irmãos Gilmar e Jocimar Veloso, da microbacia Valão da Onça.

A visita foi uma iniciativa da Emater-Rio, em parceria com o Programa Frutificar, da Secretaria de Agricultura, com o apoio da Prefeitura de São Sebastião do Alto, para incentivar a diversificação produtiva e a fruticultura nas microbacias onde o Rio Rural está iniciando seus trabalhos.
 - Queremos aproveitar que o programa está chegando à fase de sorteio nas microbacias São Manoel e Guarani para, de acordo com o interesse do produtor, incentivar a implantação de novas culturas - disse o supervisor local da Emater-Rio de São Sebastião do Alto, Almir Vogas, responsável pela organização do evento.

Os irmãos Veloso, que abriram a porteira do sítio para disseminar sua experiência, atualmente plantam uva, maracujá, banana e olerícolas, em uma propriedade de 4,5 alqueires.
 - Deixamos as lavouras de tomate e apostamos na diversificação. No caso das uvas, foi uma ousadia. Plantamos 200 pés com recursos próprios e deu certo, vendemos toda a produção. Agora vamos plantar mais 300 pés - conta Jocimar.

Eles investiram cerca de R$ 8 mil na lavoura da uva niágara rosada. Na primeira safra, em dezembro passado, colheram 500 kg. No auge da produção, daqui a quatro anos, a estimativa é de 10 kg por planta.
- Trata-se de uma lavoura com investimento alto, mas de rápido retorno para o agricultor - esclarece Denilson Caetano Leal, técnico do Programa Frutificar que presta assistência técnica na propriedade. Ele forneceu informações sobre o manejo de cada cultura, esclareceu dúvidas e apresentou o programa, que financia até R$ 50 mil, com juros de 2% ao ano, para implantação de lavouras frutíferas em todo o estado.

Variedade de culturas

Para os agricultores do Valão do Barro, o intercâmbio valeu a pena, principalmente porque eles puderam conhecer vários plantios numa única propriedade. No caso da banana, já cultivada por alguns dos participantes, a homogeneidade do pomar foi o que chamou a atenção.
- Nunca vi lavoura tão bonita, com plantas tão bem tratadas - disse João Batista Sabina, morador da microbacia Guarani. O agricultor já tem produção diversificada – maracujá, banana prata, aipim, coco, eucalipto – e saiu do dia de campo com interesse em produzir uvas.
- Aprendi que o manejo correto pode melhorar o cultivo, tornando-o mais produtivo e rentável - concluiu João.

Leocádia Daflon também ficou impressionada.
- Eles produzem muito em uma área pequena - observou. Ela herdou dos pais o sítio Praia de Areia e quer retomar a alta produtividade nos dez alqueires disponíveis.
- Quem tem terra, tem que produzir. Sou apaixonada por lavoura e sempre sonhei em plantar uva. Agora sei que é possível implantar esta lavoura na minha região - disse Leocádia.

Técnico da Emater-Rio de Cambuci, Ademir Peres de Souza acredita que a visitação proporciona um aprendizado amplo para todos.
- Esta troca de experiências entre os técnicos e agricultores é muito enriquecedora. Cada um tem uma experiência diferente que pode acrescentar algo positivo ao conhecimento do outro - disse. Os extensionistas José Reinaldo, Alcenir Botelho e Luis Alberto Ribeiro, da Emater-Rio de São Sebastião do Alto, também participaram do dia de campo. 

Com informações da Imprensa RJ

Postagem relacionada: Cultivo de uvas no Noroeste Fluminense

terça-feira, 14 de maio de 2013

Fórum da Agenda 21 de Miracema age para devolver à população espaços públicos indevidamente ocupados

Fórum da Agenda 21 de Miracema solicita informações e providências da Prefeitura Municipal a respeito de cessões indevidas de uso de espaços públicos para instalações de comércios, publicidades, etc.

Dentre os espaços públicos indevidamente ocupados em Miracema, são citados pelo referido Fórum os seguintes:
  • imóveis do Parque de Exposições Jamil Cardoso;
  • praça em frente aos Correios;
  • estacionamento da Emater-Rio;
  • canteiros centrais da Praça dos Estudantes;
  • praça do Lions (Trevo da Escola Álvaro Lontra);
  • praça do Mercado (ocupação da rua em frente ao Rio Previdência);
  • rua ao lado da Igreja em Paraíso do Tobias;
  • praça Dona Ermelinda esquina com Marechal Floriano;
  • calçada da Igreja Matriz;
  • praça no Bairro Caloi às margens da avenida Nilo Peçanha (saída para Pádua);
  • publicidade e comércio nas calçadas; e
  • outros que estejam ocupando espaços públicos de uso comum.

Link para o ofício nº 001/2013 emitido pelo Fórum da Agenda 21 Miracema à PMM, e link para a legislação citada no referido ofício

Governo oferece curso de Orçamento público para a população

O Orçamento público é uma ferramenta de extrema relevância para a população, uma vez que lá estão fixadas receitas, despesas e programas a serem contemplados durante o ano. Ao conhecer o Orçamento público, o cidadão pode fiscalizar a despesa pública de forma efetiva.

Para orientar a população, a Escola Virtual da Secretaria de Orçamento Federal (SOF), do Ministério do Planejamento, está fazendo uma série de cursos de capacitação para que o cidadão entenda como são gastos os recursos públicos do Poder Executivo.

Segundo a coordenadora de Assuntos Federativos e Inovadores da SOF, Rosana Lordelo, é fundamental capacitar a sociedade para entender o Orçamento público e dessa forma, exercer melhor sua cidadania nessa área.

“Ao desenvolvermos a ideia de transparência pública, temos que trabalhar a educação das pessoas para entender o que é. Com o conhecimento da sociedade sobre o funcionamento do processo, será possível opinar e argumentar com mais clareza sobre as reais necessidades da população”, disse.

A ideia do curso, é desmistificar a complexidade do Orçamento público e tornar a linguagem mais acessível. Uma das ferramentas usadas é comparar as despesas e gastos do governo federal com o orçamento familiar. Com isso, a partir da renda doméstica mensal, o cidadão aprende que se gastar mais do que recebe, ocorrerá um desequilíbrio nas contas.

Da mesma maneira que ocorre nos lares brasileiros, ocorre com as contas do governo. No Orçamento estará fixada a estimativa de receita e de despesa para determinado ano, buscando um equilíbrio nas contas públicas.

“Vimos a necessidade de a população entender o que é o Orçamento e sua importância. Chegamos a um formato de linguagem fácil, com visualização mais tranquila. Usamos a comparação do Orçamento Federal com o orçamento doméstico”, comentou a coordenadora.

As inscrições para o curso básico começam no dia 20 de maio e são gratuitas. A carga horária é de 20 horas. As aulas são ministradas pelo site. As turmas são de 50 alunos. Cada participante pode montar o cronograma de acordo com sua disponibilidade de tempo, com duração máxima de cinco semanas. Mais informações pelo endereço eletrônico ead.orcamentofederal.gov.br.

Agência Brasil