Flora da Mata Atlântica observada em Miracema

1. Introdução

2. Resumo das espécies identificadas ou parcialmente identificadas

3. Localização geográfica das espécies observadas

4. Fotos de matas e árvores dos locais de observação

5. Painéis com fotos das espécies identificadas ou parcialmente identificadas

6. Painéis com fotos das espécies ainda não identificadas


______________________


1. Introdução

A maioria das fotos da flora da Mata Atlântica observada em Miracema (Floresta Estacional Semidecidual) foi tirada na APA Miracema (6.629 hectarese no RVS da Ventania (2.176 hectares), cujas áreas fazem parte do IBA Laranjal/Miracema, que situa-se na Zona da Mata Mineira. Também tem fotos feitas nas matas do Conde, Fazenda Liberdade e outras partes de Miracema. São diversas fotos de paisagens das matas, árvores, flores, frutos silvestres e fungos, observados nestes últimos anos. Em algumas fotos são mostrados também os pássaros e insetos dispersores, que são de importância vital para o equilíbrio biológico da natureza.

Este levantamento tem intenção de dar uma pequena contribuição à manutenção e preservação da vegetação nativa dos fragmentos de remanescentes da Mata Atlântica que sobraram no município de Miracema e, também, no Noroeste Fluminense, dos quais dependem os fluxos dos mananciais de águasAs áreas de cobertura vegetal nativa que ainda restam prestam serviços ambientais importantes, como a proteção de mananciais hídricos, a contenção de encostas, a temperatura do solo e a regulação do clima, já que regiões arborizadas podem reduzir a temperatura em até 2º C.

Esta página, juntamente com as anteriores (Pássaros observados na natureza em Miracema, Borboletas e mariposas observadas na natureza em Miracema e Fauna observada na natureza em Miracema) fecha o ciclo fauna e flora do município de Miracema, que conserva em seus 304,513 km² de território,  10,32%  (3.144 hectares) de remanescentes da Mata Atlânica, segundo o Atlas Municípios 2014 (ano base 2013), elaborado por SOS Mata Atlântica e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Tanto esta página quanto as demais do blog não são projeto pronto e acabado, a ideia é aos poucos ir implementando novas espécies, bem como as identificações. Para isso, o blog espera contar com a colaboração de quem realmente entenda destes assuntos, visto que o blogueiro é leigo e não passa de simples fotógrafo, mas árduo amante da natureza.

Com a ajuda de especialistas integrantes do grupo Identificação Botânica, no Facebook, as vegetações vêm sendo identificadas, assim como os fungos vem sendo identificados por integrantes do grupo Cogumelos do Brasil,  além de pesquisas feitas pelo próprio blogueiro.

As fotos são de autoria de Helcio Granato Menezes.

Imagens protegidas pela Lei de Direito Autoral (Lei Nº 9.610, de 1998) - proíbe cópia e reprodução sem autorização expressa do autor. 


2. Resumo das espécies identificadas ou parcialmente identificadas

Família/Espécie
Painel
Família/Espécie
Painel
Família/Espécie
Painel
01.  Acanthaceae

53. Cecropiaceae

109. Melastomataceae

01.01 Thumbergia alata (Amarelinha)
1
53.01 Embaúba, árvore-da-preguiça, designação comum de várias espécies de árvores, principalmente do gênero Cecropia
53
109.01 Tibouchina heteromalla (Orelha de onça)
109
01.02 Thumbergia alata (Suzana dos Olhos Negros)
1
53.02 Cecropia hololeuca (Embaúva Prateada)
* e 53.1
109.02 Aechmea distichantha (Quaresmeira) ou Tibouchina mutabilis (Manacá da serra) ?
109
01.03 Thumbergia grandiflora
1.1


109.03 Miconia prasina DC (?)
109
01.04 Ruellia elegans Poir
1.1


109.04 Canela de velho, Leandra sp.
109.1
01.05 Ruellia sp. (Ruellia solitária)
1.1






55. Commelinaceae





55.01 Commelina obliqua
55




55.02 Commelina benghalensis
55
113. Moraceae

02. Achariaceae

55.03 Commelina erecta (ou diffusa) ?
55
113.01 Ficus sp.
113
02.01 Carpotroche brasiliensis (Sapucainha)
2
55.04 Dichorizandra thyrsiflora (Cana de macaco, Gembibre azul)
55
















57. Convolvulaceae

117. Myrtaceae

03. Alimastaceae

57.01 Ipomea alba (Boa noite)
57
117.01 Myrcia guianensis
117
03.0Hydrocleys nymphoides (Papoula d'água)
3
57.02 Ipomea purpurea (L)
57
117.02 Myrcia sp.
117.1


57.03 Ipomoea aff. sericophylla Meisn.
57.1




57.04 Ipomoea cairica (L)
57.1




57.05 Ipomoea nil
57.1 e 57.2


04. Amaryllidaceae

57.06 Merremia
57.2
121. Nyctaginaceae

04.01 Crinum sp. (provavelmente C. scabrum)
4
57.07 Distimake cissoides (Lam.) (Syn – Merremia cisssoides)
57.2
121.01 Bougaivillea glabra
121


57.08 Camonea umbellata L. AR (Simões & Staples)
57.2
121.02 Bougaivillea spectabilis
121.1


57.09 Convolvulus arvensis L.
57.3




57.10 Ipomea ederifolia
57.3


05. Anacardiaceae





05.01 Schinus terebinthifolius (Aroeira ou pimenta rosa)
5


125. Nympaeaceae





125.01 Nympaea caerulea
125


61. Costaceae





61.01 Costus spicatus (Caninha do brejo)
61


09. Annonaceae





09.01 Xylopia brasiliensis
9


129. Passifloraceae





129.01 Mimosa sp, Passiflora sp.
129


65. Cucurbitaceae

129.02 Passiflora edulis (Maracujá azedo)
129.1


65.01 Gurania sp.
65
129.03 Passiflora kermesina
129.2
13. Apocynaceae

65.02 Cayaponia sp. (Taiaiá)
65.1
129.04 Passiflora alata (maracujá-doce)
129.3
13.01 Allamanda cathartica L R
13
65.03 Mormodica charantia (Melão de São Caetano)
65.1


13.02 Alamanda (gênero)
13




13.03 Tabernaemontana laeta
13.1




13.04 Aspidoperma spruceanum  (Peroba) ?
13.2


133. Piperaceae

13.05 Tabernaemontana laeta
13.3
73. Euphorbiaceae

133.01 Piper sp.
133


73.01 Croton floribundus (Capixingui)
73




73.02 Mabea fistulifera (Canudo de pito)
73.1








17. Araceae



134. Poaceae

17.01 Anthurium sp.
17


134.01.Parodiolyra micrantha (Bambu de herbáceo)
134
17.02 Pothus aureus (?) (Jibóia)
17.1
77. Fabaceae





77.01 Anadenanthera macrocarpa (Angico vermelho)
77, 77.1 e 77.2




77.02 Andira antthelmia  (Angelim amargoso, angelim de morcego, angelim pedra)
77.3




77.03 Andira Legalis (Angelim côco)
77.4
135. Polygonaceae

21. Araliaceae

77.04 Canavalia sp.
77.5
135.01 Antigonon leptopus (Amor agarradinho)
135
21.01 Dendropanax cuneatus
21
77.05 Centrosema sp.
77.5




77.06 Centrolobium tomentosum (Araribá)
77.6




77.07 Clitoria fairchildiana (Sombreiro)
77.7




77.08 Confere Peltophorum dubium
77.8
137. Ranunculaceae

25. Asteraceae

77.09 Delonix regia (Acácia rubra, Flamboyant)
77.9, 77.10 e 77. 11
137.01 Clematis sp.
137
25.01 Asteraceae
25
77.10 Erythrina sp. (Erythrina verna Vell ou Erythrina falcata) (Mulungu ou Muchoco)
77.12 e 77.13


25.02 Sphagneticola sp.
25
77.11 Erythrina speciosa (Mulungu do litoral)
77.14


25.03 Centratherum punctatum (Balainho de velho)
25
77.12 Gliricidia sepium (Mãe do cacau)
77.15


25.04 Bidens sp.
25.1
77.13 Machaerium hirtum (Jacarandá de espinho)
77.16
141. Rosaceae

25.05 Zinnia elegans ou Tithonia speciosa (Flor capitão)
25.2
77.14 Macroptilium sp.
77.17
141.01 Rubus rosifolius (Amora silvestre)
141
25.06 Chromolaena, parece C. odorata
25.3
77.15 Macroptilium antropurpureum ou bracteatum
77.17


25.07 Senecio sp.
25.4
77.16 Mimoso bimucromata (Maricá)
77.18




77.17 Schizolobium parahyba (Guapuruvú, Ficheiro)
77.19




77.18 Senna alata
77.20
145. Rubiaceae



77.19 Senna macranthera
77.21 e 77.22
145.01 Rubiaceae (?) ou Myrtaceae (?)
145
26. Asclepidaceae

77.20 Senna multijuga (Pau cigarra)
77.23
145.02 Palicourea marcravii
145.1
26.1 Asclepias curassapica (Cambará flor, Erva de rato)
26
77.21 Inga vera (ou edulis) (?) (Ingazeiro)
77.24
145.03 Genipa americana (Genipapo)
145.2


77.22 Andira sp.
77.25
145.04 Psichotria deflexa
145.3




145.05 Psichotria (?)
145.4






29. Bignoniaceae





29.01 Arrabidaea samydoides ou Amphilophium sp.(?)
29
81. Fungo/Cogumelo

149. Rutaceae

29.02 Fridericia sp.
29.1
81.01 Macrolepiota sp. ou Chlorophyllum ou Leucoagaricus (?)
81
149.01 Esenbeckia grandiflora (Pau de cutia)
149
29.03 Handroanthus chrysotrichu (Ipê amarelo cascudo)
29.2
81.02 Cubensis
81


29.04 Jacaranda puberla cham
29.3
81.03 Daedalea
81


29.05 Jacaranda sp.
**, 29.4 e 29.5 
81.04 Favolous tenuiculus
81


29.06 Pyrostegia venusta (Cipó de São João)
29.6
81.05 Lentinus crinitus
81.1
153. Sapindaceae

29.07 Tecoma stam (Ypê de jardim) - planta exótica
29.7
81.06 Lepiota sp.
81.2
153.01 Cardiospermum (gênero)
153
29.08 Jacaranda mimosifolia (Jacarandá mimoso)
29.8
81.07 Leucocoprinus aff Birnbaumii
81.2
153.02 Serjania sp. (Cipó timbo)
153


81.08 Panaeolus antillarum
81.2




81.09 Panaeolus cyanescens
81.2




81.10 Phellinotus piptadeniae (Orelha de pau)
81.3


33. Boraginaceae

81.11 Pycnoporus sanguineus
81.4
161. Siparunaceae

33.01 Boraginaceae, cordia (?)
33
81.12 Lepiota sl ou Leucoagaricus (?)
81.4
161.01 Siparuna sp.
161
33.02 Cordia sp.
33
81.13 Coprinopsis
81.4


33.03 Cordia sp.
33.1
81.14 Boletinus rompellii
81.4


33.04 Cordia superba Cham (Bába de boi)
33.2
81.15 Fuscoporia cf. gilva
81.5


33.05 Cordia trichotoma (Louro da serra)
33.3
81.16 Psilocybe cubensis sp.
81.5 e 81.6
165. Solanaceae



81.17 Calvatia sp.
81.5
165.01 Solanum aculeatissimum (Arrebenta cavalo)
165




165.02 Solanum alternopinatum (?) (Juquirioba)
165




165.03 Solanum capsicoides (Juá vermelho)
165
37. Bromeliaceae



165.04 Brunfelsia sp. (Manacá de cheiro)
165.1
37.01 Aechmea bromeliifolia
37
85. Heliconiaceae

165.05 Solanum lycocarpum (Lobeira)
165.2
37.02 Billbergia porteana ou B. zebrina
37.1
85.01 Heliconia episcopalis Vell (?)
85
165.06 Solanum paniculatum (Jurubeba)
165.3
37.03 Billbergia porteana ou B. zebrina
37.2


165.07 Browallia americana
165.4
37.04 ?
37.2


165.08 Solanum cernuum panaceia ou similar
165.4
37.05 ?
37.2




37.06 Aechmea districhantha
37.3
89. Lamiaceae



37.07 Tilandsia gardneri (Barba de velho)
37.3
89.01 Salvia coccinea
89


37.08 ?
37.3
89.02 Aegiphila selowiana (Pau de tamanco)
89
169. Trigoniaceae

37.09 ?
37.3


169.01 Cipó Paulinia trigona (?)
169
37.10 ?
37.4


169.02 Paulinea sp.
169
37.11 ?
37.5






93. Lauraceae





93.01 Ocotea (gênero)
93






173. Turneraceae

41. Cactaceae



173.01 Turnera sp. (Flor do guarujá)
173
41.01 Rhipsalis sp.
41




41.02 ?
41.1
97. Lecythidaceae



41.03 Brasiliopuntia brasiliensis
41.2
97.01 Cariniana legalis (Jequitibá rosa)
97, 97.1 e 97.2




97.02 Lecythidaceae (Sapucaia)
97.3
177. Urticaceae





177.01 Urera baccifera (Urtigão)
177






45. Campanulaceae





45.01 Centropogon cornutus
45
101. Leguminosae



45.02 Siphocampylus
45
101.01 Enterolobium contortisiliquum (Orelha de macaco)
101
181. Verbenaceae



101.02 Piptadenia gonoacantha (Pau jacaré)
101.1
181.01 Lantana trifolia
181




181.02 Lantana camara
181.1 e 181.2




181.03 Petrea subserrata (Viuvinha)
181.3
49. Cannabaceae





49.01 Trema micranta (Pau-pólvora, Periquiteiro)
49
105. Malvaceae





105.01 Ceiba speciosa (Paineira rosa)
105




105.02 Pachira aquática (Monguba, Falso cacau)
105.1
185. Violaceae



105.03 Luehea divaricata Mart..; Tiloideae (Açoita-cavalo)
105.2
185.01 Anchietea sp. (Cipó suma)
185
51. Cannaceae





51.01 Canna limbata (Birí silvestre)
51
















+




+

* Foto 9 do item 4. **Fotos 10 e 11 do item 4.


3. Localização geográfica das espécies observadas

Fonte: Google Imagens


.
- Linha tracejada em branco - área do município de Miracema;
- Área em tom verde diferente tracejada por linha amarela - IBA Laranjal/Miracema, que abrange parte dos municípios de Laranjal, Muriaé, Barão do Monte Alto e Palma, em Minas Gerais, e Laje do Muriaé e Miracema, no RJ. Na parte do IBA Laranjal/Miracema compreendida em território do município de Miracema localizam-se a APA Miracema e o RVS da Ventania. Nesta área foram tiradas a maioria das fotos abaixo.
- A Mata do Conde localiza-se exatamente onde tem a placa RJ-188 e a Mata da Liberdade na mesma direção à direita, depois da RJ-116.
Obs.: a denominação Conde citada nesta página no rodapé dos painéis com fotos abrange também a área posterior até as divisas com Santo Antônio de Pádua e Minas Gerais.


4. Fotos de matas e árvores dos locais de observação


1 e 2 - Panorâmicas das árvores de mata na APA Miracema. As árvores de copa roxa na segunda foto são Jacaranda sp. Em 18/03/2014 (1ª foto) e 08/04/2014 (2ª foto).

 

3 e 4 - Panorâmicas da Serra de Santo Antônio, no RVS da Ventania. A primeira foto mostra o pico da Serra de Santo Antônio (860 m de altitude) encoberto por neblina. No meio do pico da Serra tem um marco da divisa RJ/MG (foto menor dentro da segunda foto). Fotos tiradas em 25/06/2011 e 12/10/2015, respectivamente. 


5, 6 e 7 - A árvore em destaque nas fotos 5 e 6 é um  Jequitibá-rosaCariniana legalis, RVS da Ventania, em 29/11/2016. A foto 7 foi feita no RVS da Ventania, em 10/10/2015.


8 - RVS da Ventania, em 06/11/2015.  A árvore em destaque parece sapucaia, Lecythidaceae.


9 - As árvores de copa prateada são da espécie Embaúva Prateada (Cecropia hololeuca) Esta embaúva encontra-se quase ameaçada de extinção. RVS da Ventania, em 12/11/2015.


10 e 11 - Jacarandá, Jacaranda sp. RVS da Ventania, em 01/07/2017 e 05/09/2017, respectivamente.


12 - Mata do Conde, em 13/10/2016. A árvore de copa azul é Jacaranda sp. e a de parte da copa avermelhada é Sapucaia (Lecythidaceae).


13 - Cachoeira da Cara, localizada dentro de mata na Ventania de Cima (RVS da Ventania). Em 04/02/2016.
Obs.: não é aconselhável que seja visitada por pessoas que não conheçam bem o local, visto que muito próximo da cachoeira tem corredeira sobre lajeado, com limo, que escoa em precipício de uns 40 m.


14, 15 e 16 - Cachoeira da Serra de Santo Antônio, no RVS da Ventania.. Extensão de uns 60 m de altura e plenamente visível somente no período chuvoso do ano. Em 19/12/2015, 20/12/2016 e 20/12/2016, respectivamente.


17 - Jequitibá-rosa, Cariniana legalis (em revisão, Kuntze, 1898, e Von Martius, 1837), Lecythidaceae. Árvore centenária encravada no meio de mata na Ventania de Cima (RVS da Ventania). Em 21/11/2010.


18 - Angico-vermelho, Anadenanthera macrocarpa. Conjunto de angicos-vermelhos enormes, de muitas ramificações, no meio de mata na APA Miracema. O angico-vermelho é uma das árvores mais comuns em Miracema. Foto tirada em 17/12/2015.


19 e 20 - Árvores não identificadas na APA Miracema, em 26/02/2014.


5. Painéis com fotos das espécies identificadas ou parcialmente identificadas

01.  Acanthaceae


1
01.01 Amarelinha, Thumbergia alata. Fotos 1 e 2RVS da Ventania, em 16/05/2018; e
01.02 Suzana dos Olhos NegrosThumbergia alata. Fotos 3 e 4. Variedade de flores brancas família Acanthaceae: gervão ( Stachytarpheta). RVS da Ventania, em 29/11/2016 e 01/07/2017.

1.1
01.03 Thumbergia grandiflora (?). Conde, em 03/08/2017;
01.04 Ruellia elegans Poir. Mata da Fazenda Liberdade, em 16/10/2107; e
01.05 Ruellia sp. (Ruelia solitária). APA Miracema, em 07/08/2016.

02. Achariaceae


2
02.01 Sapucainha, Carpotroche brasiliensis. APA Miracema, em 02/05/2016.

03. Alimastaceae


03
03.01 Papoula d'áqgua, Hydrocleys nymphoides. Conde, em 04/11/2017.

04. Amaryllidaceae


4
04.01 Crinum (provavelmente C. scrabum). Conde, em 17/11/2014.

05.  Anacardiaceae


5
05.01 Aroeira ou pimenta rosaSchinus terebinthifolius.
1 - Estrada Miracema-Paraíso do Tobias, em 30/06/2017;
2 - Estrada Miracema-Paraíso do Tobias, em 19/12/2016;
3 - Estrada Miracema-Paraíso do Tobias, em 23/05/2017; e
4 - Estrada Miracema-Paraíso do Tobias, em 30/06/2017.

09. Annonaceae


9
09.01 Xylopia brasiliensis. Mata do Conde, em 24/09/2016.

13. Apocynaceae


13
13.01 Alamandatambém conhecida como dedal-de-dama, Allamanda cathartica L. RVS da Ventania, em 02/02/2016; e
13.02 Alamanda (gênero). Conde, em 03/08/2017;


13.1
13.03 Tabernaemontana laeta.
1, 2 e 3 - RVS da Ventania, em 13/03/2017; e
4 - RVS da Ventania, em 19/04/2018.


13.2
13.04 Peroba, Aspidoperma spruceanum (?). Mata do Conde, em 20/05/2016. Em perigo crítico de extinção.

13.3
13.05 Tabernaemontana laeta. RVS da Ventania, em 18/10/2017.

17. Araceae


17
17.01 Anthurium sp
1 - RVS da Ventania, em 12/10/2015;
2 e 3 - RVS da Ventania, em 29/09/217; e
4 - RVS da Ventania, em 29/09/2017.


17.1
17.02 JibóiaPothus aureus (?). Mata do Conde, em 16/10/2017.

21. Araliaceae


21
21.01 Dendropanax cuneatus. Mata do Conde, em 30/07/2016. O pássaro se alimentado da fruta é um araçari-de-bico-branco.

25. Asteraceae


25
25.01 Asteraceae. Foto 1. APA Miracema, em 23/02/2016;
25.02 Sphagneticola sp. Foto 2. APA Miracema, em 09/12/2012; e
25.03 Balainho de velhoCentratherum punctatum. Fotos 3 e 4. Conde, em 03/08/2017;

25.1
25.04 Bidens sp. (?).  RVS da Ventania, em 22/04/2017.


25.2
25.05 Flor-capitão, Zinnia elegans, ou Tithonia speciosa.
1 - Conde, em 12/10/2016. A borboleta é uma Dynamine athemon;
2 - Conde, em 20/11/2016. A borboleta é uma Anathia amathea; e
3 - Conde, em 20/11/2016. A borboleta é uma Anartia jatrophae.


25.3
25.06 Chromolaena, parece C. odorata
1 - RVS da Ventania, em 02/04/2018; e
2, 3 e 4 - Conde, em 05/2018.


25.4
25.07 Senecio sp. RVS da Ventania, em 21/06/2018.

26. Asclepiadaceae


26
1 e 2 - Cambará flor, Erva de rato, Asclepias curassavica. RVS da Ventania, em 19/04/2018. É letal para bovinos, principalmente quando eles se movimentam/correm após ingestão, no confinamento é menos problemática segundo estudos.

29. Bignoniaceae


29
29.01 Arrabidaea samydoides ou Amphilophium sp. (?)APA Miracema, em 07/02/2014


29.1
29.02 Fridericia sp. Mata do Conde, em 05/05/2016. 

29.2
29.03 Ipê-amarelo-cascudoHandroanthus chrysotrichu. 
1 - APA Miracema, em 12/08/2012;
2 - APA Miracema, em 20/08/2014. O pássaro é um beija-flor-preto;
4 - APA Miracema, em 21/08/2014. O pássaro é um beija-flor-de-fronte-violeta;
3 - APA Miracema, em 12/08/2012. O pássaro é um rabo-branco-rublo;
4 - RVS da Ventania, em 07/09/2017. O pássaro é um beija-flor-de-peito-azul; e
6 - RVS da Ventania, em 07/09/2017. O pássaro é um beija-flor-de-peito-azul.

29.3
29.04 Jacaranda puberla cham.
1 - RVS da Ventania, em 29/08/2016;
2 - APA Miracema, em 15/03/2016; e
3 - RVS da Ventania, em 17/03/2016.

29.4
29.05 JacarandáJacaranda sp.
1 - Mata do Conde, em 24/09/2016;
2, 3, 4, 5 e 6 - Mata do Conde, em 22/09/2016;

29.5
29.05 Jacarandá, Jacaranda sp.
1 - APA Miracema, em 07/09/2017; e
2 e 3 - APA Miracema, em 10/09/2017.

29.7
29.06 Cipó-de-São João, Pyrostegia venusta.  
1 e 2 - APA Miracema, em 26/08/2016; e
3 - APA Miracema, em 20/08/2014. O pássaro é um rabo-branco-rublo.

29.8
29.07 Ypê-de-jardim, Tecoma stam  (planta exótica).
1 - APA Miracema, em 19/09/2012. O pássaro é um sanhaçu-cinzento;
2 - APA Miracema, em 03/09/2013. O pássaro é um beija-flor-de-fronte-violeta;
3 - APA Miracema, em 09/09/2012. O pássaro é uma cambacica; e
4 - APA Miracema, em 22/08/2013. O pássaro é um beija-flor-de-peito-azul.

29.9
29.08 Jacarandá mimosoJacaranda mimosifolia. Mata do Conde, em 16/10/2017.

33. Boraginaceae


33
33.01 Cordia (?). APA Miracema, em 23/02/2016; e
33.02 Cordia sp. APA Miracema, em 07/08/2016;

33.1
33.03 Cordia sp. RVS da Ventania, em 19/09/2016. O pássaro é uma sabiá-do-campo.

33.2
33.04 Bába-de-boiCordia superba Cham.  
1 - Conde, em 13/09/2016;
2 - Conde, em 16/09/2016;
3 e 4 - Conde, em 05/06/2012. O pássaro é um maracanã-verdadeiro; e
5 - Conde, em 16/09/2016.
Obs.: a numeração neste painel é na vertical da esquerda para direita.

33.3
33.05 Louro-da-serra, Cordia trichotoma (Vell.). Conde, em 15/07/2017.

37. Bromeliaceae


37
37.01 Aechmea bromeliifolia.
1 - RVS da Ventania, em 25/04/2017; 
2 - RVS da Ventania, em 17/03/2016. O pássaro é um beija-flor-de-fronte-violeta, macho; e
3 - RVS da Ventania, em 10/07/2016; 
4 - RVS da Ventania, em 30/03/2017.


37.1
37.02 Billbergia porteana ou B. zebrina
1 e 2 - APA Miracema, em 09/02/2014;
3 - RVS da Ventania, em 12/10/2015; e
4 - RVS da Ventania, em 20/12/2015.


37.2
37.03 Billbergia porteana ou B. zebrina. APA Miracema, em 26/06/2014;
37.04 ?. RVS da Ventania, em 12/10/2015; e
37.05 ? Mata do Conde, em 18/10/2015.

37.3
37.06 Aechmea distichantha (?). RVS da Ventania, em 12/10/2015; 
37.07 Barba-de-velho, Tillandsia strictaAPA Miracemaem 20/08/2014;
37.08 ?.  RVS da Ventania, em 25/05/2018; e
37.09 ?.  RVS da Ventania, em 29/11/2015.

37.4
37.10 ?. Conde, em 20/05/2018.

37.5
37.11 ?. RVS da Ventania, em 21/06/2018.

41. Cactaceae


41
41.01 Rhipsalis sp. RVS da Ventania, em 13/09/2013. O pássaro é um gaturamo-verdadeiro, fêmea.

41.1
41.02 ?. RVS da Ventania, em 25/05/2018 (fotos 1 e 2) e Conde, em 21/05/2018 (fotos 3 e 4), respectivamente. Os pássaros são Filipe e Tiê-sangue (fêmea).

41.2
41.03 Brasiliopuntia brasiliensis. RVS da Ventania, em 21/06/2018.

45. Campanulaceae


45
45.01 Centropogon cornutus. RVS da Ventania, em 27/08/2016; e
45.02 Siphocampylus. RVS da Ventania, e, 21/04/2018.

49. Cannabaceae


49
49.01 Trema micranta. APA Miracema, em 10/03/2015. O pássaro é uma figuinha-de-rabo-enferrujado, jovem.

51. Cannaceae


51
51.01 Birí silvestre, Canna limbata.
1 - Conde, em 18/02/2018;
2 - Conde, em 01/05/2016;
3 - Conde, em 21/04//2018; e
4 - Conde, em 21/04//2018.

53. Cecropiaceae


53
53.01 Embaúbaárvore-da-preguiça, imbaúba, umbaúvaEmbaúba é a designação comum de várias espécies de árvores, principalmente do gênero CecropiaMuito comum em Miracema. 
1 - APA Miracema, em 06/08/2015. O pássaro é uma cambacica;
2 - APA Miracema, em 01/07/2014. O pássaro é um tiê-sangue, fêmea;
3 - APA Miracema, em 02/08/2016;
4 - APA Miracema, em 26/08/2016;
5 - APA Miracema, em 15/03/2012. O pássaro é um saí-azul, fêmea;
6 - APA Miracema, em 08/04/2014. O pássaro é um saí-andorinha, fêmea;
7 - APA Miracema, em 26/08/2016; e
8 - APA Miracema, em 18/03/2014. O pássaro é um sanhaçu-do-coqueiro.


53.1
53.02 Embaúba prateada, Cecropia hololeuca. RVS da Ventania, em 12/11/2015. Encontra-se quase ameaçada de extinção. 

55. Commelinaceae


55
55.01 Commelina obliqua Vahl. RVS da Ventania, em 01/02/2016;
55.02 Commelina benghalensis L. RVS da Ventania, em 21/04/2018;
55.03 Commelina erecta (ou diffusa) ?. Conde, em 27/06/2018; e
55.04 Cana de macaco, Gengibre azul, Marianinha , Dichorisandra thyrsiflora. APA Miracema, em 03/02/2014.

57. Convolvulaceae


57
57.01 Boa-noiteIpomea alba. Fotos 1 e 2. Conde, em 25/11/2016 e 05/08/2017, respectivamente; e
57.02 Ipomea purpurea (L.) (Roth). Fotos 3 e 4. RVS da Ventania, em 17/03/2016. São flores grandes, de cerca 15 cm de diâmetro.

57.1
57.03 Ipomoea aff. sericophylla Meisn. Foto 1. Conde, em 20/05/2016;
57.04 Ipomoea cairica (L.) Sweet. Fotos 2 e 3. APA Miracema, 10/01/2016; e
57.05 Ipomoea nil. Foto 4. APA Miracema, em 01/04/2018.

57.2
57.05 Ipomoea nil. APA Miracema, em 16/02/2013;
57.06 Merremia (?)RVS da Ventania, em 25/04/2017;
57.07 Distimake cissoides (Lam.) A.R. Simões & Staples (syn - Merremia cissoides). Conde, em 19/04/2018; e
57.08 Camonea umbellata L. AR (Simões & Staples). Conde, em 23/04/2018.

57.3
57.9 Convolvulus arvensis L. RVS da Ventania, em 16 05 2018; e
57.10 Ipomea hederifolia. RVS da Ventania, em 25/052018.

61. Costaceae


61
61.01 Caninha-do-brejoCostus spicatus, Costaceae - antes em Zingiberaceae.
1 - APA Miracema, em 04/01/2015; e
2 - APA Miracema, 30/03/2018.

65. Cucurbitaceae


65
65.01 Gurania sp. APA Miracema, em 08/01/2016. A borboleta que poliniza a flor é uma borboleta-castanha-vermelha (Heliconius erato phillis).


65.1
65.02 Taiaiá, Cayapomia sp. (?). Fotos 1 e 2. RVS da Ventania, em 28/09/2017; e
65.03 Melão de São Caetano, Mormodica charantia. Fotos 3 e 4Conde, em 30/03/2018.

73. Euphorbiaceae


73
73.01 Capixingui, Croton floribundusMata do Conde, em 05/01/2016. Nativa, planta pioneira. O pássaro é um chauá.


73.1
73.02 Canudo-de-pitoMabea fistulifera. Mata do Conde, em 10/07/2016 e 30/07/2016, respectivamente (fotos 1 e 2) e 29/05/2018 (fotos 3 e 4).

77. Fabaceae


77
77.01 Angico-vermelhoAnadenanthera macrocarpa. O angico-vermelho é uma das árvores mais comuns em Miracema.
1 - APA Miracema, em 17/12/2015.
2 - Mata do Conde, em 29/09/2014. Casal de sovi acasalando.
3 - Mata do Conde, em 23/11/2014. O pássaro é um sovi alimentando o filhote (o sovi não é dispersor);
4 - Mata do Conde, em 23/11/2014. O pássaro é um sovi, filhote. O sovi é predador;

77.1
77.01 Angico-vermelhoAnadenanthera macrocarpa. 
1 - APA Miracema, em 01/03/2014. O pássaro é um araçari-de-bico-branco;
2 - APA Miracema, em 01/03/2014. O pássaro é um casal de periquitão-maracanã;
3 - APA Miracema, em 03/08/2013. O pássaro éum tiê-preto,  macho;
4 - APA Miracema, em 12/10/2013. O pássaro é um gavião-bombachinha;
5 - APA Miracema, em 08/01/2014. Os pássaros são caracará, um jovem e outro adulto;
6 - Conde, em 21/12/2015. O pássaro é um chauá;
7 - Conde, em 25/09/2016. O pássaro fazendo ninho é um guaxe;
8 - Conde, em 21/12/2015. O pássaro é um martim-pescador-grande;
9 - Conde, em 22/09/2016. O pássaro é um sanhaçu-cinzento;
10 - APA Miracema, em 26/06/2014. O pássaro é uma maitaca-verde; e
11 - APA Miracema, em 28/06/2014. O pássaro é um picapauzinho-de-testa-pintada, fêmea.
12 - APA Miracema, em 04/08/2013. O pássaro é um martim-pescador-grande;
13 - Conde, em 22/09/2016. O pássaro é um guaxe; e
14 - APA Miracema, em 12/11/2011. O pássaro é uma corruíra.

77.2
77.01 Angico-vermelhoAnadenanthera macrocarpa. Mata do Conde, em 16/10/2017. Florescimento intenso devido ao calor e estiagem fora do normal.

77.3
77.02 Angelim-amargoso, angelim-de-morcego, angelim-pedraAndira antthelmia.
1 - Conde, em 13/09/2016;
2 - Conde, em 26/08/2016. O pássaro é um besourinho-de-bico-vermelho, fêmea;
3 - Conde, em 21/12/2015;
4 - Conde, em 26/08/2016;
5 - Conde, em 11/09/2016;
6 - Conde, em 26/08/2016. O pássaro é um besourinho-de-bico-vermelho, fêmea; e
6 - Conde, em 26/08/2016.

77.4
77.03 Angelim-côco, Andira Legalis (Vell). 
1  e 2 - Conde, em 11/09/2016; e 
3 - Conde, em 10/01/2012. O pássaro é um curutiê.
Obs.: a árvore localiza-se próxima da fronteira ou já em Santo Antônio de Pádua.

77.5

77.04 Canavalia sp. Fotos 1 e 2: Conde, em 01/05/2016 e 02/05/2016, respectivamente; e
77.05 Centrosema sp. Fotos 3 e 4: Conde, em 01/05/2016 e 05/05/2016, respectivamente. Fotos 5 e 6: RVS da Ventania, em 16/05/2018.


77.6
77.06 Araribá, Centrolobium tomentosum (?). Mata do Conde, em 24/09/2016.

77.7
77.07 Sombreiro, Clitoria fairchildiana.
1 - RVS da Ventania, em 20/12/2016;
2 - RVS da Ventania, em 20/12/2016;
3 - RVS da Ventania, em 11/02/2017; e
4 - Conde, em 17/12/2016. 

77.8
77.08 Confere Peltophorum dubium. RVS da Ventania, em 01/04/2017.

77.9
77.09 Acácia-rubra, FlamboyantDelonix regia. Na Serra de Santo Antônio (Ventania de Cima e RVS da Ventania),  em 20/12/2015. Tombada pela força do vento com raiz e tudo, mas se reergueu com o reflorescimento de diversos galhos nascidos na vertical a partir do tronco tombado no chão.

77.10
77.09 Outra Delonix regia (Acácia-rubra, Flamboyant) também na Serra de Santo Antônio derrubada pelo vento, mas que também se reergueu. RVS da Ventania, em 10/01/2016.

77.11
77.09 Outro FlamboyantDelonix regia. Conde, em 04/11/2017.

77.12
77.10 Mulungu ou Muchoco, Erythrina sp. (Erythrina verna Vell ou Erythrina falcata). As flores que brotam na primavera são muito apreciadas por diversos pássaros. Tais flores são consideradas um excelente calmante.
1 e 2 - APA Miracema, em 26/03/2016;
3 - APA Miracema, em 12/08/2015. O pássaro é um beija-flor-preto, jovem;
4 - APA Miracema, 24/08/ 2013. O pássaro é um periquitão-maracanã;
5 - APA Miracema, em 06/08/2013. O pássaro é uma maitaca-verde; e
6 - APA Miracema, em 26/08/ 2016.

77.13
77.10 Mulungu ou Muchoco, Erythrina sp.(Erythrina verna Vell ou Erythrina falcata).  
Pássaros:
1 - Periquitão-maracanã. APA Miracema, em 26/08/2016;
2 - Beija-flor-de-orelha-violeta. APA Miracema, em 10/09/2014;
3 - Guaxe. APA Miracema, em 26/08/2014;
4 - Beija-flor-tesoura. RVS da Ventania, em 27/08/2016.
5 - Beija-flor-de-peito-roxo. APA Miracema, em 26/08/2014;
6 - Beija-flor-tesoura. RVS da Ventania, em 27/08/2016;
7 - Graúna ou Melro. RVS da Ventania 27/08/2016; e
8 - Saíra-amarela. APA Miracema, em 30/08/2016.


77.14
77.11 Mulungu do litoral, Erythrina speciosa. É uma árvore baixa, nativa da Mata Atlântica, ela aprecia a umidade, vegetando bem em terreno brejosos, à beira de rios e no litoral.
1 - Conde, 20/02/2018;
2 - Conde, 21/04/2018;
3 - Conde, em 26/08/2016; e
4 - Conde, em 07/08/2016O pássaro é um beija-flor-tesoura.

77.15
77.12 Mãe do cacau, Gliricidia sepium. Encontrada no RVS da Ventania, mas originária do México e da América Central. A Gliricidia, conhecida também como Maraton, é uma leguminosa arbórea, faz fixação biológica de nitrogênio. As folhas aceleram a maturação de bananas e as flores são uma fonte profusa de pólen e néctar para abelhas, com valor considerável na apicultura comercial e podem ser usadas na alimentação animal. Sem contar a fonte de nitrogênio se usada como forragem. As sementes são boas para controle de roedores. Link para um excelente estudo da Embrapa sobre a utilização da Gliricidia como moirão vivo .
1 - RVS da Ventania, em 17/03/2016;
2 - RVS da Ventania, em 10/10/2015;
3 - RVS da Ventania, em 17/03/2016; e
4 - RVS da Ventania, em 10/10/2015. O pássaro é um beija-flor-cinza.

77.16
77.13 Jacarandá-de-espinhoMachaerium hirtumAPA Miracema, em 15/03/2016. Pioneira, ótima para recuperação de áreas degradadas e floração muito ornamental.

77.17
77.14 Macroptilium sp. Conde, em 01/05/2016; e
77.15 Macroptilium bracteatum. Conde, em 23/04/2018.

77.18
77.16 Maricá, Mimosa bimucronata. APA Miracema, em 02/03/2016.

77.19
77.17 Guapuruvú, ficheiroSchizolobium parahyba (Vell.) (Blake). Pode atingir 30 m de altura. Saiba mais aqui.
1 - RVS da Ventania, em 27/08/2016. Guarapuvú ao lado de um mulungu desfolhado e iniciando a floração (árvore de copa vermelha);
2 - RVS da Ventania, em 08/09/2014. O pássaro é um guaxe;
3 - RVS da Ventania, em 13/04/2016;
4 - APA Miracema, em 08/08/2016;
5 - RVS da Ventania, em 13/04/2016;
6 - RVS da Ventania, em 27/08/2016. Sementes de guapuruvú, que ficam grudadas nos galhos.

77.20
77.18  Senna alataConde, em 03/02/2016 e 05/05/2016, respectivamente

77.21
77.19 Senna cf. macranthera. RVS da Ventania, em 01/04/2017;

77.22
77.19 Senna macranthera (?). Conde, em 03/06/2017.

77.23
77.20 Pau-CigarraSenna multijuga. RVS da Ventania, em 22/03/2016.

77.24
77.21 Ingazeiro, Inga vera ou Inga edulis. Conde, em 16/10/2017.

77.25
77.22 Andira sp. Mata do Conde, em 17/10/2017.

81. Fungo/Cogumelo


81
81.01 Macrolepiota sp. ou Chlorophyllum ou Leucoagaricus (?). APA Miracema, em 10/10/2014; 
81.02 Cubensis. Conde, em 26/11/2016;
81.03 Daedalea. RVS da Ventania, em 22/03/2016; e
81.04 Favolous tenuiculus. Mata do Conde, em 20/05/2016.


81.1
81.05 Lentinus crinitus. 
1 - RVS da Ventania, em 10/07/2016;
2 - Mata do Conde, em 22/09/2016;
7 - Mata do Conde, em 22/09/2016; e
Mata do Conde, em 22/09/2016;

81.2
81.06 Lepiota s.l. ou  um Leucoagaricus (?). APA Miracema, em 04/02/2016;
81.07 Leucocoprinus aff. birnbaumii. Sítio do Bode, em 01/02/2016;
81.08 Panaeolus antillarum. RVS da Ventania, em 19/03/2016; e
81.09 Panaeolus cyanescensVentania de Baixo, em 26/03/2016. São alucinógenos. Obs.: as identificações de espécies de fungos só por foto macroscópica não são precisas e é muito perigoso consumir fungos sem a identificação correta feita por um taxonomista micólogo. Embora haja espécies legais e gostosas, alguns cogumelos podem ser letais se consumidos;

81.3
81.10  Orelha-de-pauPhellinotus piptadeniae (família Hymenochaetaceae).
1 - APA Miracema, em 08/02/2016;
2 - APA Miracema, em 07/08/2016;
3 - APA Miracema, em 07/08/2016; e
4 - APA Miracema, em 21/08/2016;

81.4
81.11 Pycnoporus sanguineus. Conde, em 2/11/2016;
81.12 Lepiota sp. Mata do Conde, em 20/05/2016;
81.13 Coprinopsis. Conde, em 01/03/2016; e
81.14 Boletinellus rompelii . Conde, em 26/11/2016;

81.5
81.15 Fuscoporia cf. gilva. APA Miracema, 03/09/2017;
81.16 Psilocybe cubensis sp. APA Miracema, 30/03/2018; e
81.17 Calvatia sp. APA Miracema, 30/03/2018.

81.6
81.18 Psilocybe cubensis sp. RVS da Ventania, em 21/04/2018.

85. Heliconiaceae


85
85.01 Heliconia episcopalis Vell (?). APA Miracema, em 07/02/2014.

89. Lamiaceae


89
89.01 Salvia coccinea. Fotos 1 e 2. RVS da Ventania, em 01/04/2018 e 02/04/2017, respectivamente. O pássaro na foto 2 é um beija-flor-de-peito-azul; e
89.02 Pau-de-tamancoPau-de-papagaioAegiphila selowiana - Lamiaceae (antes em Verbenaceae). Foto 3 e 4. APA Miracema, em 23/02/2013.

93. Lauraceae 


93
93 01 Lauraceae ou Ocotea (gênero) (?). É uma árvore de uns 8 m.
1 e 2 - RVS da Ventania, em 27/08/2016;
3 - RVS da Ventania, em 19/03/2016. O pássaro é uma sabiá-una, fêmea;
4 - RVS da Ventania, em 17/03/2016. O pássaro é um sanhaçu-de-encontro-amarelo;
5 - APA Miracema, em 11/09/2012. O pássaro é um tiê-sangue, fêmea; e
6 - RVS da Ventania, em 17/03/2016. O pássaro é uma sabiá-una, macho.

97. Lecythidaceae


97
97.01 Jequitibá-rosaCariniana legalis (em revisão, Kuntze, 1898, e Von Martius, 1837), Lecythidaceae. RVS da Ventania, em 21/11/2010. Árvore de grande porte, 30 a 50 metros de altura. Folhas simples, lisas, 4 a 7 cm, floração discreta, quase imperceptivel. Fruto cápsula de 4 a 5 cm, que quando maduro solta a tampa liberando sementes aladas de 2 a 3 cm. As pessoas nas fotos: os amigos Norton "do Açougue" e Fernando "Chumbinho".

97.1
97.01 Outro jequitibá-rosa (C. legalis). Também muito grande, embora menor que o anterior. Nesta mesma área, de uns 500 m², tem cerca de 10 jequitás de tamanho razoável.
Fotos 1 e 3 - RVS da Ventania, em 29/09/2017; e
2 - RVS da Ventania, em 01/10/2017.

97.2
97.01 Outro jequitibá-rosa (C. legalis). RVS da Ventania, em 20/12/2016.

97.3
97.02 Sapucaia, Lecythidaceae.  A fruta da sapucaia, na forma de urnas, de casca dura e de aparência lenhosa, encerram uma boa quantidade de amêndoas comestíveis e muito apreciadas, que se espalham quando, um a um, os frutos amadurecem e, espontaneamente, seus opérculos se desprendem.
1 - APA Miracema, em 27/08/2015;
2 - Mata do Conde, em 12/10/2016;
3 - Conde, em 13/10/2016; e
4 - Mata do Conde, em 12/10/2016.

101. Leguminosae


101
101.01 Orelha-de-macaco, Enterolobium contortisiliquum, da família Leguminosae - MimosoideaeRVS da Ventania, em 10/07/2016 e 10/10/2015, respectivamente.

101.1
101.02 Pau-jacaré, Piptadenia gonoacantha. O pau-jacaré é a principal árvore hospedeira do fungo orelha-de-paufamília Hymenochaetaceae. Os fungos são responsáveis pela degradação de resíduos vegetais, e, também, fazem a reciclagem do nitrogênio, nutriente fundamental para as plantas. Além disso, em muitos casos, os fungos servem de antibióticos (a penicilina, descoberta por Alexander Fleming, em 1928, ainda é base para muitos medicamentos). Eles têm ainda vasta aplicação na gastronomia. 
1 - RVS da Ventania, em 29/08/2016;
2 - APA Miracema, em 07/08/2016;   
3 - APA Miracema, em 26/08/2016.
4 - APA Miracema, em 07/08/2016.
5 - APA Miracema, em 30/08/2016;
6 - APA Miracema, em 30/08/2016; 
7 - APA Miracema, em 21/08/2016;
8 - RVS da Ventania, em 08/02/2016; e
9 - APA Miracema, em 23/02/2012. O pássaro é um pica-pau-anão-barrado, macho.

105. Malvaceae


105
105.01 Paineira-rosa,  Ceiba speciosa.
1 - APA Miracema, em 17/03/2014;
2 - Fazenda União, em 10/07/2014. O pássaro/ninho são de japu;
3 - Conde, em 16/03/2014. O pássaro é um cauré (não é dispersor, é predador);
4 - Conde, em 13/09/2016; e
5 e 6 - APA Miracema, em 04/04/2015. O pássaro é um beija-flor-de-garganta-verde.

105.1
105.02 Monguba, Falso-cacauPachira aquática. RVS da Ventania, em 30/03/2017. Artigo caracterizando o óleo da semente para aproveitamento alimentar -  os autores dedicam alguns parágrafos às características organolépticas das sementes, apreciadas pelas populações amazônicas como alimento ( http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext... ); 

105.2
105.3  Açoita-cavalo, Luehea divaricata Mart.; Tilioideae. Mata do Conde, em 20/06/2018.


109. Melastomataceae


109
109.01 Tibouchina heteromalla. RVS da Ventania, em 20/12/2015;
109.02 - Manacá-da-serraTibouchina mutabilis, ou Quararesmeira, Aechmea distichantha,  (?). APA Miracema, em 17/04/2015; e
109.03 Miconia prasina DC. APA Miracema, em 13/01/2014.

109.1
109.04 Canela de velho, Buxuxu, Pixirica, Leandra sp. Mata do Conde, em 25/05/2018.

113. Moraceae


113
113.01 Ficus sp.
1 - RVS da Ventania, em 13/09/2016;
2 - APA Miracema, em 09/11/2011. O pássaro é um fim-fim;
3 - Mata do Conde, em 08/11/2011. O pássaro é um sabiá-barranco, jovem;
4 - APA Miracema, em 12/10/2015. O pássaro é um saí-azul, fêmea;
5 - APA Miracema, em 22/07/2014. O pássaro é um piolhinho; e
6 - Conde, em 13/10/2011. O pássaro é um araçari-de-bico-branco.

117. Myrtaceae


117
117.01 Myrcia guianensis (Aubl.) DC. RVS da Ventania, em 20/11/2016;

117.1
117.02 Myrcia sp. (?). Conde, em 24/09/2016.

121. Nyctaginaceae


121
121.01 Bougaivillea glabra. Nativa da América do Sul.
1 - Conde, em 13/09/2016. O Bougaivillea avançou sobre um ipê-amarelo;
2 - Conde, em 16/09/2016. O pássaro é um Myiarchus sp.;
3 - Conde, em 11/09/2016;
4 - APA Miracema, em 14/09/2016;
5 - Conde, em 11/09/2016; e
6 - APA Miracema, em 14/09/2016.


121.1
121.02 Bougaivillea spectabilis. Conde, em 18/05/2018.

125. Nympaeaceae

125
125.01 Nympaea caerulea. Originária do Egito, mas comumente encontrada nas lagoas de Miracema.
1 - RVS da Ventania, em 10/10/2015. O pássaro é uma marreca-de-bico-roxo, macho; 
2 - RVS da Ventania, em 29/08/2016. O pássaro é um mergulhão-pequeno; e
3 - RVS da Ventania, em 22/04/2017. Os pássaros são da espécie frango-d'água-azul.

129. Passifloraceae


129
129.01 Mimosa sp. Fotos 1: RVS da Ventania, em 16/05/2018. Foto 2 e 3: APA Miracema, em 12/04/2015. Foto 4: APA Miracema, em 08/01/2016.


129.1
129.02 Maracujá-azedo, Passiflora edulis - Passifloraceae. Miracema, em 20/11/2013. Nativo no BrasilO pássaro é um beija-flor-de-banda-branca.

129.2
129.03 Passiflora kermesina. 
1 - APA Miracema, em 05/04/2015;
2 - Mata do Conde, em 20/05/2016; e
3 e 4 - Conde, em 11/09/2016.

129.3
129.04 Maracujá-docePassiflora alata
1 e 2 - RVS da Ventania, em 05/09/2017; e
3 e 4 - RVS da Ventania em 01/09/2017.

133. Piperaceae


133
133.01 Piper sp. RVS da Ventania, em 04/02/2016.

134. Poaceae

134
134.01 Parodiolyra micranta (bambu herbáceo). Mata do Conde, em 29/05/2018.

135. Polygonaceae


135
135.01 Amor agarradinhoAntigonon leptopus . Conde, em 23/04/2018.

137. Ranunculaceae


137
137.01 Clematis spPlanta nativa, mesmo gênero das Clematis ornamentais. No RJ tem 4 espécies: http://floradobrasil.jbrj.gov.br/.../BemVindoConsultaPubl.... .
1 - RVS da Ventania, em 21/06/2018; e
2  e 3 - APA Miracema, em 22/07/2014.

141. Rosaceae


141
141.01 Morango silvestre, amora-do-matoRubus rosifolius.
1 e 2 - APA Miracema, em 20/08/2017. A borboleta na foto 2 é  Autochton sp. (possivelmente A. zarex); e
3 e 4 - APA Miracema, em 01/09/2017.

145. Rubiaceae


145
145.01 Rubiaceae (ou Myrtaceae) (?) . APA Miracema, em 03/03/2016.

145.1
145.02 Erva-de-ratoPalicourea aff. nitidella, P. marcravii. Mata do Conde, em 26/01/2018.

145.2
145.3 Genipapo, Genipa americana. Conde, em 20/02/2018.

145.3
145.4 Psichotria deflexa. Mata do Conde, em 25/05/2018.

145.4
145.5 Psichotria (?). Mata do Conde, em 25/05/2018.

149. Rutaceae


149
149.01 Pau de cutia, cutia amarela, Esenbeckia cf. grandiflora. Conde, em 27/11/2016;

153. Sapindaceae


153
153.01 Cardiospermum. APA Miracema, em 02/08/2016. Fotos 1 e 2;
153.02 Cipó-timbo, Serjania sp. (Sapindáceas). APA Miracema, em 27/08/2015. O pássaro é um beija-flor-roxo.

161. Siparunaceae


161
161.01 Siparuna sp
1 - RVS da Ventania, em 04/02/2016; e
2 e 3 - RVS da Ventania, em 22/04/2017. O pássaro é um saí-azul, macho.

165. Solanaceae


165
165.01 Arrebenta-cavaloSolanum aculeatissimumRVS da Ventania, em 19/03/2016. É uma espécie de juá bravo, venenoso;
165.02 JuquiriobaSolanum alternopinatum (?). APA Miracema, em 08/02/2014; e
165.03 Juá-vermelhoSolanum capsicoides - Solanaceae. Fotos 3 e 4. Conde, em 20/02/2018. Segundo consta os frutos são doces e bons pra se comer, mas as folhas e semente são tóxicas.


165.1
165.04 Manacá-de-cheiro, Brunfelsia sp.
1 e 2 - APA Miracema, em 18/11/2014; e
3 e 4 - Mata do Conde, em 26/05/2018.

165.2
165.05 LobeiraSolanum lycocarpumTornou-se comum lobeira nas áreas de pastagens das duas Ventanias, provavelmente dispersadas pelo lobo-guará, que já foi observado diversas vezes por moradores destes locais (link para postagem no blog).
A lobeira, fruta-de-lobo ou guarambá é um pequeno arbusto ou árvore de até 5 metros de altura. Pertence à família das Solanaceae, a mesma do tomate e do jiló. Wikipédia
1 - APA Miracema, em 17/12/2015;
2 - APA Miracema, em 22/02/2013;
3 - APA Miracema, em 02/08/2016;
4 - APA Miracema, em 26/08/2016;
5 - APA Miracema, em 04/08/2013. O inseto é uma mamangaba;
6 - APA Miracema, em 02/08/2016. Formiga comeu as folhas da lobeira, tornando os frutos bem visíveis; e
7 - RVS da Ventania, em 13/09/2016. Diversas lobeiras no pasto, provavelmente dispersadas no início pelo lobo-guará e depois com a ajuda dos pássaros e insetos polinizadores como a mamangava da foto 5.

165.3
165.06 Jurubeba, Solanum paniculatum. RVS da Ventania, 29/09/2017.

165.4
165.07 Brovália-azul, Browallia americana. RVS da Ventania, em 16/05/2018; e
165.08 Solanum cernuum panaceia ou espécie similar.

169. Trigoniaceae


169
169.01 Cipó Paulinia trigona (?). Fazenda Liberdade, em 24/02/2016. Muito parecido com guaraná. Observado nos fragmentos de mata da Fazenda Liberdade; e
169.02 Paulinea sp. Mata do Conde, em 20/02/2018.

173. Turneraceae


173
173.01 Flor-do-guarujá, Turnera sp. Turneraceae. Conde, em 11/11/2015.

177. Urticaceae


177
177.01 UrtigãoUrera bacciferaRVS da Ventania, em 22/04/2017.

181. Verbenaceae


181
181.01 Milho de grilo, Lantana trifolia.
1 e 2 - RVS da Ventania, em 27/01/2018; e
3 - RVS da Ventania, em 19/04/2018.

181.1
181.02 Lantana camara. É reconhecidamente tóxica, e a ingestão de quantidades aproximadas de 40g/kg de peso animal, em dose única, pode levar ao óbito de bovinos, por exemplo (F. J. Abreu Matos; et al. (2011). Plantas Tóxicas: Estudos de Fitotoxicologia Química de Plantas Brasileiras Instituto Plantarum de Estudos da Flora [S.l.] pp. 175–176. ISBN 85-86714-37-5 . 
Todavia, os beijas-flores e borboletas adoram seu néctar:
1 - Conde, em 26/05/2016;
2 - APA Miracema, em 23/10/2015 (Beija-flor-roxo);
3 - APA Miracema, em 07/02/2014 (flor com mosca);
4 - Conde, em 26/11/2016;
5 - APA Miracema, em 08/02/2014 (Besourinho-de-bico-vermelho, macho);
6 - APA Miracema, em 23/10/2013 (Beija-flor-roxo);
7 - APA Miracema, em 28/09/2014 (Beija-flor-de-peito-azul);
8 - APA Miracema, em 02/01/2015 (Beija-flor-de-orelha-violeta); e
9 - APA Miracema, em 04/08/2012. (Estrelinha-ametista, macho).

181.2
181.02 Lantana camara.   
Borboletas:
1 - Phoebis philea philea;
2 - Borboleta-castanha-vermelha (Heliconius erato phillis);
3 - Junonia evarete;
4 - Melinaea ludovica paraiya;
5 - Dione Juno. APA Miracema, em 11/11/2015;  
6 - Battus polydamas. Conde, em 10/11/2015; 
7 - Parides anchises nephalion. APA Miracema, em 31/01/2016
8 - Agraulis vanillae. Conde, em 02/05/2016
9 - Euptoieta hegesia. Conde, em 02/05/2016; e
10 - Anartia jatrophae. APA Miracema, em 04/02/2016.

181.3
181.03 Viuvinha, Flor de São Miguel, Petrea serrata. Conde, em 04/11/2017.

185. Violaceae


185
185.01 Cipó suma, Anchietea sp. RVS da Ventania, em 28/09/2017.


6. Painéis com espécies ainda não identificadas

1
?. Mata do Conde, em 20/05/2016.

2
?. RVS da Ventania, em 10/07/2016.

3
Flor não identificada encontrada em vasta extensão dentro de mata no RVS da Ventania.
1 e 2 - Em 29/08/2016; e
3 e 4 - Em 20/08/2017.

4
Árvore ainda não identificada. 
1 e 2 - RVS da Ventania, em 01/04/2017; e
3 - RVS da Ventania, em 22/04/2017.

5
?. APA Miracema, em 15/03/2016.

6
?. APA Miracema, em 31/02/2016;

7
?. RVS da Ventania, em 16/05/2018.

8
?. 1 - Conde, em 16/06/2018; e 2 e 3 - Conde, em 24/06/2018.

9
?. RVS da Ventania, em 21/06/2018.

10
1 - ?. Devia ter uns 30 cm de diâmetro. APA Miracema, em 13/04/2014;  
2 - ?. APA Miracema, em 15/03/2016; 
3 - ?. APA Miracema, em 15/03/2016;
4 - ?. Mata do Conde, em 26/05/2016; 
5 - ?. Mata do Conde, em 20/06/2016; 
6 - ?. Mata do Conde, em 26/05/2016;
7 -  ?. APA Miracema, em 03/02/2016;
8 - ?. APA Miracema, em 02/08/2016;
9 - ?. APA Miracema, em 02/08/2016;
10 - APA Miracema, em 02/08/2016;
11 - ?. Mata do Conde, em 25/09/2016; e
12 - ?. Mata do Conde, em 25/09/2016.

11
1 - ?. Mata do Conde, em 22/09/2016;
2 - ?. Mata do Conde, em 13/10/2016;
3 - ?. Mata do Conde, em 13/10/2016;
4 - 1 - ?. RVS da Ventania, em 09/10/2016;
5 - ?. RVS da Ventania, em 15/10/2016;
6 - ?. Conde, em 17/10/2016;
7 - ?. Conde, em 17/10/2016;
8 -  ?. Conde, em 27/11/2016; 
9 - RVS da Ventania, em 20/12/2016. 


12
1 - ?. RVS da Ventania, em 20/12/2016;
2 - ?. RVS da Ventania, em 02/04/2017;
3 - ?. RVS da Ventania, em02 /04/2017;
4 - ?. RVS da Ventania, em 04/04/2017.
5 - ?. RVS da Ventania, em 16/07/2017; e
6 - ?. RVS da Ventania, em 23/05/2017; 

13
1 e 2 - ? RVS da Ventania, em 25/05/2018;
3 - ?. Mata do Conde, em 26/05/2018; e
4 - ?. RVS da Ventania, em 16/02/2018.



5 comentários:

Renata Nalim Basilio Tissi disse...

Olá Sr. Hélcio,


Suas fotos são lindas!!!

O seu Blog serve de inspiração para o meu.rs

Miracema precisa mostrar e preservar sua biodiversidade.

Parabéns pelo Blog!

Att,

Renata

Hélcio Granato Menezes disse...

Obrigado pelo incentivo, professora Renata!
Gostei do seu blog! Para quem ainda não visitou o blog Bioexatas, o endereço é: http://www.bioexatasrenatanalim.blogspot.com.br/

ECO SOLUÇÕES AMBIENTAIS disse...

Parabéns ao queridos! Se eu puder ser útil será um imenso prazer. Contem comigo. Bjo Grande

Marcelo dos Santos Ferreira disse...

Estou organizando informações sobre nossa região Norte e Noroeste fluminense através de meu Observatório Soberania Ambiental.

Quero dentre outras coisas organizar um acervo de fotos sobre o ambiente.

Você disponibilizaria seu acervo de fotos das UCs de Miracema, e de outros pontos como rio, córregos, etc para divulgação em meu blog?

Os créditos das fotografias obviamente seriam do fotografo, você. Seria para mim uma parceria interessante.

Você entraria como colaborador com os dados de suas fotografias.

Seria muito interessante.

Hélcio Granato Menezes disse...

Caro Marcelo,
Concordo apenas que vc faça um link do seu Observatório Soberania Ambiental para as páginas do blog Miracema.RJ que lhe interessarem.