quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Número de matrículas da Educação Básica recua menos em Miracema do que no Noroeste Fluminense


O número de matrículas da Educação Básica em Miracema no ano passado recuou 2,26%, enquanto no Noroeste diminuiu 5,01%. No ano passado houve menos 129 matrículas em Miracema nas redes estaduais e municipais de Educação Básica, na comparação com 2012.


O maior destaque foi nas Creches: aumentos de 20,48% nas matrículas em geral e de 60,87% no número de matrículas do horário integral. O mesmo não se pode dizer da Pré-Escola, houve perda de 71 matrículas. Este ensino juntamente com a EJA presencial (Fundamental) foram os únicos que ficaram, em número de matrículas, abaixo do Noroeste Fluminense. A EJA presencial (Fundamental) no município praticamente foi extinta, pois ficou com apenas dois alunos.

O Ensino Médio no município não foi mal em termos de número de matrículas, houve pequeno recuo de três matrículas (0,31%), embora tenha havido recuo de nove alunos no horário integral.

O Ensino Fundamental Anos Iniciais e Finais tiveram grandes perdas de matrículas no horário integral, respectivamente, 60,29% e 40%, embora não tivessem perdas e ganhos acentuados no número de matrículas em geral, respectivamente, -4,06% e 1,12%.

A EJA presencial (Médio) manteve-se praticamente estável. 


quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Enquanto Creches ganham novas matrículas, Escolas perdem alunos no Noroeste Fluminense


De acordo com dados do Censo da Educação Básica de 2013, divulgados ontem, 25, pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC), o Noroeste Fluminense matriculou menos três mil alunos nas redes estaduais e municipais. Foram 56.920 matrículas no ano passado contra 59.923 em 2012, o que representa um recuo de 5,01%.

Este resultado refere-se à matrícula inicial na Creche, Pré-Escola, Ensino Fundamental, Ensino Médio (incluindo o médio integrado e normal magistério), Ensino Regular e na Educação de Jovens e Adultos (EJA) presencial - Fundamental e Médio -, incluído a EJA integrada à educação profissional, das redes estaduais e municipais, urbanas e rurais em tempo parcial e integral.


O resultado positivo na região no número de matrículas foi registrado na Educação Infantil - Creche (aumento de 11,43%). Na maioria dos municípios houve aumento de matrículas, tendo se destacado Laje do Muriaé, com aumento de 296,43%, e Itaocara, com 88,72%. Todavia, na Pré-Escola, apenas Bom Jesus do Itabapoana registrou aumento de alunos (6,87%).


No Ensino fundamental - Anos Iniciais, todos municípios da região registraram perdas de alunos. Nos Anos Finais do Ensino Fundamental, Laje do Muriaé se destaca com aumento de 12,50% no número de matrículas.

Em relação ao Ensino Médio, apenas São José de Ubá registrou avanço (2,45%).


A maior perda de matrículas na região foi registrada na EJA – Fundamental (-24,63%). Apenas Varre-Sai registrou aumento de matrículas (33,33%). Laje do Muriaé iniciou este ensino no ano passado.

Na EJA – Médio, que registrou queda de 9,82% no número de matrículas na região, houve aumento de matrículas em Italva (26,92%), Itaocara (22,64%) e Varre-Sai (18,75%). Cambuci e Laje do Muriaé iniciaram turmas no ano passado.




Primeira Conferência Intermunicipal de Proteção e Defesa Civil do Norte e Noroeste Fluminense


sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Empregos formais no Noroeste Fluminense, em janeiro de 2014


Em janeiro deste ano, a região Noroeste Fluminense registrou perdas de postos de trabalho formais. Houve 226 demissões. Cenário empregatício bem diferente do mesmo mês do ano passado, ocasião em que foram gerados 488 novos postos de empregos. Em janeiro de 2012 também houve demissões na região, mas as deste ano as superaram em mais do dobro. No estado do Rio também foram demitidos em janeiro deste ano 25.548 trabalhadores celetistas.

A maior baixa de empregos no Noroeste foi registrada no Comércio (34,07%). Em seguida no setor Serviços Industriais de Utilidade Pública, com baixa de 19,47%, Construção Civil, com 17,70%, e Serviço, com 16,37%.

Os dados das tabelas abaixo são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho e Emprego.

No país, foram gerados 29.595 novos postos de trabalho – link para matéria com análise sobre isso publicada na Agência Brasil.




Funcionários cruzam os braços em hospital de Cambuci, no RJ

Funcionários estão sem receber o 13º salário e o salário de janeiro.
A dívida chega a quase meio milhão de reais.

Do G1 Norte Fluminense

Hospital de Cambuci (Foto: Reprodução/InterTv RJ) O único hospital de Cambuci, no Noroeste Fluminense, que vem enfrentando problemas com repasse do dinheiro do convênio entre a prefeitura e a associação, está protagonizando nesta quarta-feira (19), mais um capítulo que coloca em risco a saúde da população. Boa parte dos funcionários cruzou os braços e somente o setor de emergência está funcionando.

De acordo com o diretor técnico da unidade, o médico Paulo Poli, desde setembro o repasse não é feito e os funcionários estão sem receber o 13º salário e o salário de janeiro. O montante da dívida chega a quase meio milhão de reais. O pagamento deveria ser feito em quatro parcelas.

O diretor técnico Paulo Poli. (Foto: Reprodução/InterTv RJ)“Houve um acordo judicial em janeiro, que determinava que depois da apresentação das contas do hospital, a prefeitura depositaria em juízo o valor total da dívida. O promotor do Ministério Público, avaliou que seria necessário a presença de um perito para examinar a prestação de contas. Estamos aguardando a conclusão do trabalho, dentro de um prazo de cinco dias”, comentou Paulo Poli.

Ainda de acordo com o diretor, em relação ao mês de janeiro, quando o convênio foi renovado, ficou acordado que o hospital apresentaria todas as contas com os gastos do mês e a prefeitura arcaria com as despesas. O médico contou que o repasse ainda não foi feito.

A equipe de reportagem do G1 tentou entrar em contato com o prefeito da cidade, Agnaldo Vieira, que não atendeu aos telefonemas.

Foto Hospital de Cambuci: Reprodução/InterTv RJ
Foto diretor técnico Paulo Poli: Reprodução/InterTv RJ

FIRJAN instala Comissão Intermunicipal em Santo Antônio de Pádua

O grupo será composto por 38 empresas de Pádua, Aperibé, Cambuci, Itaocara e Miracema
 
Pádua, 20 de fevereiro de 2014

O Sistema FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) promoveu, nesta quarta-feira, 19 de fevereiro, cerimônia de lançamento da Comissão Intermunicipal FIRJAN/CIRJ em Santo Antônio de Pádua, na unidade SESI/SENAI da cidade.
 
Formada por um grupo de 38 empresas de Pádua e de outros quatro municípios da região Noroeste Fluminense (Aperibé, Cambuci, Itaocara e Miracema), a Comissão tem o objetivo de impulsionar, para além da Representação Regional, cuja sede é em Itaperuna, o foco do trabalho da Federação para a competitividade e o desenvolvimento econômico local.
 
O diretor geral do Sistema FIRJAN, Augusto Franco, abriu a cerimônia destacando o novo patamar de desenvolvimento no qual está inserida a região Noroeste do estado, devido, sobretudo, aos investimentos em infraestrutura anunciados pelo governo federal, entre eles a ampliação do aeroporto regional de Itaperuna. Na avaliação de Augusto Franco, esses investimentos vão ampliar a integração do Noroeste com as demais regiões do estado, e também com outros estados. "São investimentos que influenciarão dramaticamente a competitividade de alguns dos setores mais fortes da região, como os de rochas, papeleiro, confecção, fundição e alimentos, que dependem de uma boa estrutura de escoamento para atingir seus clientes de forma rápida e com menor custo”, disse.
 
Augusto Franco disse ainda que a equipe técnica do Sistema FIRJAN estará de prontidão para auxiliar os empresários em todos os desafios identificados pela Comissão, em termos de competitividade e defesa dos interesses, fornecendo subsídios como estudos e pesquisas, além de novas oportunidades para qualificação de mão de obra a partir de demandas que forem surgindo.
 
Para Fernando Pinheiro, que atuará como coordenador da Comissão, a iniciativa vai centralizar os cinco municípios para a canalização de demandas da classe empresarial e, assim, estimular a aceleração do desenvolvimento regional. “O papel de captar os anseios dos nossos empresários significa transformar estas demandas em emprego e renda em prol do desenvolvimento de uma população que soma, juntando os cinco municípios, aproximadamente 120 mil habitantes”, disse ele durante a cerimônia.
 
O presidente da Representação Regional da FIRJAN/CIRJ no Noroeste Fluminense, Antônio Carlos Boechat, também esteve presente e declarou estar à disposição na busca por melhorias para a região e na defesa dos interesses dos empresários. “Com a criação desta Comissão, estamos cumprindo mais um passo de nosso objetivo, que é fazer acontecer”, acrescentou Boechat.
 
A Comissão Intermunicipal FIRJAN/CIRJ em Santo Antônio de Pádua foi a oitava criada pela Federação no estado. As reuniões vão acontecer uma vez por mês, na unidade SESI/SENAI de Pádua.

Assessoria de Imprensa Itaperuna

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Programa SESI Cozinha Brasil passa por Italva e São José de Ubá, no Noroeste Fluminense

Capacitação acontece entre os dias 25 e 27 de fevereiro, em ambos os municípios

Itaperuna, 19 de fevereiro de 2014

O Sistema FIRJAN realiza, entre os dias 25 e 27 de fevereiro, curso de Educação Alimentar, que faz parte do Programa SESI Cozinha Brasil, nas cidades de Italva e São José de Ubá, no Noroeste Fluminense. O curso conta com a parceria das prefeituras.

A capacitação será dividida em duas turmas, nos turnos da manhã (das 9h às 12h30) e tarde (das 13h30 às 17h), em ambos os municípios.

Em Italva, o curso será oferecido a pessoas com idade acima de 16 anos e ministrado no Centro de Treinamento da Emater-Rio (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Rio de Janeiro), que também é parceira da iniciativa. Os interessados podem se inscrever na sede da Secretaria Municipal de Assistência Social, localizada à Rua Aracy Vilarinho, 57.

Já em São José de Ubá, serão atendidas cerca de 70 merendeiras e profissionais de apoio encaminhadas pela Secretaria Municipal de Educação. O curso acontece no Centro de Educação Tecnológica e Profissionalizante (Cetep) da cidade.

O programa é composto de aulas práticas e teóricas que visam melhor aproveitamento dos alimentos. Entre os tópicos abordados, consta o preparo de receitas utilizando cascas, talos, sementes e ramas dos vegetais; informações de higiene e conservação dos alimentos; além de prevenção de doenças não transmissíveis, como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares. Os participantes com 100% de presença receberão certificado e um livro com todas as receitas preparadas.

Assessoria de Imprensa Itaperuna

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Desafios do desenvolvimento em Miracema (RJ): uma abordagem territorial sustentável de saúde e ambiente

Navegando na rede encontramos este estudo. Parece ser estudo de tese de doutoramento, embora não tenha esta referência. A única referência encontrada foi no rodapé das páginas: "Saúde Soc. São Paulo, v.22, n.2, p.575-589, 2013". Achamos muito interessante, e, por isso, estamos disponibilizando o link aqui. 

A seguir, título, autores, resumo e conclusão do citado estudo: 

Desafios do desenvolvimento em Miracema (RJ): uma abordagem territorial sustentável de saúde e ambiente

Paulo José de Mendonça Ribeiro
Mestre em Ciências. Coordenador de Pós-graduação da Universidade Estácio de Sá e Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental/ENSP/FIOCRUZ.
Endereço: Rua Leopoldo Bulhões, 1480, 5º andar, Manguinhos, CEP
21041-210, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
E-mail: ciclomkt@hotmail.com

Christovam Barcellos
Doutor Geociências. Professor do Instituto de Comunicação e Informação Científica em Saúde/FIOCRUZ.
Endereço: Av. Brasil, 4.365, CEP 21045-360, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
E-mail: xris@fiocruz.br

Odir Clécio da Cruz Roque
Doutor em Ciências. Professor Adjunto/Pesquisador do Departamento de Engenharia Sanitária e Meio Ambiente/Faculdade de Engenharia/UERJ e Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental/ENSP/FIOCRUZ.
Endereço: Rua Leopoldo Bulhões, 1480, 5º ºandar, Manguinhos, CEP
21041-210, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
E-mail: odir@ensp.fiocruz.br

Resumo
O objetivo deste trabalho foi identificar e caracterizar um modelo de gestão do marketing como estratégia para promoção do município saudável e sustentável em Miracema (RJ). A estrutura da pesquisa deu-se, primeiro, pela coleta de dados primários, com a realização de entrevistas com gestores municipais para conhecer o Sistema de Gestão Municipal e construir mapas participativos para diagnóstico dos problemas e conflitos.
Segundo, uma pesquisa de abordagem qualitativa, interpretando a percepção junto à população por meio de questionário estruturado da problemática no município. Na investigação de ferramentas e instrumentos para resposta à problemática no município de Miracema utilizou-se como referencial a matriz Pressão-Estado-Impacto-Resposta (PEIR).
Com base no conhecimento produzido, elaborou-se a proposta de gestão do marketing no município baseada nos indicadores de resposta diagnosticados na esfera municipal. Miracema apresenta potencial para desenvolvimento nos setores primário e secundário. O agronegócio deve ser desenvolvido no modelo sustentável, em conformidade com políticas públicas capazes de promover a continuidade de investimentos. O mesmo aplica-se ao aproveitamento da matéria prima na indústria. Logo, o Zoneamento Econômico Ecológico do município contemplando o ambiente induz a ferramenta indispensável de sua viabilidade.

Palavras-chave:
Marketing sustentável; Sustentabilidade socioambiental; Indicadores; Desenvolvimento sustentável; Gestão territorial.

Saúde Soc. São Paulo, v.22, n.2, p.575-589, 2013 575

Conclusão
Para o desenvolvimento sustentável tornar-se viável, a gestão pública deve ser democratizada e descentralizada; construir a sinergia local, municipal e microrregiões. A participação dos atores sociais inclui o Sistema de Gestão. Isto é, no planejamento que possibilite atuar numa perspectiva de longo prazo as perspectivas sociais e implementem a capacitação de elevar as oportunidades sociais, econômicas, cultural e as condições de vida digna a população.
Miracema apresenta potencial para desenvolvimento nos setores primário e secundário. O agronegócio deve ser desenvolvido no modelo sustentável em conformidade a políticas públicas capazes de promover a continuidade de investimentos federais.
O mesmo aplica-se ao aproveitamento da matéria prima na indústria. Logo, o Zoneamento Econômico Ecológico do município contemplando o ambiente, induz a ferramenta indispensável de sua viabilidade.
O diferencial do município, ainda que atualmente incipiente, é o turismo ecológico e rural. O primeiro fator básico está em sua gente simples e amigável que certamente contribuiria sobremaneira para fomentar o potencial nesta atividade, na geração de emprego e renda. O benefício reduziria os conflitos entre a zona rural e urbana, pois requer investimentos em saneamento nos distritos ao ampliar suas infraestruturas.
Ao promover a organização social e o avanço da participação popular, deve, antes de tudo, priorizar a qualificação dos grupos sociais para que se apropriem dos instrumentos de gestão ambiental pública, capacitando-os para uma atuação cidadã em prol da melhoria da qualidade socioambiental dos municípios, do estado e do nosso país. Nesta perspectiva torna-se estratégico o controle social da gestão ambiental pública.
Essa proposta possibilitou adequar a informação “intra” e “entre” as secretarias e sugere uma Coordenação de Marketing. Com eixo estratégico a nível hierárquico de secretaria com o objetivo inicial de gerenciar a comunicação e informação na inserção da gestão socioambiental com vistas a promoção do município saudável e sustentável. As ações partem para o que convencionou-se denominar Processos de Participação – oficinas com a sociedade; oficinas temáticas; entrevistas e reuniões; sensibilização.
Além disso, são necessários estudos técnicos territoriais, para construção de cenários prospectivos definindo estratégias que propiciem instrumentos legais com base na viabilidade financeira, projetos estratégicos e territoriais à um Sistema da Gestão Socioambiental com viabilidade política.
Os instrumentos utilizados neste estudo atenderam ao objetivo de levantamento das questões socioambientais no município. Sugere-se um modelo de gestão do marketing baseado na sustentabilidade socioambiental. Porém, isto requer um aprofundamento que demanda o acesso a informações mais detalhadas. A oferta de informações permitiria levantar e planejar projetos de desenvolvimento considerando as especificidades de Miracema e do noroeste fluminense. A transparência permite o entendimento das qualidades e entraves que atuam sobre a situação socioambiental dos municípios fluminenses, e a população deve ser vista como parceira no enfrentamento de problemas na Administração Pública.

Saúde Soc. São Paulo, v.22, n.2, p.575-589, 2013 587

Prefeitura de Miracema deixa de subvencionar transporte de universitários

Subvenção ao transporte de aproximadamente R$ 30 mil mensais deixam de ser repassados pela Prefeitura de Miracema à Associação dos Estudantes Universitários de Miracema (Asseum).

Em nota divulgada no site da PMM (aqui), prefeito Juedyr Orsay atribui à antiga diretoria da Asseum responsabilidade pela interrupção dos repasses mensais. Segundo o prefeito, tal diretoria deixou dívidas e não prestou devidamente as contas dos gastos, conforme preceitua a Lei Orgânica do Município, art. 22, parágrafo Único, e art. 69, parágrafo VI.

A Asseum, através do Facebook, convoca os associados para assembleia a ser realizada hoje no Clube XV, às 16:00 h.

Na nota, prefeito informa ainda que a partir de 01/03/2014 seis ônibus da prefeitura estarão disponíveis para o transporte dos estudantes, conforme determina a Lei nº 12.816, de 2013 (autoriza os municípios a utilizarem o transporte escolar municipal por estudantes universitários).

Vale lembrar, que em 25/06/2013 o blog divulgou postagem na qual prefeito Juedyr sugeriu que os estudantes participassem mais das atividades desenvolvidas na Asseum.

Segundo o então presidente da Asseum Sandro Prado em entrevista dada ao Blog Miracema em 18/05/2013, o valor do serviço das empresas de ônibus naquela época era de  R$ 65 mil e havia um ônibus para Pádua na parte da manhã e quatro à noite. Para Itaperuna havia quatro ônibus à noite e um aos sábados para os alunos do CEDERJ.

Causa estranheza que somente agora no mês do carnaval que a PMM tome tal decisão.