sábado, 24 de fevereiro de 2018

Arrecadação de royalties do petróleo dos Municípios do Noroeste relativo a dezembro cresce 12%

Royalties do petróleo relativo ao mês de competência dezembro/2017, creditado aos municípios do Noroeste Fluminense em 22/02/2018, aumentaram 11,63% em comparação a dezembro/2016.

Análise sobre a  arrecadação dos royalties dos estados e municípios em 2017, feita por E&P Brasil (Gustavo Gaudarde):

A recuperação dos preços do petróleo e gás natural em 2017 elevou a arrecadação dos estados e municípios em 45% em 2017, para R$ 15,272 bilhões – ante 10,476 bilhões, em 2016. O montante representa os repasses de royalties, participações especiais e depósitos judiciais, feitos entre janeiro e dezembro, que consideram a produção até outubro do ano passado. Para os entes da União, incluindo a formação dos Fundo Especial, Fundo Social e investimentos obrigatórios em Saúde e Educação, a arrecadação foi de R$ 11,38 bilhões, alta de 56%.
O crescimento da arrecadação não seria possível sem a alta no preço do Brent. A produção no período-base – novembro a outubro – de 2017 foi, em média, de 2,635 milhões de barris/dia (variação anual de +7%), enquanto o Brent dated ficou em US$ 51,93 por barril (+23%) e o valor do m³, em real, em R$ 907,21/m³ (+23%). A alta na produção ajudou a mitigar, para fins do cálculo das participações, a desvalorização do dólar, que ficou na média de R$ 3,20 (-10%), no período.
A alta de 45%, por sua vez, explica-se pela parcela de participações especiais paga sobre a produção na Bacia de Santos, que superou 1 milhão de barris/dia em 2017 e gera receitas, principalmente, para o Rio de Janeiro e suas cidades, maiores beneficiários do país.


sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Secretaria estadual de Agricultura vai recuperar mais de mil km de estradas vicinais no RJ

Serão 44 municípios a serem contemplados, incluídos os 13 municípios do Noroeste Fluminense

Com recursos provenientes de parte de verba adicional do Banco Mundial, aprovada no ano passado para investimento no Rio Rural, e em virtude das restrições orçamentárias do Estado, o programa foi redirecionado  para atender  às microbacias contempladas pelo programa de desenvolvimento rural sustentável.

A execução e fiscalização dos trabalhos, a serem concluídos até o fim do ano, serão feitos pelas equipes da Engenharia Rural da Emater-Rio e corpo técnico da Secretaria de Agricultura.

Confira os municípios onde estão localizadas as microbacias que receberão as obras: Bom Jesus do Itabapoana, Itaperuna, Laje do Muriaé, Natividade, Porciúncula, Varre-Sai, Aperibé, Itaocara, Miracema, Santo Antônio de Pádua, São José de Ubá, Cambuci, Cardoso Moreira, Italva, Macuco, São Fidélis, São Sebastião do Alto, Bom Jardim, Cantagalo, Carmo, Cordeiro, Duas Barras, Nova Friburgo, Carapebus, Conceição de Macabu, Macaé, Quissamã, Santa Maria Madalena, Trajano de Morais, Campos dos Goytacazes, São Francisco do Itabapoana, São João da Barra, Sapucaia, São José do Vale do Rio Preto, Sumidouro, Teresópolis, Araruama, Cabo Frio, Cachoeiras de Macacu, Itaboraí, Magé, Rio Bonito, Saquarema e Tanguá.


Com informações e foto da Coordenadoria de Comunicação da Secretaria estadual de Agricultura

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Faetec oferece vagas para cursos de qualificação profissional

A Fundação de Apoio à Escola Técnica (FAETEC), torna pública a abertura das inscrições relativo à oferta de vagas para os cursos de Formação Inicial e Continuada ou Qualificação Profissional 2018 1a rodada.

O período de inscrições se encerrará no dia 16 de fevereiro de 2018 às 23h59min.

No Noroeste Fluminense, quatro unidades oferecem vagas conforme a tabela abaixo:

UNIDADE
CURSO/VAGAS
FAETEC ITAOCARA
INFORMÁTICA - AMBIENTE WINDOWS II: 25.
FAETEC ITAPERUNA
ESPANHOL BÁSICO: 60; INFORMÁTICA - AMBIENTE WINDOWS I: 80; INFORMÁTICA - AMBIENTE WINDOWS II: 40; INGLÊS BÁSICO: 150; MODELISTA: 50; MONTADOR E REPARADOR DE COMPUTADORES: 28.
FAETEC MIRACEMA
CUIDADOR DE IDOSOS: 30; ESPANHOL BÁSICO: 120; GARÇOM: 30; INFORMÁTICA - AMBIENTE WINDOWS I: 30; INFORMÁTICA - AMBIENTE WINDOWS II: 20; INGLÊS BÁSICO: 120; NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS COM ELETRICIDADE: 60.
FAETEC SANTO ANTONIO DE PÁDUA
ESPANHOL BÁSICO: 20; INFORMÁTICA - AMBIENTE WINDOWS I: 20; INFORMÁTICA - AMBIENTE WINDOWS II: 40; MONTADOR E REPARADOR DE COMPUTADORES: 20.

Link para maiores esclarecimentos e inscrição no site da Faetec

sábado, 27 de janeiro de 2018

Noroeste perde 294 postos de emprego formal em dezembro mas encerra o ano com abertura de também 294 postos

Em dezembro, a região perdeu 294 postos de trabalho com carteira assinada (-158 na microrregião Itaperuna e -136 na microrregião Santo Antônio de Pádua). Em dezembro do ano anterior, a perda de vagas foi bem superior (-810).

A perda de vagas foi generalizada entre os municípios da região, sendo em Itaperuna o maior número de fechamento de vagas (-109), em seguida Santo Antônio de Pádua (-40), Miracema (-30), Bom Jesus do Itabapoana (-29), Itaocara (-27), Aperibé (-21), Cambuci (-14), Natividade (-10), Laje do Muriaé (-6), Porciúncula (-5) e São José de Ubá (-4). Em Italva não houve abertura nem fechamento de vagas e em Varre-Sai foi aberta apenas uma vaga.

Todos os setores demitiram mais que contrataram em dezembro, tendo em serviços o pior desempenho, -135  (-90 na microrregião Itaperuna e -45 na microrregião Santo Antônio de Pádua). Em seguida construção civil, -72  (-57 na microrregião Itaperuna e -15 na microrregião Santo Antônio de Pádua); comércio, -40  (+6 na microrregião Itaperuna e -46 na microrregião Santo Antônio de Pádua); agropecuária, -25  (-5 na microrregião Itaperuna e -20 na microrregião Santo Antônio de Pádua); e indústria de transformação, -16  (-10 na microrregião Itaperuna e -6 na microrregião Santo Antônio de Pádua).

No ano, o resultado foi positivo em 294 vagas  (+472 na microrregião Itaperuna e -178 na microrregião Santo Antônio de Pádua). Resultado bem mais satisfatório do que o ocorrido em 2016, ocasião em que foram fechados na região 1.055 postos de trabalho.

Somente em Itaperuna foram abertas 378 vagas, em seguida 52 em Natividade, 30 em Varre-Sai, 29 em Miracema, 24 em Porciúncula, 13 em cada um dos municípios de Cambuci e Italva, 10 em Laje do Muriaé e 8 em São José de Ubá. Nos demais municípios houve fechamento de vagas, tendo em Santo Antônio de Pádua o número mais elevado (-166).

O maior número de vagas foi aberto em serviços, 174 (+352 na microrregião Itaperuna e -178 na microrregião Santo Antônio de Pádua). Em seguida na indústria de transformação, 116 (+106 na microrregião Itaperuna e +10 na microrregião Santo Antônio de Pádua); no comércio, 35 (+84 na microrregião Itaperuna e -49 na microrregião Santo Antônio de Pádua); e serviços industriais de utilidade pública, 24 (+17 na microrregião Itaperuna e +7 na microrregião Santo Antônio de Pádua).

Municípios compreendidos nas microrregiões do Noroeste Fluminense: Itaperuna – Bom Jesus do Itabapoana, Italva, Itaperuna, Laje do Muriaé, Natividade, Porciúncula e Varre-Sai; e Santo Antônio de Pádua – Aperibé, Cambuci, Itaocara, Miracema, Santo Antônio de Pádua e São José de Ubá. 

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Royalties do petróleo competente a novembro creditado para os municípios do Noroeste aumentam 47%

Royalties do petróleo relativo ao mês de competência novembro/2017, creditado aos municípios do Noroeste Fluminense em 18/01/2018, aumentaram 47,22% em comparação a novembro/2016.

O crescimento da arrecadação [dos royalties] não seria possível sem a alta no preço do Brent. A produção no período-base – novembro a outubro – de 2017 foi, em média, de 2,635 milhões de barris/dia (variação anual de +7%), enquanto o Brent dated ficou em US$ 51,93 por barril (+23%) e o valor do m³, em real, em R$ 907,21/m³ (+23%). A alta na produção ajudou a mitigar, para fins do cálculo das participações, a desvalorização do dólar, que ficou na média de R$ 3,20 (-10%), no período - E&P Brasil (Gustavo Gaudarde)


domingo, 14 de janeiro de 2018

Arthur Soffiati: revisitando a zona serrana do norte fluminense (III): eixo do complexo rio Iguaçu-lagoa Feia-rio Ururaí- lagoa de Cima-rio Imbé

O blog do Roberto Moraes publicou mais esta excursão do professor e ecologista Arthur Soffiati: revisitando a zona serrana do norte fluminense III: eixo do complexo rio Iguaçu-lagoa Feia-rio Ururaí-lagoa de Cima-rio Imbé .

"Explicando o eixo. De todos os eixos que ligam a zona serrana aos terrenos baixos da Ecorregião de São Tomé, o do rio Iguaçu é o mais complexo. Para compreendê-lo, é necessário um exercício de abstração, pois nem todas as partes do cordão existem em sua integralidade. O trecho territorial entre a margem direita do rio Paraíba do Sul e o primeiro estirão do rio Iguaçu, também conhecido como Barro Vermelho ou do Espinho é constituído por uma planície aluvial recente separada do mar por um alto cordão arenoso que liga duas restingas. Mas não é apenas essa dimensão que confere complexidade ao eixo, pois ele é formado pela lagoa Feia, onde nasce o Iguaçu. Também pelo rio Ururaí, que desemboca na lagoa Feia e começa na lagoa de Cima. Finalmente, o rio Imbé, que desemboca na lagoa de Cima e recebe as águas dos pequenos rios que descem da Serra do Mar (Imbé). Pois é esse eixo constituído de rios e lagoas entre a zona serrana e o mar que começamos a percorrer no dia 8 de janeiro de 2018. Ficamos apenas na parte baixa, entre Xexé e Barra do Furado.
As localidades que pontuam o eixo, da costa para o interior, são Açu, Xexé, Farol, Barra do Furado, Ponta Grossa dos Fidalgos, Ururaí, São Benedito e Sossego do Imbé, para só assinalar os principais. Seguindo em frente, pode-se chegar a Trajano de Morais."

As outras recentes excursões realizadas por mestre Soffiati: 




quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Blog do Roberto Moraes publica a segunda parte do relatório Revisitando o Noroeste do professor e ecologista Aristides Arthur Soffiati Neto

Link para a postagem da segunda parte da excursão do professor e ecologista Aristides Arthur Soffiati Neto, Revisitando o Noroeste (II): eixo Paraíba do Sul/PombaNesta segunda parte mestre Soffiati parte de Campos em direção a São Fidélis, Cambuci, Itaocara, Aperibé, Santo Antônio de Pádua e Miracema.

"... Todos os rios, do maior ao menor, sofrem de forte anomalia, como erosão de margens, turbidez, assoreamento e poluição por esgoto e resíduos. Claro que os maiores mascaram tais problemas, enquanto os menores os estampam de forma evidente...
... Gilberto Freyre, no intuitivo livro “Nordeste”, explica que, no século XIX, os rios eram respeitados pelas pessoas porque tinham importância no abastecimento de água, na higiene e no transporte. Com o crescimento dos núcleos urbanos, com o abastecimento de água por empresas e com as ferrovias e rodovias, as casas foram voltando as costas para os rios e os desprezando..."

"A intenção do autor é revisitar as terras banhadas pelas bacias do Muriaé, Paraíba do Sul/Pomba, Itabapoana e Itapemirim. Estas quatro bacias ligam a zona serrana às terras de tabuleiro e à grande planície fluviomarinha dos Goytacazes, constituindo uma ecorregião a que denomino de São Tomé, em alusão ao cabo e à capitania de São Tomé, a primeira tentativa de instalar a economia de mercado europeia entre os rios Itapemirim e Macaé. Só assim se justifica a inclusão da bacia do Itapemirim numa região que foi posteriormente dividida entre as capitanias, províncias e estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo. Mais ainda, que se transformou hoje em Norte/Noroeste fluminense e Sul capixaba" - Soffiati.

Link para Adendo a revisitando o noroeste fluminense (II): eixo Paraíba do Sul/Pomba Retorno à foz - Arthur Soffiati

____________________

Link para a primeira parte:  Revisitando o Noroeste (I): eixo Muriaé

As terceira e quarta partes do relatório Revisitando o Noroeste a serem publicadas: (III)acompanhando o rio Itabapoana;  e (IV): trilhando o vale do rio Itapemirim.

Obs.: atualizado em 13/01/2018 para inclusão do link ao adendo da segunda parte.

sábado, 30 de dezembro de 2017

Royalties do petróleo para os municípios do Noroeste aumentam 34% até outubro

Quota dos royalties do petróleo destinada aos municípios do Noroeste Fluminense referente a outubro cresce 23%. No acumulado do ano o aumento é de 34%, frente ao mesmo período de 2016.

"Otimista com a valorização do petróleo no mercado global e as perspectivas para o mercado de petróleo e gás em 2018, o governo do estado do Rio de Janeiro pode rever para cima suas estimativas de receita com arrecadação de royalties e participações especiais no próximo ano. Na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2018, o Rio prevê arrecadar R$ 6,5 bilhões em royalties e participações em 2018, isso com cálculos que velam em conta o preço médio do barril do tipo Brent em US$ 55. Hoje, o preço médio está em US$ 50,20.
A arrecadação mais alta foi uma consequência do aumento da produção média no Brasil (8,05% até aqui frente a 2016) e nos preços do barril, que já subiu quase 39% este ano, garantindo a alta de arrecadação mesmo com a desvalorização do dólar" - E&P Brasil (Guilherme Serodio).


quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Puxado por Itaperuna e Miracema, Noroeste abre 65 postos de trabalho formal em novembro

Em novembro, 65 postos de trabalho foram abertos na região (+66 na microrregião Itaperuna e -1 na microrregião Santo Antônio de Pádua), segundo informações prestadas pelos empregadores no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. Resultado bem mais satisfatório do que o ocorrido em novembro de 2016, mês que foram registrados 136 fechamentos de vagas. 

Este resultado foi puxado por Itaperuna, que gerou 84 novos postos de trabalho. Em seguida por Miracema, com 22 novas vagas, Laje do Muriaé, com 10, Itaocara, com 9, Natividade e Porciúncula, com 2 cada um, e Varre-Sai, com 1. 

Nos demais municípios da região foram registrados saldo negativo, tendo em Bom Jesus do Itabapoana e Santo Antônio de Pádua as perdas de postos de trabalho mais significativas, 29 e 24, respectivamente.

O maior número de vagas foi aberto no comércio: 48 (+69 na microrregião Itaperuna e -21 na microrregião Santo Antônio de Pádua). Em seguida serviços: 42 (+26 na microrregião Itaperuna e +16 na microrregião Santo Antônio de Pádua); construção civil: 34 (+10 na microrregião Itaperuna e +24 na microrregião Santo Antônio de Pádua); extração mineral: 8 (+4 na microrregião Itaperuna e +4 na microrregião Santo Antônio de Pádua); e serviços industriais de utilidade pública: 8 (todas abertas na microrregião Itaperuna).

Indústria de transformação registrou perda de 60 vagas (-45 na microrregião Itaperuna e -15 na microrregião Santo Antônio de Pádua) e agropecuária perda de 15 (-6 na microrregião Itaperuna e -9 na microrregião Santo Antônio de Pádua).

No acumulado do ano, foram abertas na região 588 vagas (+630 na microrregião Itaperuna e -42 na microrregião Santo Antônio de Pádua). De janeiro a novembro do ano anterior o número de vagas abertas na região foi bem inferior: 385.

Novamente puxado por Itaperuna, que foi responsável pela abertura de 487 vagas. Em seguida Natividade, com 62 vagas, Miracema, com 59, Porciúncula e Varre-Sai, com 29 cada um, Cambuci, com 27, Lage do Muriaé, com 16, Italva, com 13, São José de Ubá, com 12, e Itaocara, com 10.

Santo Antônio de Pádua, Aperibé e Bom Jesus do Itabapoana registraram perda de 126, 24 e 6 vagas, respectivamente.

Serviços acumula abertura de 309 vagas (+442 na microrregião Itaperuna e -133 na microrregião Santo Antônio de Pádua). Em seguida indústria de transformação, com 132 vagas (+116 na microrregião Itaperuna e +16 na microrregião Santo Antônio de Pádua); construção civil, com 77 (-11 na microrregião Itaperuna e +88 na microrregião Santo Antônio de Pádua);  comércio, com 75 (+78 na microrregião Itaperuna e -3 na microrregião Santo Antônio de Pádua);  e serviços industriais de utilidade pública, com 25 (+18 na microrregião Itaperuna e +7 na microrregião Santo Antônio de Pádua).

Municípios compreendidos nas microrregiões do Noroeste Fluminense: Itaperuna – Bom Jesus do Itabapoana, Italva, Itaperuna, Laje do Muriaé, Natividade, Porciúncula e Varre-Sai; e Santo Antônio de Pádua – Aperibé, Cambuci, Itaocara, Miracema, Santo Antônio de Pádua e São José de Ubá. 

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Mata Atlântica no Noroeste Fluminense cresce 129 hectares em 2016

Levantamento realizado por SOS Mata Atlântica e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) em 2016, disponibilizado no Atlas Municípios, demonstra que os fragmentos remanescentes da Mata Atlântica no Noroeste Fluminense aumentou de 5,50%, em 2015, para 5,52%, em 2016, o que equivale a 129 ha, ou 129 campos de futebol. 

O bioma cresceu em 7 municípios, com destaque para Laje do Muriaé (40ha), em seguida Santo Antônio de Pádua (31ha), Miracema (24ha), Porciúncula (20ha), Itaperuna (17ha), ...

Varre-sai detém a maior reserva relativa do bioma na região (11%), em seguida Laje do Muriaé e Miracema (10% cada um), Cambuci (9%), Porciúncula (7%), Natividade (6%), São José de Ubá (5%), Itaperuna, Santo Antônio de Pádua e Bom Jesus do Itabapoana (4% cada um), Itaocara (3%), Italva (2%) e Aperibé (1%).