terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Rio confirma primeiros casos de dengue tipo 4 e espera nova epidemia da doença

Rio de Janeiro – A Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil do Rio informou hoje (31) que foram confirmados na semana passada os seis primeiros casos de dengue do tipo 4 nas zonas norte e oeste da capital fluminense. Na mesma semana, foram notificados 21 casos pela secretaria, totalizando 1.234 este ano. Já a Secretaria Estadual de Saúde informou que foram notificados em todo o estado 2.711 casos da doença, número que não inclui os casos registrados no município do Rio.

De acordo com o superintendente de Vigilância em Saúde da prefeitura do Rio, Márcio Garcia, nos locais onde foram identificados o vírus tipo 4, as ações de combate ao mosquito transmissor da dengue foram intensificadas, com a finaliade de evitar a propagação da doença.

“A cada semana a gente vem reavaliando as nossas ações e fazendo todo um planejamento baseado nos resultados de forma a intensificar as ações de controle vetorial [do mosquito transmissor], de mobilização e de educação em saúde nas áreas de maior transmissão da doença”, explicou.

Ele acredita que a notificação da presença do vírus tipo 4 no município só reforça a possibilidade de uma nova epidemia de dengue na cidade. “Nós já estávamos preparados para a presença da dengue do tipo 4, isso só faz fortalecer a nossa expectativa de viver uma grande epidemia no ano de 2012”.

Fonte: Agência Brasil - 31/01/2012 - 19h27

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Cordel para a Rede Globo e Pedro Bial

Antonio Barreto nasceu nas caatingas do sertão baiano, Santa Bárbara/Bahia-Brasil. Professor, poeta e cordelista. Amante da cultura popular, dos livros, da natureza, da poesia e das pessoas que vieram ao Planeta Azul para evoluir espiritualmente.

Graduado em Letras Vernáculas e pós graduado em Psicopedagogia e Literatura Brasileira. Seu terceiro livro de poemas, Flores de Umburana, foi publicado em dezembro de 2006 pelo Selo Letras da Bahia.

Vários trabalhos em jornais, revistas e antologias, tendo publicado aproximadamente 100 folhetos de cordel abordando temas ligados à Educação, problemas sociais, futebol, humor e pesquisa, além de vários títulos ainda inéditos.

Antonio Barreto também compõe músicas na temática regional: toadas, xotes e baiões.BIG BROTHER BRASIL UM PROGRAMA IMBECIL.

Autor: Antonio Barreto, Cordelista natural de Santa Bárbara-BA, residente em Salvador.

Curtir o Pedro Bial
E sentir tanta alegria
É sinal de que você
O mau-gosto aprecia
Dá valor ao que é banal
É preguiçoso mental
E adora baixaria.

Há muito tempo não vejo
Um programa tão 'fuleiro'
Produzido pela Globo
Visando Ibope e dinheiro
Que além de alienar
Vai por certo atrofiar
A mente do brasileiro.

Me refiro ao brasileiro
Que está em formação
E precisa evoluir
Através da Educação
Mas se torna um refém
Iletrado, 'zé-ninguém'
Um escravo da ilusão.

Em frente à televisão
Longe da realidade
Onde a bobagem fervilha
Não sabendo essa gente
Desprovida e inocente
Desta enorme 'armadilha'.

Cuidado, Pedro Bial
Chega de esculhambação
Respeite o trabalhador
Dessa sofrida Nação
Deixe de chamar de heróis
Essas girls e esses boys
Que têm cara de bundão.

O seu pai e a sua mãe,
Querido Pedro Bial,
São verdadeiros heróis
E merecem nosso aval
Pois tiveram que lutar
Pra manter e te educar
Com esforço especial.

Muitos já se sentem mal
Com seu discurso vazio.
Pessoas inteligentes
Se enchem de calafrio
Porque quando você fala
A sua palavra é bala
A ferir o nosso brio.

Um país como Brasil
Carente de educação
Precisa de gente grande
Para dar boa lição
Mas você na rede Globo
Faz esse papel de bobo
Enganando a Nação.

Respeite, Pedro Bienal
Nosso povo brasileiro
Que acorda de madrugada
E trabalha o dia inteiro
Da muito duro, anda rouco
Paga impostos, ganha pouco:
Povo HERÓI, povo guerreiro.

Enquanto a sociedade
Neste momento atual
Se preocupa com a crise
Econômica e social

Você precisa entender
Que queremos aprender
Algo sério - não banal.

Esse programa da Globo
Vem nos mostrar sem engano
Que tudo que ali ocorre
Parece um zoológico humano
Onde impera a esperteza
A malandragem, a baixeza:
Um cenário sub-humano.

A moral e a inteligência
Não são mais valorizadas.
Os "heróis" protagonizam
Um mundo de palhaçadas
Sem critério e sem ética
Em que vaidade e estética
São muito mais que louvadas.

Não se vê força poética
Nem projeto educativo.
Um mar de vulgaridade
Já tornou-se imperativo.
O que se vê realmente
É um programa deprimente
Sem nenhum objetivo.

Talvez haja objetivo
"professor", Pedro Bial
O que vocês tão querendo
É injetar o banal
Deseducando o Brasil
Nesse Big Brother vil
De lavagem cerebral.

Isso é um desserviço
Mal exemplo à juventude
Que precisa de esperança
Educação e atitude
Porém a mediocridade
Unida à banalidade
Faz com que ninguém estude.

É grande o constrangimento
De pessoas confinadas
Num espaço luxuoso
Curtindo todas baladas:
Corpos "belos" na piscina
A gastar adrenalina:
Nesse mar de palhaçadas.

Se a intenção da Globo
É de nos "emburrecer"
Deixando o povo demente
Refém do seu poder:
Pois saiba que a exceção
(Amantes da educação)
Vai contestar a valer.

A você, Pedro Bial
Um mercador da ilusão
Junto a poderosa Globo
Que conduz nossa Nação
Eu lhe peço esse favor:
Reflita no seu labor
E escute seu coração.

E vocês caros irmãos
Que estão nessa cegueira
Não façam mais ligações
Apoiando essa besteira.
Não deem sua grana à Globo
Isso é papel de bobo:
Fujam dessa baboseira.

E quando chegar ao fim
Desse Big Brother vil
Que em nada contribui
Para o povo varonil
Ninguém vai sentir saudade:
Quem lucra é a sociedade
Do nosso querido Brasil.

E saiba, caro leitor
Que nós somos os culpados

Porque sai do nosso bolso
Esses milhões desejados
Que são ligações diárias
Bastante desnecessárias
Pra esses desocupados.

A loja do BBB
Vendendo só porcaria
Enganando muita gente
Que logo se contagia
Com tanta futilidade
Um mar de vulgaridade
Que nunca terá valia.

Chega de vulgaridade
E apelo sexual.
Não somos só futebol,
baixaria e carnaval.
Queremos Educação
E também evolução
No mundo espiritual.

Cadê a cidadania
Dos nossos educadores
Dos alunos, dos políticos
Poetas, trabalhadores?
Seremos sempre enganados
e vamos ficar calados
diante de enganadores?

Barreto termina assim
Alertando ao Bial:
Reveja logo esse equívoco
Reaja à força do mal.
Eleve o seu coração
Tomando uma decisão
Ou então: siga, animal.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Fórum Social Temático termina em Porto Alegre com propostas alternativas à Rio+20

Porto Alegre - De olho na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que ocorre em junho, no Rio de Janeiro, o Fórum Social Temático (FST) termina hoje (29) em Porto Alegre com uma agenda de propostas alternativas à negociação formal que será conduzida pelos governos na conferência.

Com o tema Crise Capitalista, Justiça Social e Ambiental, o FST foi a primeira etapa da Cúpula dos Povos, reunião que deverá acontecer paralelamente à Rio+20, como contraponto às negociações formais, em um espaço de manifestação da sociedade civil organizada.

A principal crítica levantada durante os debates do FST foi, justamente, em relação ao conceito de economia verde, tema central da conferência. As organizações argumentam que o modelo vai apenas repetir a lógica do capitalismo, com a “mercantilização da natureza” e a manutenção das desigualdades. O líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile, chegou a dizer que a Rio+20 será apenas “um teatro governamental”.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, que aproveitou o FST para tentar articular as posições do governo com as da sociedade civil para a Rio+20, rebateu as críticas e disse que confia na força da sociedade civil brasileira e mundial para que o evento no Rio tenha êxito.

A Rio+20 também foi lembrada no discurso da presidenta Dilma Rousseff, que esteve no FST na quinta-feira (26) para um diálogo com representantes da sociedade civil. Dilma defendeu a criação de metas de desenvolvimento sustentável na conferência e articulação direta entre medidas ambientais e de combate à pobreza.

Apesar de bem-recebida pelos movimentos sociais na primeira participação dela em um evento do Fórum Social Mundial como chefe de Estado, Dilma não escapou das críticas. Ativistas cobraram propostas alternativas à economia verde e de mais diálogo da presidenta com os movimentos sociais.

As questões ambientais e a Rio+20 dividiram espaço com debates de temas tradicionais do Fórum Social Mundial, como a crítica ao neoliberalismo, a defesa de causas sindicais e o fortalecimento da educação. O direito à memória foi tema de um dos eventos mais concorridos da semana, em que o sociólogo e jornalista Ignacio Ramonet defendeu a instalação de comissões da verdade e o direito coletivo de acesso a memórias de ditaduras para que as violações de direitos humanos nesse períodos não sejam esquecidos nem repetidos.

No Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, o tema também virou assunto no FST, com um evento que lembrou os oito anos do assassinato de três fiscais do trabalho, no episódio conhecido como Chacina de Unaí. Procuradores cobraram respostas do Poder Judiciário, que ainda não levou a julgamento os nove indiciados pelos crimes, entre eles, o prefeito da cidade mineira de Unaí, Antério Mânica, e o irmão dele, Norberto Mãnica, acusados de serem os mandantes.

A ministra de Direitos Humanos, Maria do Rosário, disse que a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição nº 438/2001, conhecida como PEC do Trabalho Escravo, será a prioridade legislativa da secretaria este ano.

Além do FST, em Porto Alegre, mais 25 eventos devem compor a agenda do Fórum Social Mundial em 2012, entre eles o Fórum Social Palestina Livre, marcado para o fim de novembro, também na capital gaúcha.

Acompanhe a cobertura completa do FST 2012 no site multimídia da Empresa Brasil de Comunicação (EBC)
Fonte: Agência Brasil

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Detran's de Miracema, Itaperuna e Rio Claro apresentam problemas no atendimento

Queda de circuito da Oi gerou problemas no atendimento das unidades Itaperuna, Miracema e Rio Claro

O DETRAN informa que o rompimento do cabo de fibra ótica da OI, que alimenta unidades do interior, gerou a paralisação dos serviços que dependem da informática em diversos municípios do estado, mas que a normalidade foi restabelecida pouco antes das 11 h, quando apenas as Unidades de Serviços de Rio Claro e Itaperuna e a Ciretran (Circunscrição Regional de Trânsito) de Miracema ainda apresentavam problemas.

Está havendo também problemas no posto de vistoria da Barra da Tijuca onde o circuito da Oi apresenta lentidão. Além disso, houve a queda do link da concessionária no posto de vistoria de São Gonçalo e na Unidade de Serviços (USD) de Barra do Piraí. O DETRAN esclarece que nenhum cliente será prejudicado em razão das avarias citadas.

Fonte : Imprensa RJ - 27/01/2012 - 12:17h

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Estado lança edital para mapear encostas nas regiões Norte e Noroeste

Mais 18 municípios serão mapeados quanto ao risco de deslizamento

O Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro (DRM-RJ), vinculado à Secretaria Estadual de Desenvolvimento (Sedeis), realizará uma nova licitação no dia 10 de fevereiro, por tomada de preços, de serviço de Cartografia de Risco Iminente a Escorregamentos em Encostas de 18 municípios do Norte e Noroeste do Estado do Rio de Janeiro.

O edital, publicado hoje no Diário Oficial, está disponível no endereço eletrônico - www.drm.rj.gov.br, e outras informações sobre habilitação, oferta de preço e declarações podem ser obtidas na sede do DRM-RJ, em Niterói.

As cidades contempladas no edital fazem parte de um único setor, o oitavo: Aperibé, Bom Jesus do Itabapoana, Cambuci, Campos dos Goytacazes, Cardoso Moreira, Italva, Itaocara, Itaperuna, Laje do Muriaé, Miracema, Natividade, Porciúncula, Santo Antônio de Pádua, São Fidélis, São Francisco do Itabapoana, São João da Barra, São José de Ubá e Varre-Sai.

Os serviços fazem parte do projeto do Núcleo de Prevenção e Análise de Desastres Geológicos do DRM-RJ, financiado pelo Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano (Fecam), da Secretaria estadual do Ambiente.

- Entre maio de 2010 e dezembro de 2011, 31 municípios foram mapeados e seus relatórios entregues em encontro no Palácio Guanabara, no dia 28 de dezembro passado, reunindo os respectivos prefeitos com o vice-governador, Luiz Fernando Pezão, e a equipe do governo estadual. Estamos ampliando o número de cidades, pois queremos entregar ao final de 2012, os resultados desse levantamento - afirma o presidente do DRM-RJ, Flavio Erthal.

A licitação do dia 10 de fevereiro será realizada às 10h, na sede do DRM-RJ, na Rua Marechal Deodoro, 351, Centro - Niterói. O valor estimado para os serviços é de R$ 752.282,54, e o prazo máximo de mapeamento do setor é de seis meses. Mais informações sobre o edital e o processo de licitação podem ser obtidas pelo telefone 21-2717-4128, no horário de 14 às 17h, ou pelo correio eletrônico terezinha@drm.rj.gov.br.

Fonte: Imprensa RJ
Itaperuna, Italva, Laje do Muriaé, Pádua e Sapucaia recebem do Estado 68 viaturas para defesas civis e guardas municipais

O Governo do Estado entregou nesta quinta-feira (26/1) 68 viaturas para as defesas civis e guardas municipais de Itaperuna, Italva, Laje do Muriaé e Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense, e Sapucaia, na Região Serrana, cidades atingidas pelas chuvas do início deste ano. Os veículos seminovos pertenciam à Polícia Militar, que teve a sua frota recentemente renovada.

Foram entregues 55 Gols para as guardas municipais e 13 Blazers para as defesas civis. Itaperuna recebeu 14 Gols e 5 Blazers; Italva foi beneficiada com 10 Gols e 2 Blazers; Laje do Muriaé ganhou 10 Gols e 2 Blazers; Sapucaia recebeu 10 Gols e 2 Blazers; e Santo Antônio de Pádua foi beneficiada com 11 Gols e 2 Blazers. Os veículos fazem parte do segundo lote do governo estadual, que conta com 292 carros e irá contemplar outras cidades.

Para o prefeito de Sapucaia, Anderson Zanon, as viaturas contribuirão para as operações da Defesa Civil e Guarda Municipal da cidade da Região Serrana, que sofreu com os temporais do início do ano. A Prefeitura de Sapucaia contava com apenas dois veículos para atender à demanda da região.

- Tínhamos uma frota antiga e sem muitos recursos. Essa doação do Governo do Rio de Janeiro é muito bem-vinda, e nos ajudará a renovar a nossa frota de carros. São veículos que irão alavancar o trabalho da Defesa Civil e da Guarda Municipal para prevenir acidentes relacionados às chuvas - disse.

Segundo o prefeito de Itaperuna, Fernando Fernandes, as 19 viaturas doadas pelo governo estadual serão imediatamente utilizadas. A ideia é que os veículos sejam destinados à preparação de medidas estratégicas em situações de risco e na diminuição do tempo-resposta da Defesa Civil e Guarda Municipal do município do Noroeste Fluminense.

- As viaturas são grandes presentes para a população de Itaperuna, que sofreu com as enchentes deste ano. Os veículos vão dar uma sustentação ao nosso governo. A nova atual frota estava danificada, mais de 70% dos carros estavam com problemas. Agora, estamos bem equipados - afirmou.

Até março, serão entregues 1.478 viaturas

Nas próximas semanas, viaturas serão entregues às cidades de Levy Gasparian, Miguel Pereira, Paraíba do Sul, Paty do Alferes, Carmo, Cordeiro, Duas Barras, Macuco, São Sebastião do Alto, Trajano de Moraes, Aperibé, Bom Jesus de Itabapoana, Cambuci, Itaocara, Miracema, Natividade, Porciúncula, Santa Maria Madalena, São José de Ubá e Varre-Sai.

No início deste mês, 262 viaturas que pertenciam ao primeiro lote foram entregues às cidades de Friburgo, Teresópolis, Petrópolis, Areal, São José do Rio Preto, Três Rios, Angra dos Reis, Bom Jardim, Sumidouro, Araruama, Niterói e Magé. Até março, todos os municípios do Rio de Janeiro, exceto a capital, serão beneficiados. No total, serão entregues 1.478 carros equipados com giroscópio e sirene, caracterizados com adesivos.

Fonte: Imprensa RJ

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Municípios do norte fluminense são contemplados com programas para erradicação da pobreza extrema

Os municípios de São João da Barra e Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, foram contemplados hoje (25) com os programas Renda Melhor e Renda Melhor Jovem que fazem parte do Rio Sem Miséria, plano criado para a erradicação da pobreza extrema no estado. Ao todo 16.200 famílias foram beneficiadas nas duas cidades, sendo 15.200 em Campos e mil em São João da Barra.

O programa prevê a transferência de renda variável, destinada a beneficiários do Programa Bolsa Família que vivem com uma renda inferior a R$ 100 por mês. Os benefícios vão de R$ 30 a R$ 300, de acordo com as necessidades e a composição de cada família, levando em consideração o número de integrantes e a faixa etária.

Para o secretário de Assistência Social e Direiros Humanos, Rodrigo Neves, os programas são fundamentais para melhorar as condições de vida das famílias beneficiadas. “É fundamental garantir uma renda básica para todas as famílias em extrema pobreza no sentido de proporcionar uma sobrevivência digna”, disse.

Neves informou que o governo fluminense pretende estender os programas a todos os 92 municípios do estado, beneficiando cerca de 300 mil famílias até 2013. “A partir do ano de 2012 nós estamos ampliando o programa para 250 mil famílias em toda a região metropolitana e nos municípios do interior com maior índice de pobreza extrema. E até janeiro de 2013 vamos incluir todas as 300 mil famílias e todos os 92 municípios cumprindo as metas do Plano Nacional Brasil Sem Miséria”, destacou.

Fonte: Agência Brasil

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Indústrias das regiões norte e noroeste fluminense sofrem prejuízo de R$ 30 milhões com as enchentes de janeiro

As enchentes ocorridas este mês, no Rio de Janeiro, causaram um prejuízo de R$ 30 milhões para cerca de 1.470 indústrias da transformação localizadas nas regiões norte e noroeste fluminense. Os dados constam da pesquisa Impacto das Chuvas no Norte e Noroeste Fluminense, de 2 a 17 de janeiro, divulgada hoje (24) pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

O chefe da Divisão de Pesquisas da entidade, Cesar Bedran, disse à Agência Brasil que o ponto de partida para o cálculo foram as perdas sofridas pela amostra de 261 indústrias entrevistadas. Dessas, 53,3% informaram ter sido afetadas pelas chuvas, com destaque para a área de produção (91,4% das empresas); vendas (68%); e administrativa (27%).

Cerca de 57,6% das indústrias acreditam, entretanto, que terão a produção normalizada até o dia 9 de fevereiro, enquanto 42,4% relataram já ter retomado o funcionamento. A maior parte das indústrias é de micro e pequeno porte (95,8%). A maioria (42,9%) está localizada no município de Campos dos Goytacazes.

Os principais problemas apontados foram dificuldade de escoamento da produção (57,6%), recebimento de matéria-prima (56,1%) e funcionários que não conseguiram chegar à empresa (53,2%), mostrou a sondagem. “A gente perguntou quanto tempo as empresas foram afetadas pelas chuvas na produção e a média foi 12 dias”, disse Bedran. Do total de indústrias atingidas, 68% tiveram condições de quantificar as perdas provocadas pelas chuvas, completou.

Para a maioria das empresas consultadas (47,5%), a solução do problema das chuvas passa pela implementação de políticas de planejamento urbano. “Na sequência, vêm melhorias no escoamento da água (44,6%), cuidado em relação ao leito dos rios (40,3%), além de investimento em estradas e impedir a ocupação irregular pela população. São todos itens que fazem parte do planejamento urbano”, ressaltou.

O problema é recorrente nas duas regiões fluminenses. “Dois terços das empresas já sofreram perdas, em anos anteriores, por causa das chuvas”. De acordo com a pesquisa, 15,3% revelaram terem sido impactadas pelas enchentes de 1997 a 2006; 39,8% em 2007; 49,5% em 2008; e 35,5% em 2009 e 2010.

Fonte: Agência Brasil - 24/01/2012 - 19h21

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Uerj oferece passeio turístico no Centro do Rio de Janeiro

Visita inclui o Theatro Municipal, a Biblioteca Nacional e o Cine Odeon

O Projeto de Extensão da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) já elaborou novo itinerário dos "Roteiros Geográficos do Rio". O passeio começa pelos majestosos prédios do Theatro Municipal e da Biblioteca Nacional, o eterno e esplandescente Cine Odeon, Centro Cultural da Justiça Federal (antigo Supremo Tribunal Federal), o Boêmio Amarelinho, Câmara dos Vereadores/Palácio Pedro Ernesto, Metrô, uma sentinela luminosa a nos conduzir por lunares e ensolaradas Geografias – Av. Treze de Maio – Largo da Carioca, o diálogo do Rio Colonial com a Cidade Maravilhosa – Esplanada de Santo Antonio / Avenida Chile da Iluminada Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro – BNDES – Petrobrás – Ventura Corporate Towers – Luminosa Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro – Complexo de hotéis da nova Praça Tiradentes – Rio Scenarium – Iluminação mutante, os pulsares e a multidão do Quarteirão Cultural da Rua do Lavradio.

O ponto de encontro será nos degraus do Theatro Municipal, a meia noite desta sexta-feira (27/1) para sábado (28/1) o percurso será feito a pé e mais informações podem ser obtidas no e-mail roteirosgeorio@uol.com.br ou nos telefones (21) 8871 7238. A iniciativa tem o apoio da secretaria municipal de Cultura e é coordenada pelo professor João Batista Ferreira de Mello. Em caso de tempo chuvoso, a caminhada será cancelada.

Fonte: Imprensa RJ

Para quem estiver na Cidade Maravilhosa nesta sexta-feira, 27, sem dúvida nenhuma é uma ótima e imperdível oportunidade de conhecer e entrar em contato com a atmosfera agradabilíssima do Centro do Rio de Janeiro, ainda mais nestas noites quentes de verão carioca. Impossível haver quem não gostará deste esplêndido passeio.
Investimentos em Meio Ambiente mudam ranking do ICMS Verde: Miracema e Miguel Pereira foram os municípios que mais posições conquistaram

Revis da Ventania

Se Silva Jardim, na Região das Baixadas Litorâneas, continuará em 2012 na liderança dos repasses do ICMS Verde, também conhecido como ICMS Ecológico, de acordo com estimativas da Superintendência de Política e Planejamento Ambiental, da Secretaria do Ambiente, com a previsão de receber R$ 7,93 milhões, Miracema, no Noroeste Fluminense, é quem deu o maior salto no ranking de um ano para outro – da 53ª para a 29ª colocação –, devido à criação de duas unidades de conservação, que juntas somam mais de oito mil hectares.

A pequena cidade receberá cerca de R$ 2,34 milhões, contra pouco mais de R$ 500 mil dos repasses em 2011. A diferença é quase quatro vezes mais. Segundo o prefeito Ivany Samel, para aumentar sua capacidade de ação, através do recebimento do imposto, a opção foi investir esforços na criação de duas Unidades de Conservação da Natureza – o Refúgio de Vida Silvestre da Ventania e a APA Miracema.

– Elas foram determinantes para o salto. Com certeza as ações de preservação das florestas foram cruciais, mas se somam a outras ações referentes à saneamento, como o aumento da cobertura do esgotamento sanitário e o tratamento adequado dos resíduos sólidos urbanos – explicou o prefeito.

Samel informou que os recursos de 2012 serão investidos em melhorias na gestão ambiental, para aumentar ainda mais arrecadação do município junto ao ICMS Verde. O foco, segundo ele, será na coleta e no tratamento dos resíduos sólidos, na contratação de um grande projeto de saneamento que abrangerá todo o município e no repasse de parte dos recursos aos proprietários rurais.

– Entendemos que o proprietário rural é o grande responsável pela manutenção dos recursos naturais – garantiu o prefeito.

Já Miguel Pereira, na Região Centro-Sul Fluminense, vem a seguir nesta subida no ranking, passando de 28º para o 15º lugar. O município ganhou pontos graças a várias ações ambientais, com atenção especial à coleta seletiva e ao tratamento de esgoto. Mais que dobrou o faturamento, passando de R$ 1,6 milhão para R$ 3,8 milhões. O prefeito Roberto Daniel Campos de Almeida, o Macarrão, disse que quer ser exemplo de gestor que se preocupa com o meio ambiente, sem esquecer o social.

Segundo Macarrão, Miguel Pereira não vai deixar sem trabalho as 30 pessoas que viviam do lixão que está sendo desativado e será substituído por um aterro sanitário, cuja inauguração está prevista para começo do mês que vem. Doze dos catadores do lixão já estão trabalhando em coleta seletiva, criada pela prefeitura, que equipou um galpão na cidade com material de proteção, prensa e balança, além de comprar um caminhão exclusivo para coleta. Eles formaram uma cooperativa de catadores com a finalidade de gerar renda para as famílias. O restante continua no lixão até ele acabar de vez, mas também serão aproveitados na coleta seletiva.

– Não vou resolver um problema ambiental criando um social. Todos vão ser amparados. Ninguém ficará desempregado – garantiu o prefeito.

Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente, Mauro Peixoto, com a desativação do lixão, que estava encravado no meio da Mata Atlântica, a prefeitura vai usar os recursos do INCMS Verde na criação ali de um mirante e de uma rampa para asa delta e parapente para aproveitar tanto a beleza como as condições ideais para vôo livre do lugar.

Segundo o secretário, as ações ambientais da prefeitura não se limitaram à desativação do lixão e à criação da coleta seletiva. Miguel Pereira ganhou no ano passado 26 quilômetros de rede de esgoto e cinco elevatórias que sanearam 30% das residências e três unidades de conservação municipais – Parque Nacional Natural Rocha Negra, com 1,4 milhão de metros quadrados, Reserva Biológica Vale das Princesas e Parque Municipal Vereda Sertãozinho – e quatro Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs).

Outra cidade que também deu um salto na arrecadação foi Angra dos Reis, na Costa Verde, com a desativação do seu lixão e o início da operação do aterro sanitário, subindo da oitava para a quinta posição. O município deve receber este ano R$ 5,92 milhões. Em 2011, Angra faturou R$ 3,1 milhões.

Se, em 2011, os 92 municípios dividiram um montante de R$ 111 milhões do ICMS Verde, para este ano a projeção é repartir R$ 172 milhões, o que representa 55% a mais em relação a este ano. A parcela do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) pelos critérios ambientais aos municípios vem num crescendo desde sua implantação. Ela passou de 1% em 2009, quando começou a distribuição dos repasses, para 1,8% no ano seguinte e, a partir de 2011, para 2,5%. O estado é obrigado a repassar 25% do que arrecada com o imposto aos municípios.

O ICMS Verde tem por objetivo recompensar os municípios por investimentos aplicados no meio ambiente pelos seguintes critérios: 45% para unidades de conservação, 30% para qualidade da água e 25% para gestão do lixo. Os repasses são proporcionais às metas alcançadas nessas áreas. Quanto melhores os indicadores, mais recursos as prefeituras recebem. Se este ano, vai ganhar quase R$ 8 milhões, a prefeitura de Silva Jardim já foi a primeira no ano passado, faturando R$ 5,29 milhões, em consequência de ações em benefício de suas unidades de conservação e pelo eficiente sistema de esgotamento sanitário. Depois de Silva Jardim, estima-se que, em 2012, Rio Claro, na Região do Médio Paraíba, arrecadará R$ 7, 2 milhões em 2012, Cachoeiras de Macacu, na Região das Baixadas Litorâneas, R$ 6,9 milhões, e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, R$ 5,98 milhões. As quatro cidades são as mais bem colocadas no repasse de imposto ecológico estimado para este ano.

- Um dos principais objetivos da lei que criou o ICMS Verde era motivar os municípios a criarem unidades de conservação. Em três anos, essas áreas protegidas dobraram de 104 mil para 220 mil hectares – contabilizou o secretário do Ambiente, Carlos Minc.

Novos componentes podem ser incorporados aos critérios de repasse do ICMS Verde, como a disposição do município de sediar um consórcio intermunicipal e abrigar um aterro sanitário. Outra novidade é que o município que transformar o lixo em energia também sairá na frente nos próximos anos.

Fonte: Imprensa RJ - 23/01/2012 - 09:18h

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Moradores de áreas afetadas por enchentes correm mais risco de ter doenças infectocontagiosas

Moradores de áreas atingidas por enchentes não sofrem só com perdas materiais e, às vezes, humanas. Mesmo depois de trégua no clima chuvoso, vem o risco de contrair doenças infectocontagiosas como a leptospirose, hepatite A, tétano, diarreia aguda, vírus e parasitas, além de febre tifoide.

A diretora da Vigilância Sanitária Estadual, Maria Cristina Megid, lista uma série de recomendações que podem evitar a contaminação por microorganismos que tendem a proliferar em situações como alagamentos.

O uso de botas e luvas de borracha quando não houver como evitar o contato com a água da enchente é uma dessas recomendações, além de tentar não manusear objetos sujos de lama. “Se não tiver bota e luva, a pessoa pode colocar dois sacos plásticos nas mãos e pés. Também é melhor não estar na água de bermuda e sim de calça, além de não deixar que as crianças brinquem nessa água”.

A médica também recomenda que alimentos e medicamentos que tenha tido contato com as águas da enchente, mesmo que fechados ou embalados, sejam jogados no lixo. Como aumenta a dificuldade de encontrar água potável em cidades atingidas por enchentes, a orientação é ferver a água de beber por um minuto e adicionar duas gotas de hipoclorito de sódio para cada 2,5 litros de água.

Alguns cuidados são necessários na limpeza da casa e dos utensílios domésticos. Além de usar a proteção nas mãos e pés, conforme reforçou Maria Cristina, na limpeza dos ambientes, é recomendável usar escova, sabão e água limpa para a retirada da lama. Já no caso dos utensílios domésticos, depois de serem lavados com água e sabão, devem ser mergulhados por uma hora em uma solução desinfetante, composta de um copo de 200 mililitros (ml) de água sanitária e quatro copos de água. A solução também pode ser usada nos pisos, paredes, móveis e outros objetos, mas, nesse caso, a proporção da mistura é de 200 ml de água sanitária para um balde de 20 litros de água.

Os sintomas de algumas das doenças mais comuns que podem ser provocadas pela contaminação das águas das enchentes podem demorar 30 dias para aparecer. É o caso da leptospirose, causada por uma bactéria encontrada na urina do rato e que pode entrar pela pele humana, levando até à morte. Os sintomas podem ser confundidos com os da gripe e a recomendação de Maria Cristina é que as pessoas de áreas afetadas por enchentes fiquem atentas no caso de apresentarem febre, dor muscular, náuseas e dor de cabeça. “Nesse caso, será preciso procurar um médico imediatamente e relatar que teve contato com alagamentos”, disse.

Fonte: Agência Brasil - 19/01/2012 - 20h25

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Chuvas: governador prorroga prazo de pagamento de ICMS e IPVA em áreas críticas

Iniciativa tem como objetivo recuperar a vida econômica de onze cidades fluminenses

O Governador Sérgio Cabral decidiu prorrogar o pagamento dos tributos ICMS e IPVA para os contribuintes das cidades São Fidélis, Campos dos Goytacazes, Bom Jesus do Itabapoana, Laje do Muriaé, Santo Antônio de Pádua, Itaperuna, Italva, Cardoso Moreira, Miracema, Aperibé e Sapucaia, que estão enfrentando dificuldades em decorrência das chuvas no Estado do Rio de Janeiro.

- Este é um momento de união entre o governo e a população para fazer a rotina dessas cidades retornar à normalidade. É importante darmos condições à população para recuperar seus negócios e a vida econômica local - afirma o secretário de Fazenda Renato Villela. A medida será publicada no DO desta quarta-feira (18/1).

O ICMS decorrente de operações próprias (que não são substituição tributária) com vencimento entre 10 de janeiro e 31 de março poderá ser quitado até 31 de julho sem acréscimo moratório. Serão duas opções de pagamento: em parcela única ou em até 6 (seis) parcelas mensais, iguais e sucessivas.

Para fazer o parcelamento do imposto com o prazo prorrogado, o contribuinte deve protocolar o pedido diretamente na repartição fiscal de sua circunscrição até 29 de junho de 2012. Depois de protocolar o pedido, as guias para o pagamento poderão ser impressas no site Portal de Pagamentos da Sefaz (www.fazenda.rj.gov.br).

Ainda na área de ICMS, também estão prorrogados sob as mesmas condições os pagamentos oriundos de parcelamentos que os contribuintes já possuíam e as obrigações acessórias – declarações necessárias no processo do ICMS e arquivos com informações.

IPVA fica para 7 de maio

O vencimento do IPVA 2012 nas cidades em situação de emergência foi transferido para 7 de maio. Nesta data poderão ser efetuados o pagamento da cota única e da primeira parcela de todas as placas. A segunda parcela passa, então, para 5 de junho e a terceira para 4 de julho.

As cidades incluídas nesta prorrogação são: São Fidélis, Campos dos Goytacazes, Bom Jesus do Itabapoana, Laje do Muriaé, Santo Antônio de Pádua, Itaperuna, Italva, Cardoso Moreira, Miracema, Aperibé e Sapucaia.

Fonte: Imprensa RJ

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Chuvas causam prejuízos de quase R$ 3,5 milhões em Miracema

As chuvas que atingiram Miracema neste início de ano causaram prejuízos totais de R$ 3.423.570,00. Os setores que mais sofreram foram as encostas. Serão necessários R$ 1.226.360,00 para reparar estes danos. Em seguida, vieram as estradas da zona rural (R$ 824.500,00) e bueiros e pontes (R$ 620.680,00). A intempérie desalojou 304 pessoas, deixou seis desabrigadas e afetou, de alguma maneira, a vida de cerca de outras 4.500.

Estes números constam do relatório de Avaliação de Danos (Avadan) entregue pelo prefeito Ivany Samel às coordenadorias Estadual e Regional de Defesa Civil do Estado do Rio de Janeiro, que fazem parte do Sistema Nacional de Defesa Civil (Sindec). O chefe do Executivo miracemense decretou Situação de Emergência no município, no dia 4 de janeiro, e o governador Sérgio Cabral já homologou este decreto de Ivany Samel. A homologação foi publicada no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro.

- Houve fortes precipitações pluviométricas no dia 2 de janeiro de 2012, por volta das 13h, que atingiu o pico de aproximadamente 80 milímetros em 40 minutos, e se prolongou pela madrugada, chegando ao teto de 120 milímetros, acarretando inundações no perímetro urbano, em Paraíso do Tobias (2º distrito), danos nas estradas vicinais e obras de arte (expressão técnica usada para definir bueiros e pontes, entre outros) - o cita o Avadan no item “Causas do Desastre”, descrevendo as características do evento natural ocorrido em Miracema.

No item da Avaliação Conclusiva sobre a Intensidade do Desastre, o Avadan de Miracema menciona como “Médio ou Significativo” os danos humano, material e ambiental; como “Importante” o prejuízo econômico e social; e como “Mediamente Vultosos ou Significativos” os recursos financeiros necessários para a realização dos reparos no município.

Segundo o relatório de Avaliação de Danos, os bairros e ruas atingidos em Miracema foram:
Bairro Caloi (ruas Horácio Capute, João Felicíssimo Theodoro, Santa Luzia, Irandi Ângelo da Silva e Avenida Nilo Peçanha); bairro Rodagem (Rua José Martins Castelhano, Vila Eiras e Vila Teixeira); bairro Vila José de Carvalho (ruas Gláucio Garcia da Silva e Porfírio Botelho); bairro Nossa Senhora de Fátima (Rua Maria Tereza Sodré Linhares (beco 5)); bairro Nossa Senhora Aparecida (ruas Cândido Dias Tostes e Deodato Linhares); bairro Santa Tereza (Vila Catarina Rosa de Jesus); Paraíso do Tobias (ruas Antonio Rossi, José de Carvalho e José Rodrigues da Costa, e praças Jacinto Lucas e Antonio de Barros); e zona rural (Sitio Pernambuco, Serra Nova, União, Moura, Monte Pio, Conde, Tirol, Santa Branca, Bananal e São Pedro).

PREJUÍZOS CAUSADOS PELAS CHUVAS EM MIRACEMA
VALOR PREJUÍZOS
R$ 1.226.360,00 - Deslizamentos de encostas
R$ 824.500,00 - 55 quilômetros de estradas municipais
R$ 620.680,00 - 154 bueiros e quatro pontes
R$ 375.000,00 - 75 residências nas zonas rubana e rural
R$ 256.030,00 - 7.150 metros quadrados de ruas
R$ 55.000,00 - Grãos, cereais e leguminosas
R$ 48.000,00 - Silvicultura/Extrativismo
R$ 14.000,00 - Pecuária
R$ 4.000,00 - Agricultura (outros)
TOTAL: R$ 3.423.570,00
Fonte: Avaliação de Danos (Avadan) do Sistema Nacional de Defesa Civil (Sindec).
Instituição informante: Prefeitura Municipal de Miracema.
Instituições informadas: Coordenadorias Estadual e Regional de Defesa Civil.

Fonte: Rádio Itaperuna AM 1410 - 14/01/2012
TRANSFERÊNCIA DE RENDA DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA PARA O NOROESTE FLUMINENSE – 2011

Em dezembro de 2011, o Programa Bolsa Família transferiu 20.463 benefícios à população do Noroeste fluminense, o que equivale a 6,4% dos habitantes daquela região.

Em relação a dezembro de 2010, houve aumento de 8,5% no número de benefícios transferidos para a região:

- municípios que registraram redução de transferências de benefícios: Miracema (-2,8%), Italva (-2,4%), Porciúncula (-1,6%) e Itaperuna (-1,5%);

- municípios em que houve aumento de transferências de benefícios: Varre-Sai (35,5%), São José de Ubá (33,3%), Cambuci (25,7%), Laje do Muriaé (23,6%), Bom Jesus do Itabapoana (22,2%), Natividade (15,6%), Aperibé (13,7%), Itaocara (13,2%) e Santo Antônio de Pádua (0,6%).

Percentual da população de cada município que recebeu em dezembro de 2011 transferência de renda do Bolsa Família: Laje do Muriaé (10,8%), São José de Ubá (10,7%), Varre-Sai (10,1%), Cambuci (8,6%), Itaocara (8,2%), Natividade (7,8%), Italva (7,3%), Porciúncula (7,1%), Bom Jesus do Itabapoana (7,1%), Miracema (6,8%), Aperibé (6,3%), Itaperuna (6,1%) e Santo Antônio de Pádua (5,0%).

Número de transferências de renda do Bolsa Família para o NOF
Fonte: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e Ipeadata

O Programa Bolsa Família foi criado para apoiar as famílias mais pobres e garantir a elas o direito à alimentação e o acesso à educação e à saúde. O programa visa a inclusão social dessa faixa da população brasileira, por meio da transferência de renda e da garantia de acesso a serviços essenciais.

sábado, 14 de janeiro de 2012

AVES DE MIRACEMA CLICADAS NESTA SEMANA

Com tantas chuvas e inundações na região, surgiram em Miracema muitos pássaros aquáticos nas áreas alagadas do município, principalmente na RJ-188 (Miracema - Campelo), área esta que denominamos de Pantanal Miracemense.

1. Sabiá-do-campo.2. Andorinha-do-rio.
3. Frango-d'água-azul.
4. Curitiê.
5. Biguatinga.
6. Garibaldi.
7. Irerê.
8. Maria-faceira.
9. Socozinho
10. Socozinho.
PRESERVE A NATUREZA

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Famílias começam a voltar para casa com a diminuição do nível das águas nas regiões norte e noroeste fluminense

O balanço divulgado no começo da noite pela Defesa Civil indica que o número de desalojados e desabrigados nas regiões norte e noroeste do estado diminuiu em quase 50% nas últimas 48 horas. O nível da água baixou nas localidades inundadas e a população começa a voltar para casa a fim de fazer a limpeza de suas residências e contabilizar os prejuízos.

Em 16 localidades atingidos pelas enchentes 8.554 pessoas estão desalojadas e 1.955 desabrigadas. Os números divulgados na última quarta-feira (12) mostravam mais de 12 mil desalojados e de 3.300 desabrigados nas duas regiões do estado.

Os dados de Sapucaia, na região centro-sul fluminense, onde 22 pessoas morreram soterradas vítimas do deslizamento de uma encosta na madrugada de segunda-feira (9), estão sendo divulgados separadamente pela Defesa Civil. No município existem mais de 220 desalojados e 50 desabrigados. No distrito de Jamapará 50 pessoas estão desabrigadas: elas perderam suas moradias no deslizamento que destruiu oito casas.

Pelo balanço da Defesa Civil, o município fluminense com maior número de desalojados e desabrigados é Cardoso Moreira. Na região ainda existem 4.734 desalojados e 1.964 pessoas ao desabrigados.

Fonte: Agêrncia Brasil - 13/01/2012 - 19h40
Secretaria da Fazenda prorroga prazo de pagamento do IPVA 2012

Mudanças são para pagamento integral e para a primeira parcela das placas zero e 1

Como continuação do processo de regularização do pagamento do IPVA 2012, a Secretaria de Fazenda está prorrogando o vencimento das placas zero e 1. A prorrogação será somente do pagamento integral com desconto e da primeira parcela.

Com o novo calendário, o vencimento do pagamento integral com desconto e da primeira parcela da placa final zero passa do dia 16/1 (segunda-feira próxima) para o dia 23/1. Já o pagamento integral com desconto e a primeira parcela da placa final 1 passa do dia 19/1 para 24/1.

Fonte: Imprensa RJ

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Escolas de 8 municípios terão matrículas confirmadas automaticamente

No total, 17 unidades escolares que foram atingidas pelas chuvas adotarão o procedimento

Devido às fortes chuvas que atingiram o estado nos últimos dias, a Secretaria de Educação adotou o procedimento da matrícula automática em 17 escolas das regiões Norte e Noroeste. O objetivo da medida é evitar que os alunos que foram alocados nas unidades escolares afetadas, na primeira fase da pré-matrícula, sejam prejudicados.

Após a normalização da situação, os alunos deverão apresentar a documentação na escola em que foram alocados. Por enquanto, a matrícula automática acontecerá nos municípios de Itaperuna, Cardoso Moreira, Nova Friburgo, Italva, Laje do Muriaé, Santo Antônio de Pádua, São Fidelis e Sapucaia.

Segue, abaixo, tabela com as escolas que terão as matrículas confirmadas automaticamente:

CE 10 DE MAIO
ITAPERUNA

CE BALTAZAR CARNEIRO
CARDOSO MOREIRA

CIEP BRIZOLÃO 464 - ADMAR FERREIRA DE MEDEIROS
CARDOSO MOREIRA

CE BUARQUE DE NAZARETH
ITAPERUNA

CE AGRÍCOLA REI ALBERTO
NOVA FRIBURGO

CE CARLOS MARIA MARCHON
NOVA FRIBURGO

CE EDUARDO BREDER
NOVA FRIBURGO

CE JOSÉ MARTINS DA COSTA
NOVA FRIBURGO

CIEP 141 VEREADRO SAID TANUS JOSE
ITALVA

CE ARY PARREIRAS
LAJE DO MURIAÉ

CIEP 343 EMÍLIA DINIZ LIGEIRO
LAJE DO MURIAÉ

CIEP 263 LINA BO BARDI
ITAPERUNA

CE ALMIRANTE BARÃO DE TEFFÉ
SANTO ANTONIO DE PADUA

CE DR. LEONEL HOMEM DA COSTA
SANTO ANTONIO DE PADUA

CE GERAQUE COLLET
SÃO FIDELIS

CE JAMAPARÁ
SAPUCAIA

CIEP BRIZOLÃO 285 LUIZ JOSÉ DAFLON GOMES
SAPUCAIA

A Secretaria de Educação também disponibiliza a Central de Relacionamento para que servidores, alunos e familiares possam entrar em contato para passar ou solicitar informações. Os contatos são (21) 2380-9050 / (21) 2380-9051 / (21) 2380-9053 ou pelo site www.rj.gov.br/sedduc.

Desde a última semana, a Seeduc está com uma equipe especial de monitoramento das unidades escolares estaduais nos municípios atingidos pelas chuvas nas regiões Serrana, Norte e Noroeste do estado.

De acordo com o último levantamento, três escolas estão inundadas pelas chuvas; outras 13 apresentam problemas estruturais; 12 estão recebendo desabrigados; seis têm dificuldades de acesso; e três estão servindo como base de apoio (Hospital/Pádua; Corpo de Bombeiros; Posto de Saúde). No total, são 37 unidades escolares, localizados nas cidades de Aperibé, Campos dos Goytacazes, Cardoso Moreira, Carmo, Italva, Itaocara, Itaperuna, Laje do Muriaé, Nova Friburgo, Paty do Alferes, Santo Antônio de Pádua, São Fidélis e Sapucaia.

Fonte: Imprensa RJ
Governo aumenta limite para saque de FGTS em caso de desastres naturais

Os moradores das regiões atingidas por desastres naturais poderão sacar até R$ 6.220 do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A autorização está publicada hoje (12) no Diário Oficial da União. O decreto assinado pela presidente Dilma Rousseff e pelos ministros Guido Mantega (Fazenda) e Paulo Roberto dos Santos Pinto (Trabalho) entra em vigor a partir desta quinta-feira.

A decisão foi tomada na terça-feira (10) pelo Conselho Curador do FGTS e modificada uma medida anterior, de 2004, que regulamenta o uso do fundo. No ano passado, houve autorização semelhante também referente a desastres naturais, mas que limitava os saques em R$ 5.400. A tendência tem sido elevar o valor de saque a cada ano.

De acordo com o decreto publicado hoje, o interessado em sacar o FGTS poderá retirar o equivalente ao saldo existente na conta na data do pedido, desde que não ultrapasse R$ 6.220. A autorização determina ainda que os saques ocorram obedecendo o intervalo de um ano entre uma movimentação e outra na conta de FGTS.

Fonte: Agência Brasil
CENTRAL DA RECICLAGEM: ONDE DESCARTAR RESÍDUOS SÓLIDOS

Nova plataforma indica locais de todo o Brasil que recolhem ou compram 37 tipos de materiais recicláveis. A iniciativa é uma ajuda ao cumprimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos, que prevê a reciclagem de materiais e o final dos lixões até 2014.

Separar materiais recicláveis do lixo orgânico exige que o consumidor reorganize sua rotina para encaminhar resíduos sólidos para a reciclagem. Mesmo quem já é acostumado a fazer o descarte correto, às vezes tem dúvida quanto ao destino de alguns resíduos, como coco verde, pneu, chapas de radiografia ou químicos.

Uma nova plataforma pretende acabar com as dúvidas e eventual falta de disciplina para agir do modo certo. De forma rápida e simples, a Central da Reciclagem* informa os locais onde descartar 37 tipos de resíduos sólidos. Há orientação para esses materiais e, também, aço, borracha, alumínio, pilhas e baterias, móveis, tecidos, diversos plásticos, isopor, remédios, óleo de cozinha, entre outros.

Basta selecionar o resíduo que deseja reciclar, digitar o endereço e a cidade onde mora e os pontos próximos ao local aparecem em um mapa do Google Maps. São dois tipos de lugares para descarte, os que recebem os materiais e encaminham para reciclagem e os que compram resíduos para enviar a recicladores. Também é possível fazer o cadastro de um ponto de coleta que não esteja no banco de dados.

O serviço, gratuito, é da rede ambiental Made in Forest**, que também publica textos e vídeos produzidos por parceiros ou recicladores sobre o descarte correto e os detalhes dos produtos.

Vale lembrar que, de acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, até 2014, o país deverá acabar com todos os seus lixões e os aterros sanitários deverão absorver apenas o que não é reutilizável ou reciclável. A Central da Reciclagem ajuda os brasileiros a exercer a responsabilidade de devolver ao lugar certo o lixo produzido.


*Central da Reciclagem **Made in Forest Fonte: Planeta Sustentável
Estado e União discutem ações conjuntas para as regiões Norte e Noroeste do Rio

O governador Sérgio Cabral recebe a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, no Palácio Guanabara, às 10h desta quinta-feira (12/1), para discutir as ações que serão desenvolvidas, em parceria com o governo federal, nas regiões Norte e Noroeste do estado, castigadas pelas chuvas que caem desde o dia 1/1. Participam da reunião de trabalho os secretários de Assistência Social e Direitos Humanos, Rodrigo Neves, e de Saúde, Sérgio Côrtes, além de representantes dos ministérios de Desenvolvimento Social e da Saúde.

Na parte da tarde, a ministra e o secretário Rodrigo Neves se encontram, às 14h30, em Itaperuna, com os prefeitos das regiões Norte e Noroeste. Já confirmaram presença os prefeitos de Campos dos Goytacazes, Cardoso Moreira, São Fidélis, São Francisco do Itabapoana, Aperibé, Bom Jesus do Itabapoana, Cambuci, Itaocara, Italva, Itaperuna, Laje do Muriaé e Santo Antônio de Pádua. O encontro será no Sebrae, na Av. Cardoso Moreira, s/nº.

Fonte: Imprensa RJ

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Sobe para 18 o número de mortos em Sapucaia por causa das chuvas

Equipes do Corpo de Bombeiros localizaram agora à tarde o Fusca que ficou embaixo dos escombros no distrito de Jamapará, em Sapucaia, no centro sul-fluminense, com cinco pessoas da mesma família. Os parentes procuraram abrigo no carro na madrugada do dia 9, quando uma avalanche de pedras e terra desceu do alto da encosta e soterrou oito casas.

Os familiares procuraram abrigo no carro durante o temporal e acabaram arrastados pela enxurrada. No carro estavam o lavrador Francisco Edézio Lopes, de 46 anos; a mulher dele, Valdinéia e as duas filhas do casal, Francine de 15 anos e Vitória, de 7, e ainda um primo, Sebastião Lopes. Valdninéia estava grávida de dois meses.

Com estes, sobe para 18 o número de vítimas localizadas sob os escombros. De acordo com relato de familiares, ainda faltam serem localizadas seis pessoas.

Outro irmão do lavrador, José Osnir Lopes, estava com a família, mas preferiu ficar dentro de casa e se salvou, já que o imóvel não foi atingido pela enxurrada.

A caseira Maria Orzelina de Assis Lopes também é parente da família soterrada no Fusca. Ela é casada com outro irmão de Francisco. “Meu marido está arrasado. Não consegue vir aqui ver essa cena”, disse.

O prefeito de Sapucaia, Anderson Zanon, decretou hoje (11) estado de emergência no município, devido aos deslizamentos de pedra e terra ocorridos em Jamapará.

Com o decreto, o prefeito espera que em curto prazo ocorra a homologação da situação de emergência pelo governador Sérgio Cabral para liberar verba para a reconstrução imediata de áreas afetadas pelo temporal.

Em Sapucaia, há 204 desalojados e 50 desabrigados em consequência da chuva.

Fonte: Agência Brasil - 11/01/2012 - 18h30

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

RIOSOLIDARIO apóia artesãos fluminenses no Senac Rio Fashion Business

Evento dedicado à divulgação de produtos e à concretização de negócios termina sexta-feira

A 19ª edição do Senac Rio Fashion Business, que começou nesta terça-feira (10/1), no Jockey Club, conta com a participação do RIOSOLIDARIO – Obra Social do Rio de Janeiro. A instituição apóia seis artistas plásticos no evento dedicado à divulgação de produtos e à concretização de negócios, que termina na próxima sexta-feira (13/1). Já no primeiro dia, os artesãos selecionados pela obra - que atende um milhão de pessoas em 12 projetos sociais – fizeram contatos e fecharam negociações.

Natural de Porciúncula, Eponina Sanches, comemora a oportunidade de divulgar o trabalho feito por cerca de 300 pessoas da zona rural do município localizado na Região Noroeste fluminense. A artista que participa do projeto Ateliê Bangalô e é líder comunitária desenvolve roupas com pedaços de retalhos. Ela ficou impressionada com a repercussão do trabalho no primeiro dia de evento.

- Esta oportunidade foi maravilhosa. Saí lá da roça e vim baixar aqui. Me deram muita atenção, me receberam com muito carinho. Já fiz contatos, já tive retorno.

Fonte: Imprensa RJ
Balanço sobre as condições das rodovias no RJ

* Santa Maria Madalena:

- A RJ-146 encontra-se interditada para veículos pesados e o tráfego está em meia pista para veículos leves no trecho entre Santa Maria Madalena e Manoel de Moraes - km 55, km 56, km 62 e 62,5. A rodovia sofreu uma grande erosão da pista.

- RJ-172 que estava em apenas meia pista no Km 8 já foi liberada, porém o DER alerta que os moradores trafeguem com cautela pela rodovia.

* Miracema:

- A RJ-218, no trecho entre as cidades de Santo Antônio de Pádua e Paroquena, está interditada devido ao rompimento de um bueiro que destruiu o asfalto, a dois quilômetros de Paraoquena. Equipes do DER-RJ estão atuando no local, porém não há previsão para a liberação da pista enquanto permanecer o tempo chuvoso na região. A rota alternativa para quem segue para Paroquina é utilizar a RJ-116 até Miracema e depois pegar a RJ-188. A mesma rota serve para quem deseja sair da cidade.

- A RJ-116 também encontra-se interditada no trecho entre Miracema e a BR-356, no trecho dentro da cidade de Laje de Muriaé, por causa do transbordamento do Rio Muriaé. A rota alternativa é a RJ-200 ainda em Miracema, passar por Palma, já em Minas Gerais, pegar a BR-116 em Laranjal, seguir até Muriaé e pegar a BR-356 em Comendador Venâncio até chegar novamente na RJ-116, já em Laje de Muriaé.

*Cantagalo

- A RJ-160, no trecho entre Cantagalo e Além Paraíba está em meia pista. O asfalto cedeu e afundou a pista nos km 42 e km 32.

- Na RJ-144 o trecho entre Carmo e o distrito de Influência está em apenas meia pista próximo ao km 46. O asfalto cedeu no local e a rodovia pode ser interrompida a qualquer momento por motivos de segurança. Equipes do DER-RJ estão no local auxiliando os motoristas.

* Campos dos Goytacazes:

- A RJ-196, estrada que liga o município de Conceição de Macabu a Barra de Itabapoana, está interditada devido ao transbordamento do Rio Paraíba do Sul, no trecho entre a cidade de Gargaú e o entroncamento com a RJ-194, em Campo Novo. O motorista que pretende ir de Campos até Gargaú deve pegar a BR 101 e no distrito de Travessão e seguir pela RJ-224 até São Francisco de Itabapoana entrando pela RJ-196 no trecho que está liberado até Gargaú.

- A RJ-204 está interrompida no trecho entre São Luís e São Joaquim desde o momento em que o Rio Muriaé transbordou, alagando a pista. A rota alternativa é pegar a BR 101 até Conselheiro Jovino, entra na RJ-228 até Vila Nova de Campos e segue pela RJ-204 até São Joaquim.

- A RJ-180 encontra-se completamente alagada e interditada no trecho entre Serrinha e Santa Maria Madalena. A passagem alternativa para quem vai para Santa Maria Madalena é passar por dentro da cidade de Conceição de Macabu.

* Nova Friburgo:

- A RJ-148, ente o km 30 e o km35, equipes atuam na retirada de uma grande barreira que está deixando o tráfego em meia-pista.

Fonte: Imprensa RJ - 10/01/2012 - 15:24h
Governo do Estado homologa situação de emergência em sete municípios

Cidades atingidas pelas chuvas são das regiões Norte e Noroeste

O Governo do Estado homologou a situação de emergência decretada por sete municípios das regiões Norte e Noroeste fluminenses: Cardoso Moreira, Laje do Muriaé, Santo Antônio de Pádua, Aperibé, Itaperuna, Italva e Miracema. O decreto foi assinado pelo governador Sérgio Cabral e publicado nesta terça-feira (10/1) no Diário Oficial.

De acordo com o decreto, as fortes precipitações pluviométricas ocorridas nas cidades situadas nas margens do Rio Muriaé causaram o aumento do volume e transbordo do Rio Muriaé, causando enchentes e inundações graduais.

Fonte: Imprensa RJ - 10/01/2012 - 12:54h

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Secretário sobrevoa áreas atingidas por chuvas no Rio e participa de reunião para mudanças em unidades de saúde

O secretário de Saúde do estado do Rio, Sérgio Côrtes, fará hoje (9) um novo sobrevoo para verificar a situação dos municípios do norte e noroeste fluminense atingidos por chuvas e enchentes nos últimos dias. Em seguida, ele vai se reunir com secretários municipais de saúde da região, em Itaperuna.

O objetivo do encontro é fazer um levantamento das necessidades das prefeituras, discutir a mudança de endereço de unidades de saúde localizadas em áreas vulneráveis a enchentes e a transformação de unidades básicas em clínicas de Saúde. Na cidade de Italva, segundo o prefeito Joelson Gomes Soares, o pronto socorro está interditado porque foi invadido pela água da enchente na madrugada de ontem (8).

De acordo com o coordenador da Defesa Civil no norte e noroeste do Rio, coronel Douglas Paulich, apesar do céu encoberto, não chove na região. Segundo ele, o município de Itaperuna é o que mais preocupa as autoridades neste momento devido às ocorrências de deslizamentos de terra. Nos últimos três dias foram registrados mais de 30. “Houve muitos escorregamentos, muitas enxurradas, o terreno está muito encharcado e a região, muito vulnerável”, afirmou.

O coronel Paulich acrescentou que, se não voltar a chover nos próximos dias e o nível dos rios baixar, voltando às calhas naturais, a Defesa Civil vai iniciar a fase de avaliação dos estragos. O levantamento deverá ser enviado ao governo federal para solicitar recursos para a reconstrução das cidades. Ele lembrou que o mais importante é trabalhar na prevenção definitiva de novas tragédias.

“Não digo que estamos enxugando gelo, mas deixando o gelo derreter na mão, porque nem conseguimos recuperar os danos de um ano e no seguinte já vemos a chuva voltar e a situação se agravar. É preciso investir em obras que realmente ajudem a prevenir essas enchentes e os deslizamentos”, destacou.

De acordo com o último balanço da Secretaria de Defesa Civil do Rio, divulgado na noite de ontem (8), 10.759 pessoas estavam desalojadas e 3.980 desabrigadas em todo o estado por conta das chuvas. Itaperuna, Italva e Laje do Muriaé foram os municípios que apresentaram o maior índice de chuvas - um acumulado de 100 milímetros em 24 horas.

Fonte: Agência Brasil - 09/01/2012 - 12h24
Situação no distrito de Outeiro, onde dique se rompeu, está normalizada

A situação no distrito de Outeiro, na cidade de Cardoso Moreira, no norte fluminense, onde um dique se rompeu na noite de ontem (8) com a força do Rio Muriaé, está normalizada, informou a Defesa Civil de Campos, município vizinho, que prestou os primeiros socorros às mais de 40 famílias atingidas. A forte chuva da madrugada de sábado (7) parou e as águas do Muriaé baixaram, mas a cidade continua em situação de emergência, além de mais seis municípios.

No momento do rompimento do dique, o subsecretário de Defesa Civil de Campos, major Edson Pessanha, estava na localidade de Três Vendas, em Campos, vizinha de Cardoso Moreira, que ficou completamente alagada após o rompimento de um trecho da BR-356 que servia de barreira para conter as águas do rio.

“Estávamos com um caminhão de bombeiros a cerca de dois quilômetros do local onde o dique se rompeu e conseguimos realizar uma intervenção rápida e remover as famílias em situação de risco. Estamos com um abrigo de emergência 24 horas e controlando as águas do rio. Hoje, vamos continuar o trabalho de remoção das famílias que ainda estão lá”.

De acordo com o subsecretário, em Três Vendas cerca de 30 pessoas ainda insistem em ficar no segundo andar ou na laje das casas. “Essas famílias foram as mesmas que se negaram a sair nas enchentes anteriores, por isso dificilmente devem sair dessa vez. Estamos levando comida e dando suporte com barcos”, explicou o major. Cerca de 500 famílias foram removidas de Três Vendas, que ainda está tomada pelas águas do Muriaé.

Em 2007, o Rio Muriaé já havia destruído parte da BR-356 e alagado Três Vendas. Os moradores ficaram quatro meses com suas casas sob as águas e perderam tudo.

Nesta manhã, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) realiza ação para desobstruir barreira que interdita uma das principais vias de acesso entre Cardoso Moreira e Campos.

De acordo com a Secretaria de Defesa Civil do Rio, até a noite de ontem, 10.759 pessoas estavam desalojadas e 3.980 desabrigadas em todo o estado por conta das chuvas. Itaperuna, Italva e Laje do Muriaé foram os municípios que apresentaram o maior índice de chuvas - um acumulado de 100mm em 24 horas.

Fonte: Agência Brasil - 09/01/2012 - 9h43

domingo, 8 de janeiro de 2012

Prefeito de Italva diz que situação é preocupante e estuda decretar estado de calamidade

Com cerca de 60% da cidade tomados pela água, após a chuva da madrugada de hoje (8), o município de Italva, no noroeste do Rio de Janeiro, pode decretar estado de calamidade pública. A informação foi dada pelo prefeito Joelson Gomes Soares. Segundo ele, mais de 7 mil pessoas foram afetadas pelas chuvas, cerca de 700 estão desalojadas e 200 desabrigadas. Em Italva, há 12 mil habitantes.

“O município está perdendo o controle da situação. Depois da chuva que começou na noite de ontem e foi até as 4h da madrugada de hoje, não temos condições técnicas nem financeiras de atender mais a população. A gente está se sentindo impotente diante do que estamos vendo na cidade, apesar de estarmos trabalhando 24 horas por dia, com toda a nossa equipe de prontidão. A situação aqui é muito preocupante”, disse o prefeito, por telefone, à Agência Brasil.

Ele acrescentou que, diferentemente da enchente que ocorreu na cidade na semana passada, desta vez o volume de chuva surpreendeu as autoridades. “A enchente da semana passada foi programada, mas essa não. A previsão era que choveria na nossa região cerca de 30 milímetros ontem, mas só aqui no nosso município chegou a 130 milímetros”, lamentou.

Ele disse ainda que foram registrados vários pontos de deslizamento de terra e de muros. Cerca de 30 pessoas tiveram ferimentos leves e estão sendo atendidas em um pronto-socorro improvisado. Soares também pediu maior ajuda dos governos estadual e federal. “Talvez seja necessário montar um hospital de campanha já que o nosso pronto-socorro e o hospital particular que tem aqui estão interditados”, contou.

Em outro município da região, que também foi castigado pela chuva desta madrugada, Itaperuna, a Defesa Civil informou que uma pedra rolou de uma encosta no distrito de Raposo, atingiu uma casa, mas não deixou feridos. Quatro famílias que moravam próximo ao local foram retiradas e uma equipe de engenheiros vistoria os imóveis. Além disso, uma casa na localidade conhecida por Carula, também em Itaperuna, desabou nesta tarde, mas não houve vítimas.

Fonte: Agência Brasil
AVES DE MIRACEMA

A maior parte dos pássaros a seguir foram clicados ontem.

1. Este gavião-caboclo não tem parte dos dedos do pé levantado na foto. Parece que neste mesmo pé tem um tumor na sola. Durante o tempo em que ele ficou pousado, o referido pé ficou levantado. Tudo indica que ele se adaptou a não utilizar tal pé para sobreviver.

Em 13/08/2011 fotografamos um gavião-caboclo totalmente saudável neste mesmo poste, que fica no sítio do Adauto (início da estrada para Paraiso do Tobias), conforme pode ser visto na 5ª foto de postagem aposta no blog (clique aqui). Será o mesmo gavião?
2. Tiziu. Um jovem macho.
3. Vira-bosta.
4. Garça-branca-pequena.
5. Ferreirinho-relógio.
6. João-de-pau, no teto do seu ninho.
7. Pica-pau-anão-barrado. Fêmea jovem. Na segunda foto ela está acompanhada de sua mãe.
8. Alma-de-gato. Capturou uma aranha.

sábado, 7 de janeiro de 2012

Chega a sete o número de municípios fluminenses em situação de emergência

A cidade de Aperibé, no noroeste fluminense, decretou estado de emergência hoje (7), aumentando para sete o número de municípios nas regiões norte e noroeste em situação de emergência. As cidades que já estavam nessa condição, após o transbordamento dos rios da região, são: Laje do Muriaé, Santo Antonio de Pádua, Itaperuna, Italva, Cardoso Moreira e Miracema.

No balanço da Defesa Civil estadual divulgado esta noite já são 7.384 os desalojados e 2.364 desabrigados pelas enchentes nas cidades de Itaperuna, Campos dos Goytacazes, Cardoso Moreira, Laje do Muriaé, Italva, Aperibé, São Fidélis, Bom Jesus de Itabapoana, Santo Antonio de Pádua e Cambuci.

Técnicos da Secretaria Estadual de Saúde do Rio participaram hoje (6) de uma videoconferência com representantes do Ministério da Saúde e das secretarias de Saúde de Minas Gerais e do Espírito Santo para discutir ações integradas a fim de atender as vítimas da chuva na Região Sudeste.

Os profissionais de saúde da secretaria vão estar na próxima semana nas regiões atingidas para um seminário com objetivo de capacitar os colegas locais na detecção de sintomas e tratamento de doenças que aparecem após as enchentes, como a leptospirose, provocada pelo contato da pele com a urina do rato.

Fonte: Agência Brasil

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Saúde atua para evitar agravamento de doenças após enchentes

Cinco municípios do Norte e Noroeste já receberam kits calamidade e donativos

Técnicos da Secretaria de Saúde participaram na tarde desta sexta-feira (6/1) de uma videoconferência com representantes do Ministério da Saúde e das secretarias de Saúde de Minas Gerais e do Espírito Santo para discutir ações integradas para socorrer as vítimas das chuvas na Região Sudeste. Na reunião, os estados apresentaram balanços da semana e o planejamento para futuras atividades nas regiões atingidas.

No Rio de Janeiro, a Secretaria de Saúde anunciou que, além de manter os esforços no abastecimento de medicamentos e insumos, replicando o modelo implementado em 2011 após as chuvas na Região Serrana, vai voltar ao Norte e Noroeste Fluminense na próxima semana para a realização de um seminário a fim de capacitar profissionais de saúde na detecção de sintomas e tratamento de doenças comuns após enchentes, como a leptospirose. Ano passado, por conta de ações integradas como essa, entre mais de 700 casos da doença na Região Serrana, foi registrado apenas um óbito.

A Secretaria de Saúde está desde o início da semana dando apoio às cidades afetadas pelas chuvas e transbordamento de rios nas regiões Norte e Noroeste Fluminense. Cinco municípios já receberam Kits Calamidade, contendo medicamentos para a atenção básica, antibióticos, hipoclorito de sódio e álcool.

Cada kit tem estoque para atender até 500 pessoas. Para chegar mais rápido à população, o material foi enviado de helicóptero a Laje do Muriaé, Santo Antônio de Pádua, Italva, Cardoso Moreira, Itaperuna e Aperibé. Neste sábado (7), serão enviadas 500 doses de vacina antitetânica para o município de Italva.

Os pontos mais afetados vêm recebendo atenção extra dos técnicos das áreas de Vigilância e Atenção à Saúde. A prefeitura de Aperibé solicitou à Secretaria de Saúde reforço no seu estoque de vacina e foram enviadas 200 doses contra tétano e difteria. A todas as cidades foram enviados também materiais informativos para que a população saiba como agir em caso de enchentes e alagamentos.

Alerta para aumento de doenças

Duas equipes técnicas da Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS) seguem na região, visitando as cidades para acompanhar a evolução da situação de cada uma delas. Por conta disso, a Secretaria emitiu duas Notas Técnicas com orientações para que cada cidade faça a atualização da situação vacinal contra tétano. Isso se deve ao aumento do risco de contaminação da doença após chuvas fortes, alagamentos e enchentes. A equipe técnica da Secretaria também ressaltou que é importante que os municípios mantenham os estoques de imunobiológicos contra a Hepatite A para eventual necessidade de reforço da vacinação.

Além disso, foi distribuído aos gestores e profissionais de saúde instrução sobre quais são as corretas condutas para diagnóstico e tratamento de doenças como leptospirose, tétano, hepatite.

Visita do secretário

Na quarta e na quinta-feira, o secretário de Saúde, Sérgio Côrtes, esteve pessoalmente em quatro dessas cidades, ouvindo dos prefeitos as principais necessidades e fazendo entrega de medicamentos e insumos. A Cardoso Moreira e Laje do Muriaé serão destinadas salas de estabilização e aparelhos de raios-X para equipar os hospitais locais e facilitar o atendimento e tratamento da população.

Saúde libera recursos do Pahi

Sérgio Côrtes também anunciou que oito municípios do interior do estado, atingidos pelas chuvas deste início de ano, vão receber recursos da Secretaria para viabilizar ações emergenciais e dar continuidade ao atendimento de suas unidades hospitalares. Verba extra do Programa de Apoio aos Hospitais do Interior (PAHI), no valor de R$ 350 mil, será destinada às cidades de Aperibé, Cardoso Moreira, Italva, Itaocara, Itaperuna, Laje do Muriaé, Santo Antônio de Pádua e São Fidélis.

Solicitação ao Ministério da Saúde

Desde segunda-feira (2), a Saúde garantiu pedido de Kits Calamidades extras ao Ministério da Saúde. Vinte deles já estão à disposição para atender os municípios e há previsão de que nova leva chegue ainda nesta sexta-feira. A cidade de Itaperuna vai ser a base da Secretaria de Saúde para dar apoio às cidades afetadas pelas chuvas no Norte e no Noroeste Fluminense. O ponto de apoio e distribuição vai funcionar no Núcleo Descentralizado de Vigilância em Saúde do município, de onde sairão os kits de calamidade solicitados pelas prefeituras.

Campos

Desde já a Secretaria de Saúde disponibiliza material e insumos para distribuir na cidade de Campos dos Goytacazes, que foi isolada em função do rompimento do dique que continha o rio Muriaé e deixou mais de 2 mil pessoas desalojadas no bairro de Três Vendas, que foi totalmente invadido pela água.

Uma equipe do Laboratório Central de Saúde Pública Noel Nutels (Lacen) está hoje no município para fazer coletas de água e recolher resíduos para análise. Os técnicos do Lacen ainda vão enviar os resultados dos exames laboratoriais de casos suspeitos ou confirmados das Doenças de Notificação Compulsórias ao Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Eles ainda pretendem auxiliar nas decisões epidemiológicas e gerenciais dos laboratórios de saúde locais. No momento, agentes de Vigilância em Saúde estão de prontidão para se deslocar para o município, em caso de emergência.

Fonte: Imprensa RJ - 06/01/2012 - 18:53h
Cruz Vermelha está de prontidão para auxiliar ações do governo nos municípios atingidos pelas enchentes

A Cruz Vermelha Brasileira está com suas equipes de prontidão para auxiliar as ações do governo nas regiões atingidas pelas enchentes, disse hoje (6) o presidente da entidade, Walmir Moreira Serra, que se reuniu com o secretário nacional da Defesa Civil, Humberto Viana.

Walmir Serra declarou que está supervisionando e orientando as ações que a Cruz Vermelha do Rio de Janeiro e de Minas Gerais fazem em parceria com a Defesa Civil. “As demais filiais e nossos voluntários, em todo o Brasil, estão de prontidão. Aguardamos orientação da Defesa Civil para levar assistência às populações atingidas, de acordo com as necessidades levantadas pela Defesa Civil, pelo Corpo de Bombeiros e Exército”, disse.

Hoje (6) vários caminhões da Defesa Civil seguiram para as áreas atingidas na região serrana, norte e noroeste do estado, com doações arrecadadas pela entidade. A equipe da Cruz Vermelha de Nova Friburgo permanece desde a noite da última segunda-feira (2) auxiliando os moradores das áreas de risco, onde foram acionadas as sirenes para chuvas fortes. Em Córrego Dantas trabalham com 40 voluntários, entre socorristas e psicólogos.

“Nossas unidades na região serrana, no norte e noroeste do estado também estão em contato direto com a Defesa Civil para entrar em ação a qualquer momento apoiando suas ações”, disse, por meio de nota, o presidente da Cruz Vermelha do Rio de Janeiro, Luiz Alberto lemos Sampaio. Ele acrescentou que a instituição está atuando em Macaé, Campos, São João da Barra e Itaperuna, ajudando na distribuição de doações e levando pessoas atingidas pelas enchentes para os centros de apoio das prefeituras.

A Cruz Vermelha do Rio está com uma campanha para receber doações (cestas básicas, água, colchões e cobertores) que deverão ser encaminhados para a sua sede na Praça da Cruz Vermelha, 10, no centro do Rio de Janeiro. A instituição pede que a população leve as doações já embaladas em cestas básicas, para economizar tempo.

Fonte: Agência Brasil - 06/01/2012 - 18h55
Ampla pode desligar energia em Três Vendas, invadida pela água do Rio Muriaé com rompimento de dique

A concessionária de energia elétrica Ampla informou que está em permanente contato com a Defesa Civil para avaliar a necessidade de desligamento da energia elétrica na localidade de Três Vendas, em Campos dos Goytacazes, no norte fluminense.

O possível desligamento programado e coordenado com a Defesa Civil tem como objetivo garantir a segurança da população e auxiliar o governo do estado, no caso de resgate das famílias. Em algumas ações, o desligamento de energia solicitado pelo órgão também visa a facilitar a retirada das cerca de duas mil pessoas dos locais de iminente perigo.

O bairro está alagado pela cheia do Rio Muriaé após o rompimento, ontem (5), de um dique de contenção na BR-356, que corta Campos dos Goytacazes. Equipes da distribuidora estão à disposição da Defesa Civil para realizar as interrupções caso sejam necessárias.

Fonte: Agência Brasil - 06/01/2012 - 19h15

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Minc diz que começará só no final do mês obras emergenciais contra enchentes na região serrana e no noroeste do Rio

Minc espera que a reunião que ocorrerá esta noite com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, e o governador Sergio Cabral Filho, garanta recursos compartilhados para a realização de obras mais estruturais no noroeste do estado, para resolução dos problemas de inundações.

“São três desvios de rios e um reservatório grande que vão, definitivamente, resolver os problemas de inundação”. Outra obra grande na região, com recursos federais e estaduais, é a recuperação dos canais de Campos, visando impedir enchentes nas áreas situadas entre Campos e São Francisco do Itabapoana e São João da Barra, em torno da Lagoa Feia. Minc destacou que vários canais já foram recuperados, envolvendo recursos no valor de R$ 100 milhões.

A expectativa do secretário é licitar as novas obras agora, para que elas possam ser iniciadas entre abril e maio próximos. Carlos Minc destacou ainda a necessidade de ser construída uma barragem em Minas Gerais, porque, segundo ele, boa parte do volume de água que chega ao estado do Rio vem de Minas. “O Rio Muriaé está dentro de uma bacia hidrográfica federal”, lembrou.

No noroeste do estado, foram criados 15 hortos municipais e foi feita a dragagem em 30 rios e córregos, de forma preventiva, por meio do projeto de desassoreamento e limpeza Limpa Rio, para evitar o aumento do nível de água. As obras, a partir de agora, terão como foco o desvio de rios que passam no meio de várias cidades”. O Rio Muriaé é um desses exemplos, tendo seu curso iniciado em Minas Gerais e, depois, passando pelos municípios de Lajes do Muriaé, Itaperuna e Italva, no estado do Rio.

O desvio do Rio Muriaé envolve investimentos de R$ 40 milhões e conta com recursos federais e do Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano (Fecam).

Fonte: Agência Brasil - 05/01/2012 - 17h29
Mais de 300 famílias já foram removidas de bairro alagado após rompimento de dique em Campos

Mais de 300 famílias já foram removidas da localidade de Três Vendas, em Campos dos Goytacazes, no norte fluminense. A localidade foi alagada após o rompimento de um dique na rodovia BR-356, que funcionava como uma barreira para conter as águas da enchente do Rio Muriaé, em Minas Gerais. A informação foi confirmada pela assessoria da prefeitura.

As pessoas removidas estão sendo encaminhados para o Ciep Luiz Carlos de Lacerda, em Travessão, e para a Escola Municipal Albertina Venâncio.

De acordo com a prefeitura, no trabalho de remoção das famílias a Secretaria de Serviços Públicos tem o apoio da Defesa Civil do estado e da do município, além da colaboração de homens do Exército e do Corpo de Bombeiros. Vinte caminhões foram disponibilizados para os trabalhos. Já a Secretaria de Assistência Social está cadastrando as famílias desalojadas no programa social da prefeitura Morar Feliz.

Logo após o rompimento do trecho de contenção da rodovia, a prefeita da cidade, Rosinha Garotinho, e o secretário de estado da Defesa Civil, Sérgio Simões, sobrevoaram a localidade de Três Vendas e acompanharam o trabalho de retirada das famílias.

Fonte: Agência Brasil - 05/01/2012 - 17h48