segunda-feira, 23 de maio de 2011

Descrição dos Principais Atrativos Turísticos da Região Noroeste Fluminense – segundo a SEPLAG/RJ, no Plano de Desenvolvimento Sustentável do Norte e Noroeste do Estado do RJ

Aperibé
  • Ponte Ary Parreiras: de apurado gosto arquitetônico, a ponte mede aproximadamente 1.000 metros de extensão e 600 metros de altura. Possui 4bases de sustentação, com suas fundações no Rio Paraíba do Sul e uma estrutura em arco portante que ampara a pista. Liga os municípios de Aperibé e Itaocara. 
  • Serra da Bolívia: formação montanhosa com 400m de altura, tombada como área de preservação ambiental. 
 Bom Jesus do Itabapoana 
  • Vale do Itabapoana: formado ao longo do Rio Itabapoana, serve de marco divisório entre os Estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. São paisagens de montanhas, corredeiras, cachoeiras e vales de grande beleza.
  • Cachoeira da Fumaça: cujas águas formam em sua queda uma poeira de água que deu origem ao nome do atrativo.
  • Cachoeira do Inferno: formada por um grande salto, suas águas correm por baixodas rochas, saindo novamente no leito do rio. Caracteriza-se pelo fato de, junto a ela, estar instalada a Usina França Amaral.
  • Cachoeira de Rosal: mais volumosa queda d'água do município, possui dois saltos medindo aproximadamente 80 metros de altura. É circundada pela Serra do Bálsamo (RJ) e pela Serra do Cachoeirão (ES). No local, está sendo construída a Usina Hidrelétrica de Rosal, provocando redução na vazão de água. Um túnel de 5km está sendo escavado para levar água da barragem até as turbinas.
  • Morro do Calvário: onde merece destaque a Capela de Fátima em seu cume, datada de 1899, e a visão panorâmica da cidade.
  • Lago da Cidade: circundado por um calçadão e medindo aproximadamente 700 metros.
  • Distrito Rosal: uma pequena vila com casas do final do século 19 e início do século passado. São construções graciosas e coloridas, que compõem um conjunto harmonioso e bem conservado. Consta que o nome Rosal vem dos canteiros de rosas que há muito tempo eram plantadas nesse distrito.
Cambuci
  • Rio Paraíba do Sul: marco divisório entre os municípios de Cambuci, Itaocara e São Fidélis, ocupa toda a região sul de Cambuci. Forma uma belíssima paisagem com suas pequenas ilhas arborizadas com espécies de alto e médio porte e vegetação rasteira. O traçado da estrada de ferro acompanha seu percurso.
  • Parque da Cachoeira: grande atração do município, com restaurantes, lanchonetes, bares, camping, praça de esportes e grande área gramada. Há duas cachoeiras: uma natural, de 22 metros de altura e outra artificial, de 15 metros aproximadamente. A natural possui três saltos principais e cai como um véu-de-noiva, enquanto a artificial, em concreto, tem a estrutura de uma grande escada.
  • Seguinte de cada cachoeira há duas grandes piscinas, que dão origem a uma terceira.
  • Cachoeira da Fazenda de São Francisco: um açude que forma uma cachoeira artificial de 0,5 metro de altura e 20 m. de comprimento. Em seguida, as águas descem por um escorrega formado por uma rocha de 10 m. de extensão, continuando por um trecho de 20 m., pouco acidentado, com pequenos poços. Logo após, o rio torna-se acidentado formando em sua descida pequenas corredeiras, escorregas e piscinas naturais.
Italva
  • Cachoeira da Serra da Prata: com aproximadamente 200 m. de altura, formada por 8 saltos de águas claras.
  • Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição: cujo início da construção do conjunto arquitetônico atual datado de 1930, tem grandes janelas envidraçadas em forma de arco nas laterais e torre com 24 m. de altura.
  • Fazenda Bela Vista: situada dentro da Fazenda Experimental de Italva, presume-se que possui um século e meio de existência, tendo sido construída por escravos.
Itaocara
  • Serra do Cândido: situada dentro dos limites da Fazenda do Engenho Central Laranjeiras, possui árvores de grande porte, arbustos, aves e répteis. Com 630 metros de altura, é o ponto mais alto do município, podendo-se avistar grande parte do próprio município, a Pedra da Bolívia (em Santo Antônio de Pádua), a Serra Vermelha, Cantagalo, Santa Maria Madalena, parte do município de Cambuci e outras localidades.
  • Igreja Matriz de São José de Leonissa: construída por volta de 1810, supõe-se que primeiramente com a ajuda de índios da região, depois remodelada pela primeira vez pelos Padres Capuchinhos, na metade do século XIX, e na segunda vez em 1900.
  • Monumento à Geografia: situado na Praça da Geografia, é circundado por árvores de médio porte e chafariz.
  • Monumento à Matemática: localizado na Praça da Matemática, inaugurado em 1945.
  • Ponte Ary Parreiras: de apurado gosto arquitetônico, a ponte mede aproximadamente 1.000 m. de extensão e 600 m. de altura. Possui 4 bases de sustentação, com suas fundações no Rio Paraíba do Sul e uma estrutura em arco portante que ampara a pista. Liga os municípios de Aperibé e Itaocara.
Itaperuna
  • Cachoeira da Fumaça: próxima de Retiro do Muriaé é formada pelas águas do Rio Muriaé. O primeiro local de interesse é uma piscina natural, de fundo rochoso com presença de plantas aquáticas. Mais seguinte, o curso do rio se altera, se dividindo e formando uma pequena ilha. Junto a um dos seus lados há três quedas d'água. A primeira, a menor delas, forma uma pequena piscina natural. A segunda, a maior de todas, tem largura aproximada de 30m e altura de 20 m. A terceira queda, com altura aproximada de 8m, possui um volume de água muito maior do que as outras. A segunda e a terceira queda se unem formando um fosso muito profundo, com fortes correntezas.
  • Fonte Avahy: água considerada milagrosa pelos índios Puris, antigos habitantes da região, fica instalada a 10km da sede do município.
  • Fonte Super Ita: captada da rocha viva em terras da Fazenda Cubatão, a 8 km da sede municipal, a antiga fonte hidromineral Cubatão foi descoberta em 1920. O lugar é isolado e aprazível, destacando-se pastagens imensas de gado e árvores frutíferas.
  • Cristo Redentor de Itaperuna: localizado no Morro do Castelo, ponto turístico natural, de onde se tem uma vista panorâmica da cidade. Pode-se ver o Rio Muriaé, o Centro e os bairros Niterói, Cidade Nova, Vinhosa e Aeroporto. Subindo-se ainda em uma pequena elevação atrás da imagem, pode-se ver uma grande extensão da zona rural. A imagem do Cristo está entre as maiores já construídas, com 20m de altura, e foi inaugurada em 1966.
  • Cachoeira do Hotel Raposo: formada por uma corredeira que surge de uma nascente, cujas águas vêm deslizando entre rochas. É constituída por uma única queda d'água, formando uma piscina natural de aproximadamente 90m2 de área e 3m de profundidade. De águas cristalinas e temperatura amena, tem boas condições para banhos.
  • Fonte Raposo: esta água foi descoberta em conseqüência de um surto de conjuntivite. As pessoas banhavam os olhos naquela bica de água cristalina, à beira do caminho, e ficavam curadas. Atualmente, cai num chafariz de azulejos portugueses, onde, além de se beber, pode-se lavar o rosto e os olhos. No Parque de Raposo estão três das mais importantes fontes do lugar, todas de águas minerais carbo-gasosas.
  • Parque D'Águas Soledade: se faz através de uma vistosa construção, misto de castelo e pagode chinês. O amplo hall de entrada permite a passagem de carros e de ônibus e, descendo por uma rampa, atinge-se o parque propriamente dito, com área total de 67.100m2. É possível tomar banho de sol com água sulfurosa, tomar sauna de vapores sulfurosos.
Laje do Muriaé
  • Cachoeira Cinco Barras: com 40 m. de altura, tem águas turvas no verão e transparentes durante a estiagem.
  • Cachoeira do Paranhos: possui dois saltos, o primeiro com altura em torno de 50 m., formando em seguida uma piscina natural, e o segundo com 20 m., seguido de outra piscina.
  • Piscicultura Novaes - Fazenda do Itú: localizada em serra de 700 m. de altitude composta de árvores de médio porte e vasta fauna, possui poços e piscinas naturais, com variedades de peixes e alevinos e pesque-pague.
  • Casarões da Rua Garcia Pereira: de grande valor histórico para o município, são construções de dois andares da segunda metade do século XIX, todas de pau a pique com paredes de taipa.
  • Morro do Zé do Arrastado: possui um pelourinho de pedra e ferro situado junto a uma cruz.
Miracema
  • Cachoeira da Cara: em cujo acesso há pequenas cascatas formadas pelos desníveis do terreno até chegar à queda d'água de 20 metros de altura, formando uma piscina de 10 m. de comprimento e 5 m. de largura. Segue-se uma corredeira com nova queda de 3 m.
  • Cachoeira do Moura: formada por um desnível de aproximadamente 35 m., nesse trecho existe uma ilha fluvial e barragem, o que faz com que o curso do rio se divida, formando 2 piscinas em cada lado da ilha.
  • Cachoeira do Paraíso do Tobias: localizada no Ribeirão do Bonito, tem um queda de 2,5 m. e forma um lago de 25 m. de diâmetro.
  • Pontão do Sinal: com 930 m. de altitude, o pico é um dos pontos mais altos do Município. O caminho que leva ao pico possui 14km, em trilha de mata fechada. De seu cume avista-se a localidade de Areias, a cidade de Miracema, Monte Alegre em Santo Antônio de Pádua e São José de Ubá.
  • Centro Histórico da Cidade: possuindo importantes exemplares de arquitetura eclética construídos por mestres artesãos italianos durante as duas primeiras décadas do século XX.
  • Centro Cultural Melchíades Cardoso: instituição municipal, voltada para a preservação da memória e para promoção cultural. Possui importante acervo documental, museológico e bibliográfico, mantendo uma exposição permanente sobre a Fiação e Tecelagem São Martino.
Natividade
  • Morro da Saibreira: com cerca de 400m de altura, deslumbra-se de seu topo vista da cidade.
  • Pico Cabo Frio: a 810m acima do nível do mar, é o ponto mais elevado do município. Do topo tem-se a visão do Cristo Redentor, em Itaperuna, município vizinho, e do Pico do Caparaó, em Minas Gerais.
  • Santuário das Aparições de Nossa Senhora da Natividade: teve a casa de Nossa Senhora construída em 1974, em frente a um lago. Possui estilo oriental, com suas cúpulas arredondadas. Internamente, o primeiro plano é constituído de uma sala de visitas, onde pode-se ver a Pedra Cefas. No segundo plano há três oratórios e um quadro que traz as mensagens deixadas pela Virgem. Ao lado esquerdo, a sala dos milagres e, ao lado direito, a sala particular da Santa. A poucos metros da casa localiza-se o nicho construído no local exato das aparições. Nele está uma imagem em bronze de autoria de Matheus Fernandes, datada de 1969. Defronte ao nicho, passa o regato onde Nossa Senhora apareceu. Há uma fileira de bicas, para facilitar a colheita da água do regato pelos fiéis, que a procuram para fins milagrosos.
  • Fazenda São José: localizada no município de Porciúncula, mas com acesso exclusivo por Natividade, foi construída pelo bandeirante José de Lannes Dantas Brandão, que ali morou até 1852. Implantada na raiz de um conjunto de pequenas elevações irregulares, foi edificada na primeira metade do século XIX com todas as características da construção colonial mineira. A casa-grande, primitivamente em formato de "L", possui dois andares. Não há senzalas ou outros edifícios que compunham o dia-a-dia de uma fazenda do século XIX, como celeiros e armazéns de café. O portão em estilo barroco faz interessante contraste com o conjunto colonial à sua volta e faz parte do brasão da cidade de Porciúncula.
  • Fazenda das Tabocas: localizada na Serra da Sapucaia, zona rural de Purilândia, município de Porciúncula, mas com acesso exclusivo por Natividade. Fazenda construída por volta de 1865 com 13 cômodos e varanda. A fazenda fica numa elevação e, diante dela, situa-se uma cachoeira cujas pedras foram colocadas pelos escravos da fazenda. No seu lado direito possui um açude.
Porciúncula
  • Cachoeirinha: com 15 m. de altura e 30 m. de largura, possui 3 saltos com águas límpidas, transparentes de baixa temperatura.
  • Pedra da Elefantina: com 992 m. de altura. A vista do mirante a 700 m. de altura alcança os Estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Aventureiros praticam escaladas na pedra.
  • Cachoeira de Três Tombos: conhecida como a mais imponente da região, está localizada na divisa com Minas Gerais e suas águas acionam a Usina Hidrelétrica de Tombos. Possui queda de 75 m. com saltos. O prédio da usina possui estilo neoclássico e foi construído em 1912.
  • Cachoeira Bom Jardim: com 20 m. de altura, suas águas são límpidas, transparentes e frias.
  • Cachoeira da Fazenda: de altura aproximada de 20 m., encontra-se numa região alta do Município, de onde se pode avistar plantações de café, eucaliptos e áreas de pastagem.
  • Cachoeira da Jurema: localizada em córrego encachoeirado, a principal queda tem 25 m. de altura.
  • Cachoeira de Cima: possui quatro saltos com altura total de 30 m., registrando-se piscinas naturais e a vista do centro de Purilândia.
  • Cachoeira de Baixo: com 30 m., tem três saltos e piscina natural.
  • Fazenda São José: primeira edificação de Porciúncula, foi construída pelo bandeirante José de Lanes Dantas Brandão. Implantada na raiz de um conjunto de pequenas elevações irregulares, foi edificada na primeira metade do século XIX com todas as características da construção colonial mineira, a Casa Grande, primitivamente em formato de "L".
Santo Antônio de Pádua
  • Parque do Hotel das Águas: bosque frutífero com a única fonte de água mineral água iodatada da América do Sul, classificada como água alcalina-bicarbonada-sódica.
  • Cachoeira dos Macacos: localizada antes que o rio atinja o distrito de Baltazar, são pequenas quedas que, em alguns trechos, possui formação de escorregas.
  • Capelinha da São Sebastião: situada no alto de um morro de onde pode ser vista a cidade, foi construída em 1926.
  • Museu Histórico: localizado no Colégio de Pádua, tem em seu acervo peças antigas de valor cultural, artístico ou histórico para a cidade.
  • Ponte Raul Veiga: conhecida como Ponte Velha, tem forma de arco com 200 m. de comprimento e 10 m. de altura. Foi inaugurada em 1922.
São José de Ubá

Não foram encontrados atrativos para o município.

Varre-Sai
  • Cachoeira do Pedro Dutra: com cerca de 100 m. de extensão e piscinas naturais, está rodeada por vegetação de médio e grande porte.
  • Cachoeira da Prata: queda de 50 m. com 3 saltos, forma piscina natural.
  • Cachoeira Tatão Randolfo: local da antiga usina de força de Varre-Sai, atualmente desativada, possui ainda parte das muretas da represa. São 150 m. de corredeiras com várias piscinas e duas quedas d'água, uma das quais com 20 m. de altura.
  • Gruta do Pirozzi: localizada no alto de uma montanha, possui diversos salões em seu interior, além da floresta tropical ao seu redor.
  • Gruta São Sebastião: localizada na zona urbana, é de fácil acesso.
  • Casarão da Cultura: onde hoje existe um museu. Ali se encontram fotos das primeiras famílias da cidade, móveis usados por esses colonizadores, o equipamento do primeiro cinema da cidade etc.
Em Miracema existem outros pontos turísticos que não foram catalogados pela SEPLAG/RJ, como a cachoeira do Conde, Santuário da Mãe do Imediato Consolo, as 8 fazendas inventariadas pelo INEPAC. É verdade que a cachoeira do Conde anda escondida sob a vegetação, mas fica aqui um apelo para que a administração municipal cuide mais do lugar.

Em São José de Ubá tem o Parque das Águas que também não foi registrado pelo INEPAC.

Existem algumas fotos no Plano da SEPLAG/RJ, portanto não foi possível copiá-las para esta postagem. As fotos de Miracema naquele Plano foram feitas pelo André Alvim, do blog Pedal Livre. O Plano da SEPLAG/RJ pode ser acessado aqui. As fotos citadas anteriormente estão na Análise Situacional - 2ª parte.

5 comentários:

Angeline disse...

Grande Hélcio:
Como vc foi rápico! Com relação às fazendas inventariadas, apesar de não terem sido citadas, consta o próprio inventário delas no Plano.
Entendo que essas pequenas falhas devam ser discutidas localmente. Tanto assim, que o Plano será entregue a todos os gestores locais para aperfeiçoá-lo, discuti-lo e aplicado... se for o caso.

Hélcio Granato Menezes disse...

Bons seus esclarecimentos. Dessa forma, acredito que serão corrigidas as falhas.

Angeline disse...

Outra coisa importante é que as informações, além de entrevistas locais, foram colhidas na internet. Daí a importância do site oficial do município,bem estruturado. Creio que foi o que provocou a grande falha em S José de Ubá.

Luiz Carlos Martins Pinheiro disse...

Amigo Hélcio

A denominação Rosal, em Bom Jesus de Itabapoana, teria a origem dita ou teria a ver com emigrantes de O Rosal, município da Provincia de Pontevedra, na Comunidade Autônoma da Galiza, Baixo Minho, fronteira com Portugal?

Abraços, saúde e Paz de Cristo.
Luiz Carlos/MPmemória.

Hélcio Granato Menezes disse...

Luiz Carlos,

Tem a origem dita. O nome do Distrito de Rosal advém de rosas que eram plantadas no lugar. A cachoeira fica lá.

Abraços,
Helcio